Pular para o conteúdo principal

Público e Renda: Campeonato Brasileiro Série A - Rodada 7 e 8



Pela segunda semana seguida tivemos jogos pelo Campeonato Brasileiro no meio e no final da semana. Ainda teremos mais uma semana com dois jogos. Os jogos no meio de semana estão puxando a média de público para baixo. Caso houvessem menos jogos do Brasileirão às quartas e quintas feiras, provavelmente a média de público e renda seria maior.

Das oito rodadas disputadas, as duas que foram jogadas no meio de semana tiveram as piores médias de público com 13,1 mil e 12,6 mil respectivamente.

Os jogos no meio de semana deveriam ser priorizados com as Copas, pois são jogos com maior atrativo para serem disputadas no meio da semana devido à fórmula de disputa, que gera incertezas maiores nos resultados do que em jogos de Campeonato Brasileiro.

Na rodada 7 o destaque mais uma vez foi o Corinthians, com a maior presença de público (30,4 mil), maior renda (R$ 1,462 milhões), taxa de ocupação (68%) e também para o Coxa, com a segunda melhor presença de público (19,5 mil), provavelmente por ter jogado às 16h no feriado de Copus Christi. 

O Flamengo inaugurou a Arena do Urubu e conseguiu o melhor ticket médio da rodada (R$ 61,82), mas a taxa de ocupação foi de 64%. Vamos observar se a diretoria vai priorizar arrecadação ou taxa de ocupação.

A rodada 8 teve a maior média de público do campeonato com 18.381 pagantes, mas com taxa de ocupação mais baixa (36%) e ticket médio (R$ 23,34). Muito bom que essa média foi obtida mesmo com Corinthians e Palmeiras como visitantes.

Os dois times de São Paulo foram responsáveis pela segunda e terceira melhores públicos, rendas, taxas de ocupação e tickets médios da rodada. Bahia e Coritiba tiveram seus melhores públicos, arrecadação, ticket médio e taxa de ocupação como mandantes nos jogos contra Palmeiras e Corinthians respectivamente.

FlaFlu foi o melhor público (34,5 mil), renda (R$ 1,496 milhões) e ticket médio (R$ 43,36). A Chapecoense foi a melhor taxa de ocupação, com 74%. Além disso o Santos obteve sua melhor presença de público no campeonato com quase 20 mil pagantes, renda (R$ 513 mil), taxa de ocupação (53%), mesmo com o torcedor pagando mais caro pelo ingresso (R$ 25,68). Mais um sinal que jogar no Pacaembu está sendo mais vantajoso dentro e fora de campo para o time da baixada santista.

 Pela quinta rodada de final de semana consecutiva a média de público continua crescendo e, como mencionado anteriormente, mesmo com os campeões de público e renda jogando como visitantes.

Após a R8 o Campeonato Brasileiro de 2017 aumentou a média de público pagante (15.068/jogo), se consolidando como a melhor média dos últimos quatro anos, além de se manter como a melhor média em renda bruta (527 mil), taxa de ocupação (40%) e ticket médio (R$ 28,04) dos últimos 4 anos.

Na próxima rodada Corinthians e Palmeiras jogarão como mandantes, podendo impactar positivamente na média de público e renda, pois o Corinthians continua em primeiro lugar e o Palmeiras vem de uma boa vitória como visitante.

Outro fator que deve impactar positivamente é o Grêmio, que vem de uma ótima campanha, e vai jogar como mandante contra os primeiros colocados. Está na hora da torcida tricolor gaúcha comparecer em maior número do que os jogos anteriores.

No próximo post sobre o tema, quando se completará 25% do campeonato, pretendo publicar a primeira análise consolidada dos campões de publico e renda, além dos melhores e piores horários em termos de comparecimento do torcedor aos jogos.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

Pizzaria Paulista

A rede Pizzaria Paulista, criada em 1902, vem a público divulgar o balanço das suas 16 franquias espalhadas no estado de São Paulo no período de 17 de janeiro a 11 de março de 2018.
Em 2018 tivemos as 3 tradicionais franquias da capital, juntamente com uma das mais famosas unidades, que fica no litoral. Além dessas 4 tradicionais franquias,  constam no balanço unidades de cidades com bom nível de renda per capta e com populações elevadas, sendo duas unidades na Grande São Paulo, mais duas unidades na cidade de Campinas, além de uma unidade em Ribeirão Preto, Araraquara, Sorocaba entre outras ricas cidades do interior paulista.
Em 2018, mesmo com a rede presente nas principais regiões do estado, tivemos uma redução de 9% na presença de clientes. Foram 70 mil pessoas a menos do que no ano passado, primeiro ano após a redução no número de franquias.
Além dessa redução, perdemos R$ 700 mil reais em faturamento bruto, 2% menor do que 2017. Por outro lado o ticket médio subiu 7% , R$ 2,60 a ma…

O verdadeiro 7 x 1 é fora de campo

Após a eliminação da Alemanha na fase grupos da Copa do Mundo de 2018 começaram a surgir vários questionamentos nas mídias sociais e na TV se a valorização do futebol alemão até agora seria válida ou não.
Quem tem uma visão resultadista provavelmente adorou a eliminação, criticou a exaltação da Alemanha dos últimos anos, mandou memes, cantou a versão do "Bela Tchau" para os alemães e até questionou se o que os tetracampeões fizeram em 2014 foi realmente merecedor ou apenas coincidência.
Par quem tem uma visão mais ampla de gestão e estratégia provavelmente não caiu no embalo da turma do oba oba e, pelo contrário, até lamentou a precoce eliminação alemã. Para entender a questão campo do resultado obtido pelos alemães em 2018, recomendo a excelente análise do Leonardo Miranda.
Referente a questão da gestão e da estratégia de como o produto futebol é gerido pela federação e pela liga alemã, o 7 x 1 fora de campo continuará imperando por muito tempo caso a visão resultadista e limi…