Pular para o conteúdo principal

A defesa é o melhor ataque?




Provavelmente vocês já estão habituados com o ditado " A melhor defesa é o ataque", mas eu quero provocar o trocadilho baseado no campeão do primeiro turno do Campeonato Brasileiro de 2015, o Corinthians.

Baseado nos dados consolidados do primeiro turno, fiz uma avaliação das estatísticas coletivas entre as 20 equipes e o que encontrei aparentemente pode desconstruir o aproveitamento do Corinthians. Normalmente quem termina na primeira posição em campeonatos de pontos corridos está entre as melhores estatísticas coletivas e individuais, como o Cruzeiro de 2014:

  • maior número de vitórias
  • melhor ataque
  • quarta melhor defesa
  • melhor média de posse de bola
  • equipe que mais chuta a gol
  • melhor média de passes certos
  • equipe com melhor recuperação de bola


Já o Corinthians, mesmo sendo a equipe com o maior número de vitórias, possui números medianos nos mesmos quesitos:

  • maior número de vitórias
  • quinto melhor ataque
  • melhor defesa
  • nona melhor média de posse de bola
  • oitavo melhor equipe que mais chuta a gol
  • quarta melhor média de passes certos
  • sétimo equipe com melhor recuperação de bola

Como é possível de se notar, são números que não sustentam uma campanha tão sólida, mas quando se observa outras ações defensivas, o Corinthians é destaque nas seguintes ações:

  • terceira melhor equipe que mais ganha divididas na defesa
  • quinta melhor equipe em desarmes, sendo a segunda melhor em desarmes com sucesso
  • quarta melhor equipe em intercepções de bola
* Dados: Summary Report (Instat Football)


Desde 2006 em 4 ocasiões a equipe com melhor defesa foi campeã mesmo não tendo o melhor ataque, fato esse que pode levar a conclusão que o Corinthians poderá ser campeão baseado em seu sólido sistema defensivo e de uma forma muito coletiva, pois individualmente poucos jogadores do Corinthians estão entre os melhores.

Baseado nas estatísticas a seleção do primeiro turno é:

Cássio (Corinthians); Wellington Silva (Fluminense), Manoel (Cruzeiro), Wallace (Flamengo) e Douglas Santos (Atlético Mineiro); Rafael Carioca (Atlético Mineiro) e Williams (Cruzeiro), Jadson (Corinthians), Lucas Lima (Santos), Alexandre Pato (São Paulo); Lucas Pratto (Atlético Mineiro).

Como conclusão é possível compreender que o Corinthians está dentro das análises estatísticas que os autores do livro " Os Números do Jogo" conseguiram comprovar estatisticamente:

- Marcar 10 gols a mais reduziu a expectativa de derrota em  1,76
- Levar 10 gols a menos reduziu o a expectativa de derrota em 2,35
- Cada gol que um time deixa de sofrer é 33% mais valioso que os gols marcados

O gráfico abaixo ilustra perfeitamente a análise e é uma quebra de paradigma que já foi comprovada e estamos vendo acontecer novamente no Campeonato Brasileiro de 2015. Veremos se no final do campeonato teremos a concretização das estatísticas.

Que venha o segundo turno.


Fonte: Os números do jogo



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O verdadeiro 7 x 1 é fora de campo

Após a eliminação da Alemanha na fase grupos da Copa do Mundo de 2018 começaram a surgir vários questionamentos nas mídias sociais e na TV se a valorização do futebol alemão até agora seria válida ou não.
Quem tem uma visão resultadista provavelmente adorou a eliminação, criticou a exaltação da Alemanha dos últimos anos, mandou memes, cantou a versão do "Bela Tchau" para os alemães e até questionou se o que os tetracampeões fizeram em 2014 foi realmente merecedor ou apenas coincidência.
Par quem tem uma visão mais ampla de gestão e estratégia provavelmente não caiu no embalo da turma do oba oba e, pelo contrário, até lamentou a precoce eliminação alemã. Para entender a questão campo do resultado obtido pelos alemães em 2018, recomendo a excelente análise do Leonardo Miranda.
Referente a questão da gestão e da estratégia de como o produto futebol é gerido pela federação e pela liga alemã, o 7 x 1 fora de campo continuará imperando por muito tempo caso a visão resultadista e limi…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a sua base em sócio torcedores, em bilheteria e sócios do clube social. Houve um ajuste na análise pois faltaram os dados de faturamento de bilheteria do Grêmio.

Pelo segundo ano consecutivo, efetuei um estudo visando calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.

Os dados foram coletados do relatório no siteSports Value. O número de torcedores foi baseado na última pesquisa Datafolha de abril de 2018. Apesar do faturamento com bilheteria não constar no balanço de Corinthians, Grêmio e Fluminense, para não haver distorção na análise, foi considerado o faturamento bruto coletado no site globoesporte.com.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedores em todo o território nacional:




Nessa análise é possível verificar que, como no ranking anterior, o Botafogo é o grande destaque com faturamento de 42 mi…

O custo por ponto conquistado no Brasileirão 2017

Após a publicação sobre a eficácia dos times brasileiros referente a gestão dos custos do departamento de futebol e o desempenho no campeonato brasileiro, foi sugerido uma análise sobre o custo por cada ponto conquistado pelas equipes.
Foi considerado na análise os mesmos valores do post anterior, 8 meses da temporada. Segue abaixo a relação:

Pela tabela podemos observar que um custo abaixo de R$ 50 milhões (R$ 6,25  milhões/mês)  aumenta o risco de um time ser rebaixado, casos de Ponte Preta e Coritiba. Sport se livrou nas últimas rodadas, bem como o Vitória. 
Em 2016 vários times com R$ 5 milhões/mês conseguiram êxito, como a própria Ponte Preta, além do Vitória, Sport e Chapecoense. Provavelmente os custos com salários devem ter sido inflacionados em 2017, pois apenas três times tiveram gastos abaixo de 50 milhões. Em 2016 seis times tiveram orçamentos abaixo dos 50 milhões.
O mesmo se observa para os times que chegaram entre os seis primeiros colocados. Nenhum time gastou menos do que…