Pular para o conteúdo principal

Público e Renda: Campeonato Brasileiro Serie A 2017 - Rodada 2



A segunda rodada do Brasileirão 2017 demonstra quanto Flamengo, Palmeiras e Corinthians impactam na comparecimento de público nos estádios e arenas. Como os três times jogaram como visitante, a média de público pagante caiu 33% em comparação a primeira rodada. 

Dos mais de 17 mil pagantes/jogo da primeira rodada, houve uma queda para 11.597 pagantes/jogo na segunda rodada, impactando diretamente na renda bruta, com queda de 51%, média de R$ 352.656/jogo. 

Por outro lado a taxa de ocupação subiu de 35% para 42%, provavelmente devido a grande parte dos jogos terem sido disputados em estádios de menor capacidade. Também o ticket médio se manteve praticamente estável, R$ 30,94, um incremente de R$ 0,68 sobre a primeira rodada.

Destaque positivo da rodada foi a torcida do Vasco da Gama, maior público pagante, renda bruta e taxa de ocupação. Dos três times que mais levam público aos estádios nos últimos anos, destaque para o jogo do Corinthians contra o Vitória em Salvador, com a terceira melhor média de público:

Vasco da Gama : 17.770 / R$ 649.110 / 81% / R$ 36,53
Atlético PR : 17.244 / R$ 381.490 / 43% / R$ 22,12
Vitória:  16.515 / R$ 460.430 / 34% / R$ 27,88

Como visitantes, Flamengo e Palmeiras  tiveram os maiores tickets médios da rodada, R$ 42,31 e R$ 43,99 respectivamente. Esses valores praticados por Atlético Goianiense e Chapecoense foram 39% superiores ao ticket médio da rodada. 

Essa fato recorrente pode estar impactando numa possível redução de potenciais torcedores que queiram assistir aos jogos dos grandes times nos menores centros. Um ponto a ser avaliado durante o campeonato.

Na terceira rodada novamente Flamengo, Palmeiras e Corinthians jogam como visitantes, mas por outro lado teremos três clássicos e talvez a média de público possa aumentar devido às rivalidades regionais. Em 2016 os clássicos foram os jogos com maior média de público, renda, taxa de ocupação e ticket médio. Vamos verificar se esse comportamento se repete em 2017.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O verdadeiro 7 x 1 é fora de campo

Após a eliminação da Alemanha na fase grupos da Copa do Mundo de 2018 começaram a surgir vários questionamentos nas mídias sociais e na TV se a valorização do futebol alemão até agora seria válida ou não.
Quem tem uma visão resultadista provavelmente adorou a eliminação, criticou a exaltação da Alemanha dos últimos anos, mandou memes, cantou a versão do "Bela Tchau" para os alemães e até questionou se o que os tetracampeões fizeram em 2014 foi realmente merecedor ou apenas coincidência.
Par quem tem uma visão mais ampla de gestão e estratégia provavelmente não caiu no embalo da turma do oba oba e, pelo contrário, até lamentou a precoce eliminação alemã. Para entender a questão campo do resultado obtido pelos alemães em 2018, recomendo a excelente análise do Leonardo Miranda.
Referente a questão da gestão e da estratégia de como o produto futebol é gerido pela federação e pela liga alemã, o 7 x 1 fora de campo continuará imperando por muito tempo caso a visão resultadista e limi…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a sua base em sócio torcedores, em bilheteria e sócios do clube social. Houve um ajuste na análise pois faltaram os dados de faturamento de bilheteria do Grêmio.

Pelo segundo ano consecutivo, efetuei um estudo visando calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.

Os dados foram coletados do relatório no siteSports Value. O número de torcedores foi baseado na última pesquisa Datafolha de abril de 2018. Apesar do faturamento com bilheteria não constar no balanço de Corinthians, Grêmio e Fluminense, para não haver distorção na análise, foi considerado o faturamento bruto coletado no site globoesporte.com.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedores em todo o território nacional:




Nessa análise é possível verificar que, como no ranking anterior, o Botafogo é o grande destaque com faturamento de 42 mi…

O custo por ponto conquistado no Brasileirão 2017

Após a publicação sobre a eficácia dos times brasileiros referente a gestão dos custos do departamento de futebol e o desempenho no campeonato brasileiro, foi sugerido uma análise sobre o custo por cada ponto conquistado pelas equipes.
Foi considerado na análise os mesmos valores do post anterior, 8 meses da temporada. Segue abaixo a relação:

Pela tabela podemos observar que um custo abaixo de R$ 50 milhões (R$ 6,25  milhões/mês)  aumenta o risco de um time ser rebaixado, casos de Ponte Preta e Coritiba. Sport se livrou nas últimas rodadas, bem como o Vitória. 
Em 2016 vários times com R$ 5 milhões/mês conseguiram êxito, como a própria Ponte Preta, além do Vitória, Sport e Chapecoense. Provavelmente os custos com salários devem ter sido inflacionados em 2017, pois apenas três times tiveram gastos abaixo de 50 milhões. Em 2016 seis times tiveram orçamentos abaixo dos 50 milhões.
O mesmo se observa para os times que chegaram entre os seis primeiros colocados. Nenhum time gastou menos do que…