Pular para o conteúdo principal

Público e Renda: Campeonato Brasileiro 2017 R20

Torcida São Paulo 3 x 2 Cruzeiro 13/08/2017 - Morumbi


Broxante.

Não tenho outra palavra para abrir este post. Após uma sequência crescente da média de público pagante e renda bruta, culminando com a rodada 19 sendo a melhor média de público pagante do campeonato, o segundo turno começou de forma broxante.

Apesar de ainda faltar um jogo, que será disputando entre Chapecoense e Corinthians dia 23, mesmo que a Arena Condá esteja lotada a média da R20 atingirá no máximo 14 mil pagantes. Os 13.183 pagantes por jogo da rodada 20 é a quarta pior média do campeonato e a pior média para uma rodada de final de semana.

Mais uma vez se repetiu o que vimos até o momento, quando Corinthians, Palmeiras e Grêmio jogam como visitantes, as médias são inferiores do que quando jogam como mandantes. 

O grande destaque da rodada foi mais uma vez a torcida do São Paulo, com o novo recorde de público pagante do campeonato, com 56.052 torcedores empurrando o tricolor para fora do Z4. Um show dos são paulino que, com o jogo de domingo passado, completou o top 3 dos maiores públicos do campeonato. 

Se por um lado as médias de público do São Paulo no Morumbi estão muito boas, a pergunta que se faz é saber se o tricolor paulista estivesse no meio da tabela a presença de púbico seria tão alta do que na atual posição?

Essa fato que ocorre com a torcida são paulina deve ser levado em questão sobre o comportamento do torcedor brasileiro. Vemos anualmente que as melhores médias de público pagante e renda bruta são dos times melhores classificados na tabela. Essa lógica só não é mantida caso um dos times joguem em estádios com capacidade abaixo de 25 mil, como o Atlético Mineiro e o Flamengo.

O fenômeno que vemos com o torcedor são paulino também é recorrente em momentos onde a torcida compra a causa de ajudar o time a sair da zona do rebaixamento e decide fazer a sua parte na luta para fugir do Z4.

Na minha opinião seria interessante reavaliar a fórmula de disputa, além de outros fatores, visando tomar medidas que possam alterar a média histórica do Brasileirão, que raramente ultrapassou os 20 mil pagantes. Fiz uma análise sobre o tema neste post.

Um campeonato em que o campeão do primeiro turno e do segundo turno disputassem o título não seria interessante para que todos os times e suas torcidas tivessem motivações extras no início do segundo turno?

Além disso, juntamente com a disputa do título, se o segundo e o terceiro colocados de cada turno disputassem um mata mata no final do campeonato valendo as duas vagas diretas na fase de grupos da Copa Libertadores não poderia ser mais um atrativo e fator motivador?

Se tomarmos os exemplos do campeonato alemão e inglês, onde o ante penúltimo colocado disputa com o terceiro colocado da Série B um mata mata valendo a vaga na divisão de elite, não seria mais um fator motivador?

O que percebemos em pesquisas e no comportamento do torcedor é que o brasileiro gosta de ganhar, de um jogo que tenha algo a ser disputado. Será que não chegou a hora de pesquisar quais seriam as opiniões dos torcedores sobre a fórmula de disputa visando transformar o campeonato mais atrativo mercadologicamente, tecnicamente e até animicamente para os jogadores e torcedores?

Quem tiver interesse, fizemos uma pesquisa de satisfação com os torcedores sobre o Brasileirão 2016, e nas sugestões foi recorrente a questão do mata mata.

Precisamos nos preocupar em valorizar o produto, transformá-lo em mais atrativo para todos os envolvidos visando um campeonato mais emocionante, com melhores jogos, disputas que ficam marcantes na história e criando maior atratividade para o torcedor ir aos estádios e arenas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

Hoje é dia de Derby

Derby, uma palavra inglesa que acompanhada dos grandes rivais Palmeiras e Corinthians, cria vida própria. As emoções que remetem a este grande clássico do futebol mundial transcendem as quatro linhas, os 90 minutos, o estádio e, em vários casos, se transformam em lendas, epopeias, grandes batalhas. Vilões se transformam em ídolos e vice versa, menos que por efêmeros momentos. Jogos como estes são capazes, como na vida real e não por acaso, de mudar o rumo dos times nos campeonatos, inverter completamente o estado de espírito, de autoconfiança reinante em cada um dos lados. São raros os confrontos que possuem esse poder mágico de mexer com toda uma cidade, uma nação e que, por 90 minutos, se transformam na coisa mais importante da vida. Muitos podem estar perguntando qual a origem desse termo dentro do futebol. Segue abaixo uma versão resumida que encontrei na internet:
A origem vem da palavra "derby" – ou dérbi, segundo o aportuguesamento da palavra original inglesa, proposto p…

Pizzaria Paulista

A rede Pizzaria Paulista, criada em 1902, vem a público divulgar o balanço das suas 16 franquias espalhadas no estado de São Paulo no período de 17 de janeiro a 11 de março de 2018.
Em 2018 tivemos as 3 tradicionais franquias da capital, juntamente com uma das mais famosas unidades, que fica no litoral. Além dessas 4 tradicionais franquias,  constam no balanço unidades de cidades com bom nível de renda per capta e com populações elevadas, sendo duas unidades na Grande São Paulo, mais duas unidades na cidade de Campinas, além de uma unidade em Ribeirão Preto, Araraquara, Sorocaba entre outras ricas cidades do interior paulista.
Em 2018, mesmo com a rede presente nas principais regiões do estado, tivemos uma redução de 9% na presença de clientes. Foram 70 mil pessoas a menos do que no ano passado, primeiro ano após a redução no número de franquias.
Além dessa redução, perdemos R$ 700 mil reais em faturamento bruto, 2% menor do que 2017. Por outro lado o ticket médio subiu 7% , R$ 2,60 a ma…