Pular para o conteúdo principal

O Gol mais Gol da Minha Vida

Depois de assistir aos gols do espetacular jogo de ontem entre Santos e Flamengo, um jogo que vai ficar pra a história, a emoção de quem gosta de futebol era ficar falando sobre esse jogo durante todo o dia seguinte. Jogadas espetaculares de dois gênios do futebol ,  que drible que o Neymar inventou ontem? Que espetáculo!!!  Como é bom ver o Ronaldinho jogar como ontem, relembrando as grandes exibições do Barcelona. Fantástico!!!

Avaliando todos os comentários desse grande jogo, as repercussões e comparações que remetem aos grandes jogos dos anos 60, vem a sensação de quanto é bom assistir a grandes jogos de futebol ,  verdadeiras exibições de gala, que nos remetem para a essência deste emocionante jogo,  a emoção do grito de gol.

Que sensações e emoções são despertadas neste ato tão primata e ao mesmo tempo tão sublime?

Sentimentos antagônicos que despertam nossas mais intensas  emoções. Conquista, poder, glória, tesão, alívio, êxtase, festa, vitória, paixão, explosão, vingança, raiva, xingamento, fúria, prazer....

Em comparação ao tesão de uma relação sexual, o grito de gol está em qual patamar?  Pra quem ama o futebol, a sensação não é tão diferente.  Afinal paixão, amor, emoção, entrega estão presentes.  A grande diferença é que sexo a gente joga junto e no futebol somos todos voyers. Mas no final a sensação de prazer é a que fica.

Como é bom gritar gol em qualquer lugar, independente da importância do jogo. Desde o grande Derby contra a o time da rua de baixo até a final de campeonato.

Mas, e se for  no estádio? Que delícia!

Mas e se for no estádio e em um grande clássico? Que Tesão!!  

Mas, e se for no estádio, num grande clássico e sendo a final de campeonato? Praticamente o Nirvana.

GOOOOOOLLLLLLL !!!!!

 Como palmeirense, eu considero que eu já atingi o Nirvana em algumas vezes mas tenho certeza que cada um de nós temos guardado no nossa memória afetiva o Gol mais Gol das nossas vidas. Aquele que tem um espaço superior, sublime, imortal guardado nos nossos corações. Quero compartilhar com vocês o Gol mais Gol da minha vida.

O Palmeiras estava há 17 anos sem ganhar um título.Até então, eu já com 23 anos, ainda não tinha tido o gostinho de gritar É campeão. Eu assisti em loco as Tragédias Shakesperianas de 1985 ( XV de Jaú) , 1986 ( Inter de Limeira ), 1989 ( Bragantino ), 1990 ( Ferroviária ) . Cansei de chegar na vila com são paulinos e corintianos esperando os 03 porquinhos  (eu e meus dois irmãos) chegarem no fusquinha  azul ( Trovão Azul ) do meu velho pai, de volta de mais uma tragédia e posteriormente os gambá ou os bambi ganharem ostítulo.   

Até quando  iria agüentar essa travessia rumo à terra prometida? Será que eu era Pé Frio? Será que eu nunca iria gritar é Campeão?

Chega  1993. Palmeiras monta um timaço que vai estraçalhando cada adversário, supera o trauma dos times pequenos na fase semi  final e vai pra grande final contra o Corinthians . Na arquibancada um grito começava a ser entoado de forma tímida mas confiante:
 

“ Não é mole não, tá chegando a hora de gritar É Campeão!!”
 

Final do Campeonato Paulista de 1993, Palmeiras e Corinthians disputam esta grande final. Após no primeiro jogo o Palmeiras ter perdido por  1x0, a segunda partida era ganhar ou ganhar para o Palmeiras.

Vem a segunda partida, depois de um começo arrasador do Palmeiras, com várias chances de gol desperdiçadas, o jogo fica mais equilibrado. Aos 36 minutos do primeiro tempo Edilson toca para Edmundo que tenta mais uma arrancada pela meia  esquerda e é bloqueado, a bola sobra para Evair que faz o pivô pra Zinho que vem de trás. Zinho carrega a bola e de pé direito a bola bate na trave e :

GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOLLLL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Estava na direção da bola, bem na diagonal , acompanhando a trajetória precisa, reta, firme e forte pra dentro do gol. Que sensação, que explosão, nunca gritei tão forte, tão alto, que o peito, a garganta, a alma tudo ao mesmo tempo, vibraram tanto que era possível sentir a anos luz de distância. Que mosaico de emoções que  mesmo depois de 18 anos ainda permanecem tão vivas na minha memória. Mesmo escrevendo este texto agora meu corpo fica todo arrepiado, o coração pulsando forte, emoções tão fortes que saltam no meu peito nesse momento. A torcida enlouquecida, como um exército em frente de batalha celebrando a vitória final, todos em êxtase de alegria, vibração, festa. Que sentimento é esse? Não tem explicação, só sentimento, puro sentimento.

Esse é o momento que vai ficar comigo para a eternidade. Esse é o momento que até hoje eu tenho como o dia que eu gritei o Gol mais Gol da minha vida . Creio que mesmo que tenham conquistas mais importantes e marcantes , não vai significar o que esse gol representou para um garoto de 23 anos, que ainda não tinha comemorado um título, que passou por quase 10 anos sofrendo, aguardando por esse momento que valeu cada ano de espera.

O título finalmente veio e entrou para a história.

A data vem bem a calhar com amor e sexo,  12/06/1993 – Dia dos Namorados

E você, qual foi o seu Gol mais Gol da sua vida?

Se você gostou compartilhe este post.


Comentários

  1. oi Marcelo,

    vi pouquíssimos jogos do nosso amado Palmeiras "in loco"... dentre os pouco mais de 20 jogos que presenciei, houve um que tb me marcou demais da conta... dia 24 de outubro de 1992, aqui em Bauru, vitória do PALMEIRAS, 3 x 0 sobre o Norusca.... e o 1º gol foi de Evair... inesquecível!

    dentre os gols que vi pela "telinha"... os 4 da partida que vc narrou são inesquecíveis.... e o gol do Alex contra os bambis os mais belo de todos...

    vi tb no estádio nossa última conquista... os 5x0 sobre a Ponte Preta no final do Paulistão 2008... emoção das boas também...

    torço muito para que o Palmeiras volte aos tempos gloriosos e que possa propiciar a muitos e muitos amantes do futebol momentos como esses.

    verdaços.

    ResponderExcluir
  2. Boas, Bense! Mais uma coluna maravilhosa para quem ama futebol!

    Relendo suas linhas, pude me lembrar como num lance em câmera lenta, do Zinho chutando e fazendo tabela com a trave! Maravilhoso!

    Já que vc deixou a bola quicando (sugestivo isso) o meu gol mais gol da minha vida foi o do César Sampaio, semifinal do Brasileirão de 1993, contra o São Paulo. Driblou o zagueiro, driblou o Zetti e empurrou para as redes.

    O São Paulo, sempre algoz do Verde nos campeonatos, agora servia de vítima! Fazi mais de 30 graus na quele sábado de dezembro, e lembro que ralei meus dois joelhos ajoelhado berrando como um louco!

    Olha, acho que o gol como esse é um orgasmo muito mais intenso e duradouro!

    Obrigado por me fazer lembrar de sensações tão colossais!

    E, mais uma vez, parabéns pelo blog, uma delícia que canta e vibra...

    Adriano Paciello

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores parte 2 : Precificação

Na semana passada iniciei uma série de posts referentes aos fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores. O próximo fator que gostaria de compartilhar com vocês é a precificação dos ingressos.
Como ponto de partida dessa análise, vamos avaliar o comportamento do torcedor do São Paulo em alguns jogos no Morumbi:
23/03/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 3.118 Renda Bruta: R$ 123.026 Ticket Médio: R$ 39,49
06/07/2016 – Copa Libertadores da América São Paulo 1 x 2 Atlético Nacional (semi final) Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 61.766 Renda Bruta: R$ 7.526.480 Ticket Médio: R$ 121,85
22/10/2016 – Campeonato Brasileiro São Paulo 2 x 0 Ponte Preta Dia da semana: sábado Horário: 17:00h Público Pagante: 49.673 Renda Bruta: R$ 600.541 Ticket Médio: R$ 12,09
12/02/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 5 x 2 Ponte Preta Dia da semana: domingo Horário: 17:00h Público Pagante: 50.952 Renda Br…

Os Alienistas

Tudo começou em 1995, na final da Supercopa São Paulo de Juniores. Após o gol de ouro que deu o título ao Palmeiras, os palmeirenses invadiram o gramado para comemorar e foram provocar os são paulinos, que, aproveitando a pouca presença de policiais, invadiram o gramado, transformando o campo de jogo na primeira batalha campal entre torcidas organizadas transmitidas ao vivo pela TV. 
As consequências foram a morte do garoto Márcio Gasparin, a condenação de Adalberto Benedito do Santos e, pela primeira vez, as organizadas Mancha Verde e Independente foram extintas pelo promotor público Fernando Capez, que comentou na época: “Era necessário um tratamento de choque.”
Como na belíssima obra O Alienista, de Machado de Assis, a partir dessa época começou a batalha dos Alienistas contra a festa popular nas arquibancadas do Brasil. Depois dessa medida, as bandeiras, instrumentos, faixas, papéis picados, rojões, fogos de artifício, sinalizadores foram proibidos, além de não poder vender cerveja.…