Pular para o conteúdo principal

Comportamento do Torcedor no Campeonato Brasileiro 2015




Finalizando as análises sobre o comportamento do torcedor no Campeonato Brasileiro 2015, seguem os dados consolidados para que os gestores possam adotar estratégias visando aumento de público nos estádios e arenas:

Jogos Final de Semana x Jogos Dia de Semana

Público Médio Final de Semana : 17.488
Público Médio Meio de Semana:  15.875

Renda Média Final de Semana: R$ 651.345
Renda Média Meio de Semana: R$ 587.859

Taxa de Ocupação Fim de Semana:  43%
Taxa de Ocupação Meio de Semana: 41%

Ticket Médio Final de Semana: R$ 31,21
Ticket Médio Meio de Semana: R$ 30,13

Os números demonstram que, no final de semana,  existe um incremento de 10% de média de público, arrecadação 11% superior, 5% maior em taxa de ocupação e 3,6%  superior no ticket médio. 

Nesse quesito, visando aumentar a média de público, o ideal seria diminuir o número de jogos no meio de semana, priorizando essas datas para as Copas Nacionais e Internacionais. Não é de se surpreender porque as principais ligas do mundo priorizam o final de semana para os jogos do campeonato nacional e as Copas para o meio da semana.

Caso houver limite de datas adicionais no final de semana, seria interessante trabalhar com preços de ingressos, promoções e entretenimento para aumentar o público, além de alterar o horário dos jogos para no máximo 21h, já que os dados comprovam que as 4 principais médias de público são em horários dos jogos vespertinos no final de semana.

Jogos Clássicos

Público Médio Clássicos: 22.438
Público Médio Demais Jogos: 16.537

Renda Média Clássicos: R$ 1.021,137
Renda Média Demais Jogos: R$ 594.534

Taxa de Ocupação Clássicos: 54%
Taxa de Ocupação Demais Jogos: 42%

Ticket Médio Clássicos: R$ 37,43
Ticket Médio Demais Jogos: R$ 30,27 

Em todos os quesitos os jogos clássicos conseguem números muito superiores: 36% em média de público, 71% em arrecadação, 28% em taxa de ocupação e 24% em ticket médio. Foram considerados clássicos apenas jogos de equipes da mesma cidade. Provavelmente, se fosse considerado em clássicos interestaduais ( jogos entre os 12 clubes com maior torcida no Brasil) a diferença poderia ser maior ainda. Além disso 83% dos clássicos foi disputado no final de semana, reforçando a média de público nesses dias da semana. 

Visando aumentar a média de público nos demais jogos, seria interessante ações de preço, promoções, ações de entretenimento, jogos em horários mais atrativos para esse tipo de partida.

Jogos em Arena x Jogos em Estádio

Público médio Arenas : 24.364
Publico médio Estádios: 11.308

Renda média Arenas: R$ 1.046.259 
Renda média Estádios: R$ 305.812

Taxa de ocupação Arenas: 46%
Taxa de ocupação Estádios: 40%

Ticket médio Arenas: R$ 39.41
Ticket médio Estádios: R$ 24,21

OBS: foram consideradas Arenas os equipamentos esportivos reformados e/ou construídos para a Copa do Mundo, além da Arena do Grêmio e o Allianz Parque.

Neste quesito é possível verificar que as arenas atraem mais do que o dobro em média de  público, que faturam o triplo em arrecadação bruta, conseguindo 15% maior taxa em ocupação que os estádios e que pagam 63%  mais por um ingresso. 

As novas arenas estão atraindo um novo público, além da curiosidade para conhecer os novos estádios por parte de uma fatia dos torcedores. Além disso esses equipamentos são mais confortáveis, possuem melhores serviços, gerando uma nova experiência ao assistir aos jogos mais próximos dos jogadores. Fatores que agregam mais valor ao produto, atraindo um novo tipo de público aos estádios. 

Ainda existem muitas melhorias a serem efetuadas, tanto externamente (ex: transporte público, estacionamento, acessos para dentro das arenas) bem como internamente ( ex: melhor qualidade e variedade de serviços de alimentação, quiosques com venda de produtos oficiais, restaurantes). 

Para as equipes que não possuem Arenas, vale a pena avaliar como efetuar melhorias nos serviços prestados visando aumentar o valor agregado do preço do ingresso, além de atrair outro tipo de público, que não tem o hábito de frequentar os estádios.

Equipes com melhor performance x equipes com pior performance

Público médio melhor performance : 24.936
Publico médio pior performance: 14.857

Renda média melhor performance: R$ 1.087.077
Renda média pior performance: R$ 505.363

Taxa de ocupação melhor performance: 57%
Taxa de ocupação pior performance: 39%

Ticket médio melhor performance: R$ 38,73
Ticket médio pior performance: R$ 28,72

OBS: foram considerados equipes com melhor performance as que estavam no G4 ou que tiverem sequencia de 3 vitórias ou 2 vitórias e 1 empate consecutivos.

Como esperado as equipes com melhor performance atraem mais público, conseguindo maior arrecadação, tendo seus preços de ingressos mais caros e com taxa de ocupação superior às equipes com pior performance. Novamente vale a mesma sugestão dos outros quesitos pesquisados para as equipes com performance inferior: ações de preço, promoções, ações de entretenimento, jogos em horários mais atrativos para esse tipo de partida.

Esses dados são a prova do porque Corinthians (Arena e Performance), Palmeiras (Arena), Flamengo (Arena) , Atlético Mineiro (Performance e 6 jogos em Arena) e Grêmio (Arena e Performance) são as maiores médias de público, renda, taxa de ocupação e ticket médio. 

Como conclusão é possível detectar que a performance é um fator muito importante para atrair mais público, arrecadação e taxa de ocupação aos jogos, e o grande desafio dos gestores é saber trabalhar outras variáveis para conseguir aumentar os público nos seus respectivos estádios e arenas, independente da performance. Jogos em Arenas e os Jogos Clássicos são posteriormente os fatores que conseguem atrair mais público.

Fatores como o plano sócio torcedor e as novas arenas podem estar influenciando de forma decisiva.Uma série de análises futuras deverão ser efetuadas para se verificar quais são os fatores que mais impactam na decisão do torcedor além da performance.



Comentários

  1. No meu ponto de vista, existe mais um fator que pode influenciar decisivamente o comparecimento da torcida aos estádios: A saúde administrativa do clube. Quando a torcida percebe que existem disputas internas desleais, os torcedores perdem o interesse.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a base de torcedores em sócio torcedores e em compra de ingressos para os jogos de futebol. Aprofundando um pouco mais o estudo surgiu a curiosidade em calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.
A base de torcedores utilizada foi a pesquisa de 2016 do Instituto Paraná Pesquisas, pois é a mais recente do mercado. Como base do consumo de cada torcida foram utilizados os dados compilados pelo Rodrigo Capelo do blog Época Esporte Clube, onde foi considerado como consumo dos torcedores as receitas com bilheteria, sócios torcedores e sócios patrimoniais. No caso do Corinthians, apesar do balanço não considerar receitas com bilheteria, na análise foi considerado R$ 48 milhões líquidos com essa fonte de receita, de acordo com o balanço do fundo do estádio.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedore…