Pular para o conteúdo principal

Balanço Primeiro Turno Brasileirão 2012



Depois de um pouco mais de 3 meses, chegamos à metade do Campeonato Brasileiro.
Um torneio que é considerado longo por muitos, rapidamente chegou na metade, principalmente pela sequencia de jogos quarta e domingo, que acabam afetando a qualidade do espetáculo e a condição física dos jogadores.
Praticamente todos os times estão com uma série de jogadores lesionados. Esse tipo de torneio não deveria ser tratado dessa maneira. As sugestões para uma maior valorização do Campeonato em todos os sentidos estão nas propostas de calendário que eu fiz em janeiro. 

Voltando ao Brasileirão de 2012, considero que o torneio está sendo disputado em alto nível de competitividade, com o aproveitamento dos líderes muito acima da média dos últimos anos. Também temos vários times e elencos bem montados, demostrando que o planejamento bem efetuado dá resultado. Nenhum dos times que está na ponta da tabela chegou lá por acaso, mas sim com planejamento.
Temos a presença de jogadores conhecidos como Seedorf, Pablo Furlan, Juan e a volta de Ronaldinho Gaúcho jogando em alto nível. Revelações com Bernard do Atlético MG e o belo trabalho que o treinador Cuca está realizando é um bom sinal de renovação. Na minha opinião, o Brasil está precisando urgentemente de renovação de treinadores, que também são responsáveis pela qualidade dos jogos. A mesmice que vemos em termos táticos, em comparação ao que assistimos nos gramados europeus, afeta diretamente a qualidade dos jogos e o desenvolvimento dos jogadores em termos técnicos e táticos. Tudo graças à necessidade de resultados imediatos em detrimento de um projeto de longo prazo.
O compromisso que vemos no futebol brasileiro é com a próxima vitória ou a próxima conquista, custe o que custar. Não considero que é dessa forma que o futebol brasileiro vai evoluir, muito pelo contrário.
Como destaque negativo, sem dúvida a arbitragem é a grande vilã em termos de interferência direta em vários resultados, na marcação de muitas faltas desnecessariamente, no nível excessivo de pênaltis mal marcados. Essas atuações estão afetando o nível dos jogos. O clima pesado que muitos jogos são disputados, devido à expectativa e pressão que os clubes fazem sobre os árbitros, também é responsável por partidas disputas de forma muito ríspida e cheia de reclamações por parte dos jogadores, treinadores, dirigentes e torcedores.
Após essa introdução, vamos aos números do Mini Campeonato 3/6 e a avaliação do final do primeiro turno.

Mini Camp 3/6



Equipe
PG
%
1
Fluminense
17
81%
2
Santos
16
76%
3
Gremio
13
62%
4
Atlético MG
12
67%
5
São Paulo
12
57%
6
Portuguesa
12
57%
7
Botafogo
11
52%
8
Nautico
11
52%
9
Flamengo
10
56%
10
Internacional
9
43%
11
Corinthians
9
43%
12
Cruzeiro
8
38%
13
Atletico GO
8
38%
14
Ponte Preta
7
33%
15
Coritiba
7
33%
16
Vasco
6
29%
17
Bahia
6
29%
18
Palmeiras
6
29%
19
Figueirense
6
29%
20
Sport
2
10%

Classif.  Final



Equipe
PG
%
1
Atlético MG
43
80%
2
Fluminense
42
74%
3
Gremio
37
65%
4
Vasco
35
61%
5
São Paulo
31
54%
6
Internacional
31
54%
7
Botafogo
28
49%
8
Cruzeiro
28
49%
9
Flamengo
26
48%
10
Santos
26
46%
11
Nautico
24
42%
12
Corinthians
24
42%
13
Ponte Preta
23
40%
14
Portuguesa
22
39%
15
Coritiba
19
33%
16
Bahia
17
30%
17
Palmeiras
16
28%
18
Atletico GO
16
28%
19
Sport
15
26%
20
Figueirense
14
25%



























Podemos efetuar as seguintes avaliações:
- Santos, Portuguesa e Náutico tiveram aproveitamentos muito bons nos últimos 7 jogos. Os três times ficaram entre os 10 primeiros classificados no Mini Campeonato 3/6 mas estão entre os 10 piores classificados após 19 rodadas
- Santos ficou em segundo lugar no Mini Campeonato 3/6, demonstrando potencial para subir muito na tabela no segundo turno
- Vasco e Cruzeiro, tiveram baixo aproveitamento no Mini Campeonato 3/6. Ambos ficaram na segunda metade da tabela, demonstrando queda de rendimento. O Vasco principalmente, demonstra perspectiva de queda de rendimento, podendo sair do G4 em breve caso mantenha a performance dos últimos 7 jogos
- Das equipes do G4 no final do primeiro turno, o Vasco da Gama foi o único que não ficou na mesma zona de classificação no Mini Campeonato 6/3
- Das equipes do Z4 no final do primeiro turno, com exceção do Atlético GO, que teve aproveitamento de 38% no Mini Campeonato 3/6, as demais equipes tiveram o mesmo baixo aproveitamento nos últimos 7 jogos e no acumulado após 19 rodadas
- O Atlético GO demonstra perspectiva de melhor aproveitamento no segundo turno
Agora vamos comparar a classificação final do primeiro turno de 2012 com 2011:


2012



Equipe
PG
%
1
Atlético MG
43
80%
2
Fluminense
42
74%
3
Gremio
37
65%
4
Vasco
35
61%
5
São Paulo
31
54%
6
Internacional
31
54%
7
Botafogo
28
49%
8
Cruzeiro
28
49%
9
Flamengo
26
48%
10
Santos
26
46%
11
Nautico
24
42%
12
Corinthians
24
42%
13
Ponte Preta
23
40%
14
Portuguesa
22
39%
15
Coritiba
19
33%
16
Bahia
17
30%
17
Palmeiras
16
28%
18
Atletico GO
16
28%
19
Sport
15
26%
20
Figueirense
14
25%

2011



Equipe
PG
%
1
Corinthians
37
65%
2
Flamengo
36
63%
3
São Paulo
35
61%
4
Vasco
35
61%
5
Botafogo
34
60%
6
Palmeiras
32
56%
7
Cruzeiro
27
47%
8
Internacional
27
47%
9
Coritiba
26
46%
10
Figueirense
26
46%
11
Fluminense
25
44%
12
Atlético GO
25
44%
13
Ceará
25
44%
14
Santos
22
41%
15
Gremio
21
39%
16
Bahia
20
35%
17
Atlético PR
18
32%
18
Avaí
17
30%
19
Atlético MG
15
26%
20
América MG
13
23%
- O aproveitamento dos 3 primeiros classificados em 2012 está muito superior os 3 primeiros de 2011
- O aproveitamento do Atlético MG e Fluminense é o melhor aproveitamento após 19 rodadas desde o início dos torneios de pontos corridos
- O aproveitamento dos 10 melhores classificados em 2012 está superior a 2011. Isso demonstra uma perspectiva que os 4 primeiros classificados no final do campeonato devem ter uma pontuação acima da média dos últimos 6 campeonatos
- Como consequência, o aproveitamento dos 10 piores classificados em 2012 está inferior a 2011. Isso demonstra uma perspectiva que os 4 últimos classificados no final do campeonato devem ter uma pontuação abaixo da média dos últimos 6 campeonatos

Segue abaixo a classificação final do Brasileirão 2011 em comparação ao final do primeiro turno de 2011:
  

2011 - Final



Equipe
PG
%
1
Corinthians
71
62%
2
Vasco
69
61%
3
Fluminense
63
55%
4
Flamengo
61
54%
5
Internacional
60
53%
6
São Paulo
59
52%
7
Figueirense
58
51%
8
Coritiba
57
50%
9
Botafogo
56
49%
10
Santos
53
46%
11
Palmeiras
50
44%
12
Gremio
48
42%
13
Atlético GO
48
42%
14
Bahia
46
40%
15
Atlético MG
45
39%
16
Cruzeiro
43
38%
17
Atlético PR
41
36%
18
Ceará
39
34%
19
América MG
37
32%
20
Avaí
31
27%
2011– 1 Turno



Equipe
PG
%
1
Corinthians
37
65%
2
Flamengo
36
63%
3
São Paulo
35
61%
4
Vasco
35
61%
5
Botafogo
34
60%
6
Palmeiras
32
56%
7
Cruzeiro
27
47%
8
Internacional
27
47%
9
Coritiba
26
46%
10
Figueirense
26
46%
11
Fluminense
25
44%
12
Atlético GO
25
44%
13
Ceará
25
44%
14
Santos
22
41%
15
Gremio
21
39%
16
Bahia
20
35%
17
Atlético PR
18
32%
18
Avaí
17
30%
19
Atlético MG
15
26%
20
América MG
13
23%


- Das 4 equipes do G4 após o final do primeiro turno, somente 1 equipe ( São Paulo)  não ficou do G4 no final do campeonato
- O aproveitamento das 4 equipes do G4 no segundo turno foi inferior ao primeiro turno. Isso costuma ser uma tendência em todos os torneios devido às disputas mais acirradas tanto para as equipes que lutam para chegar no G4 como as equipes que lutam para sair do Z4
- Das 4 equipes do Z4 após o final do primeiro turno, somente 1 equipe ( Atlético MG )  não ficou do Z4 no final do campeonato
-O aproveitamento das 4 equipes do Z4 no segundo turno foi superior ao primeiro turno
- A chance de entrar no G4 ou sair do Z4 é de 25%. Isso significa que somente uma equipe pode entrar no G4 ou sai do Z4.

Se formos tomar o campeonato de 2012 e adotar o mesmo histórico de 2011, podemos chegar às seguintes conclusões:
- São Paulo, Internacional e Santos. Uma dessas equipes são potenciais para chegarem no G4 no final do campeonato no lugar do Vasco
- O Palmeiras é a equipe com maior potencial para sair do Z4 devido ter disputado parte do primeiro turno com equipe mista por estar disputando as finais da Copa do Brasil
Todas as projeções acima são baseadas em estatísticas, mas sabemos que o futebol tem variáveis que podem afetar positivamente ou negativamente a performance das equipes. Em contrapartida, os dados dos últimos campeonatos comprovam que as projeções efetuadas tem grande chance de se repetirem novamente nesse ano.
Seguem outros dados complementares:

Equipe
Vitórias
1
Atético MG
13
2
Fluminense
12
3
Grêmio
12
17
Palmeiras
10



Equipe
Derrotas
1
Atético MG
1
2
Fluminense
1
3
Internacional
4
19
Palmeiras
11



Equipe
GP
1
Atético MG
33
2
Fluminense
31
3
Botafogo
30
16
Palmeiras
18



Equipe
GC
1
Fluminense
11
2
Atlético MG
13
3
Internacional
15
10
Palmeiras
23


Referente ao Palmeiras, a performance do primeiro turno foi a pior desde que o Palmeiras disputa torneios de pontos corridos. Parte dessa má performance podemos creditar à priorização da Copa do Brasil, ao grande número de contusões do elenco e à falta de planejamento da diretoria com relação à qualidade e ao número de jogadores no elenco.
Como já escrito no post Os Dez Mandamentos para não se preocupar, o Palmeiras precisa de um aproveitamento de 49% no segundo turno. Isso significa 28 pontos, totalizando 42 pontos no final do campeonato. Pontuação suficiente para sair do Z4, ainda mais com a perspectiva desse ano de um aproveitamento inferior aos 38% para não ficar no Z4.
A média de 4 pontos a cada 3 jogos ainda está muito dentro do previsto e esperamos que nos primeiros 3 jogos do segundo turno ,que serão todos em São Paulo, já sejam suficientes para deixar a equipe em uma situação menos ameaçada desde que o time faça 7 pontos.
Se eu fosse o treinador, colocaria como meta atingir uma pontuação suficiente para ficar no mínimo a 6 pontos do Z4. Posição essa que seria confortável para poder administrar os jogos da Copa Sulamericana e o Brasileirão. Esperamos que no próximo mini campeonato, a classificação do Palmeiras já seja melhor. Para que essa situação se concretize, o Palmeiras deverá fazer 9 pontos nos próximos 6 jogos.
Esperamos que com a volta de boa parte dos jogadores contundidos à partir do primeiro jogo do segundo turno e com o trabalho da comissão técnica e diretoria em termos de trabalho de grupo e premiação para motivação dos jogadores, o torcedores não passem por preocupações durante a fase final do torneio.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

Pizzaria Paulista

A rede Pizzaria Paulista, criada em 1902, vem a público divulgar o balanço das suas 16 franquias espalhadas no estado de São Paulo no período de 17 de janeiro a 11 de março de 2018.
Em 2018 tivemos as 3 tradicionais franquias da capital, juntamente com uma das mais famosas unidades, que fica no litoral. Além dessas 4 tradicionais franquias,  constam no balanço unidades de cidades com bom nível de renda per capta e com populações elevadas, sendo duas unidades na Grande São Paulo, mais duas unidades na cidade de Campinas, além de uma unidade em Ribeirão Preto, Araraquara, Sorocaba entre outras ricas cidades do interior paulista.
Em 2018, mesmo com a rede presente nas principais regiões do estado, tivemos uma redução de 9% na presença de clientes. Foram 70 mil pessoas a menos do que no ano passado, primeiro ano após a redução no número de franquias.
Além dessa redução, perdemos R$ 700 mil reais em faturamento bruto, 2% menor do que 2017. Por outro lado o ticket médio subiu 7% , R$ 2,60 a ma…

Hoje é dia de Derby

Derby, uma palavra inglesa que acompanhada dos grandes rivais Palmeiras e Corinthians, cria vida própria. As emoções que remetem a este grande clássico do futebol mundial transcendem as quatro linhas, os 90 minutos, o estádio e, em vários casos, se transformam em lendas, epopeias, grandes batalhas. Vilões se transformam em ídolos e vice versa, menos que por efêmeros momentos. Jogos como estes são capazes, como na vida real e não por acaso, de mudar o rumo dos times nos campeonatos, inverter completamente o estado de espírito, de autoconfiança reinante em cada um dos lados. São raros os confrontos que possuem esse poder mágico de mexer com toda uma cidade, uma nação e que, por 90 minutos, se transformam na coisa mais importante da vida. Muitos podem estar perguntando qual a origem desse termo dentro do futebol. Segue abaixo uma versão resumida que encontrei na internet:
A origem vem da palavra "derby" – ou dérbi, segundo o aportuguesamento da palavra original inglesa, proposto p…