Pular para o conteúdo principal

Mamãe não Quer, Papai não Deixa



Alguns devem entender o título deste post, outros não. Portanto, antes de desenvolver o tema, vamos à explicação desse ditado popular.

Quando a gente era moleque, lá no Tatuapé, tinham dias em que  combinávamos algo pra fazer, e algumas vezes a mãe de um dos colegas não deixava ele ir. Na hora de sairmos, o colega falava que não poderia ir e aí todos começavam a caçoar dele (hoje seria bullyng?) gritando em grupo:

"Mamãe não quer, papai não deixa!"

Utilizo esse mesmo ditado para desenvolver o tema deste post.

Se estivéssemos num país com gestão esportiva profissional e competente, o derby centenário entre Palmeiras e Corinthians NUNCA!! seria numa quarta feira às 21:45 com torcida única. Já fiz um post sobre a história do Derby, quem tiver curiosidade clique aqui.

Quando ousamos questionar essa situação é comum escutarmos que é por causa da TV que compra os direitos e paga alto para isso e por causa da Federação Paulista de Futebol que é a dona do torneio. Conclusão:

"Mamãe não quer, papai não deixa".

Já repeti milhares de vezes que no Brasil ainda focam como fator promocional de um evento esportivo o jogo em si, foco nas quatro linhas. Como a gestão esportiva ainda é muito limitada em termos de recursos e competência, os times perderam uma grande oportunidades de promover o derby centenário além de potencias formas de ativações com os patrocinadores do Campeonato Paulista e de ambos os times.

Primeiramente, um jogo como esse deveria ser num domingo às 16h, horário clássico de um jogo dessa magnitude e repercussão. 

Para evitar contusões e riscos de desmotivações antes do jogo, a data deveria ser num domingo sem que houvesse rodada no meio da semana. Dessa forma as equipes se preparariam durante toda a semana da melhor forma possível para o grande jogo do final da semana.

Durante toda a semana seria possível se efetuar uma série de ativações do jogo, tanto on line como off line, por exemplo:

- entrevistas coletivas em conjunto, em diferentes dias, dos presidentes, treinadores e grandes ídolos dos dois times;

- gerar conteúdos exclusivos em todas as mídias sociais;

- relembrar jogos históricos nos canais do youtube com participações ao vivo dos ídolos, interagindo com os torcedores;

- entrevistas coletivas em cada clube com seus heróis históricos do derby;

- ações promocionais dos patrocinadores da competição e dos times utilizando o derby como tema;

- participação dos jogadores, treinadores e grandes ídolos em campanhas promocionais na TV e nas mídias sociais promovendo o espetáculo;

- exibição de jogos históricos nos cinemas com ativações dos patrocinadores;

- debates com historiadores no museu do futebol, na sede da Federação Paulista e nos clubes;

- criar uma camisa comemorativa para ser comercializada para exclusivamente para o jogo.

Essas ações só iriam aumentar o clima para o grande jogo de domingo, preparando o clima do torcedor, tanto os que irão como os que não irão ao jogo.

Durante o dia da partida outra série de ativações e de entretenimento poderiam ser efetuados:

- jogo entre estrelas dos dois times na preliminar;

- sorteios de brindes antes, durante e depois do jogo;

- shows musicais antes e depois do jogo;

- colocar uma taça para ser disputada; 

Todo esse clima seria suficiente para que o jogo fosse um grande evento esportivo e de entretenimento, inclusive afetando a motivação dos jogadores com todo o clima de festa e expectativa da semana.

Uma medida, mesmo que em caráter de exclusividade, seria autorizar a presença das duas torcidas, se possível dividindo o estádio, como nos áureos temos do derby. Eu sou da época de pegar o ônibus gratuito da CMTC e ir conversando com os torcedores sobre quantos gomos cada torcida iria ocupar no Morumbi, qual seria a melhor festa das Torcidas Organizadas, quais surpresas elas iriam fazer naquele jogo.

Gostaria muito que, apenas por uma única vez, que fosse possível rememorar esses momentos que nunca sairão da minha memória afetiva e de milhões de torcedores que tiveram a experiência de ir a um Palmeiras e Corinthians no Morumbi até os anos 90. Tenho certeza que as novas gerações iriam se apaixonar por uma experiência como a que tínhamos naquela época, podendo ser um fomentador de novas paixões por um dos times e pelo derby.

A belíssima história dos 100 anos de derby não se construiu com jogos as 21:45 as quartas feiras nem com torcida única.Se não mudarem essa mentalidade não sei como esse maravilhoso clássico chegará aos 200 anos. Para mim Palmeiras e Corinthians sempre será como a foto abaixo.

#derbycentenário


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

Pizzaria Paulista

A rede Pizzaria Paulista, criada em 1902, vem a público divulgar o balanço das suas 16 franquias espalhadas no estado de São Paulo no período de 17 de janeiro a 11 de março de 2018.
Em 2018 tivemos as 3 tradicionais franquias da capital, juntamente com uma das mais famosas unidades, que fica no litoral. Além dessas 4 tradicionais franquias,  constam no balanço unidades de cidades com bom nível de renda per capta e com populações elevadas, sendo duas unidades na Grande São Paulo, mais duas unidades na cidade de Campinas, além de uma unidade em Ribeirão Preto, Araraquara, Sorocaba entre outras ricas cidades do interior paulista.
Em 2018, mesmo com a rede presente nas principais regiões do estado, tivemos uma redução de 9% na presença de clientes. Foram 70 mil pessoas a menos do que no ano passado, primeiro ano após a redução no número de franquias.
Além dessa redução, perdemos R$ 700 mil reais em faturamento bruto, 2% menor do que 2017. Por outro lado o ticket médio subiu 7% , R$ 2,60 a ma…

Hoje é dia de Derby

Derby, uma palavra inglesa que acompanhada dos grandes rivais Palmeiras e Corinthians, cria vida própria. As emoções que remetem a este grande clássico do futebol mundial transcendem as quatro linhas, os 90 minutos, o estádio e, em vários casos, se transformam em lendas, epopeias, grandes batalhas. Vilões se transformam em ídolos e vice versa, menos que por efêmeros momentos. Jogos como estes são capazes, como na vida real e não por acaso, de mudar o rumo dos times nos campeonatos, inverter completamente o estado de espírito, de autoconfiança reinante em cada um dos lados. São raros os confrontos que possuem esse poder mágico de mexer com toda uma cidade, uma nação e que, por 90 minutos, se transformam na coisa mais importante da vida. Muitos podem estar perguntando qual a origem desse termo dentro do futebol. Segue abaixo uma versão resumida que encontrei na internet:
A origem vem da palavra "derby" – ou dérbi, segundo o aportuguesamento da palavra original inglesa, proposto p…