Pular para o conteúdo principal

Campeonato Brasileiro 2015 - Série A : Os Números do Jogo


Depois de dois finais de semana empolgantes com as decisões dos Estaduais, comprovando vários autores acadêmicos que já mencionaram que o público vai ao estádio em jogos com onde existe rivalidade e incerteza no resultado, vai se iniciar o que realmente vale na temporada, que é o Campeonato Brasileiro Séries A, B, C e D, além das fases decisivas da Libertadores e a Copa do Brasil em suas fases finais no segundo semestre.

O tema campeonato estadual continua em debate, já fui a favor da extinção dos Estaduais, mas pelo seu charme e pelo que vimos nos últimos 2 finais de semana, se a fórmula de disputa for atraente e o número de times for reduzido ainda teria espaço no calendário, mas no máximo em 4 semanas.

Para quem não se recorda, a Copa América será disputada no Chile em junho, mas o Campeonato Brasileiro não vai parar durante a disputa, mostrando o quanto o calendário dos estaduais afeta diretamente no restante da temporada. O Brasil jogará dias 14, 17 e 21 de Junho e teremos rodada do Brasileirão dias 11, 19. Com a provável classificação do Brasil para a fase eliminatória, o jogo será dia 27 de Junho, mesma data que tem jogos marcados pelo Campeonato Brasileiro. A semi final será dia 30 e a final dia 4 e teremos rodada do Brasileirão dias 2 e 5 de julho. 

Desta forma não há produto que resista, sem contar que termos as oitavas e quartas de final da Libertadores entre os dias 6 e 27 de maio, onde teremos as 4 primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro, e provavelmente as 5 equipes envolvidas entrarão com seus times reservas, o que também diminui a importância da partidas e pode prejudicar as 5 equipes no decorrer do campeonato.

Por mais que todos nós sabemos que as 38 rodadas têm a mesma importância, muitos clubes não dão a importância necessária, o que prejudica muito quem não se dedicar 100% a partir do próximo domingo. Praticamente em quase todos os anos quem acabou nas primeiras posições no final do primeiro turno se sagrou campeão ou se classificou para a Libertadores, comprovando que o primeiro turno é fundamental para a classificação final.

Como estamos falando em números decorrente dos melhores desempenhos em campo,pelo quinto ano consecutivo costumo mostrar em números o que é necessário para ser campeão brasileiro, se classificar para  o G4 e fugir do rebaixamento. Também procuro fazer uma avaliação de tendências fatiando o torneio em mini campeonatos.

Para começar, seguem abaixo os dados estatísticos médios levantados desde 2006:

  • A média de pontos para ser campeão Brasileiro é  76 pontos ( 66.6% de aproveitamento). Somente em 2009 o Flamengo, com 69 pontos,  foi campeão abaixo dos 70 pontos;
  •  A média mínima de pontos para se classificar para o G4 é de 63 pontos (55% de aproveitamento). Apenas o Botafogo em 2013,  com 61 pontos, conseguiu chegar ao G4 com menor aproveitamento;
  • Desde 2006, apenas dois clubes fora dos quatro principais estados do Brasil se classificou para o G4, o Paraná em 2006 e o Atlético-PR em 2013;
  • A média de pontos para não ser rebaixado é de 43 pontos ( 38% de aproveitamento). Somente em 2006 e em 2014 o 17º  colocado ficou abaixo de 40 pontos ( Ponte Preta 39 pontos em 2006 e o Vitória 38 pontos em 2014);
  • A média de gols marcados para um time ser campeão é de 62 gols. Em apenas 03 anos o campeão fez menos que 60 gols.
  • A média de gols marcados para um time  se classificar no G4 é de 53 gols. Em apenas em 02 anos um time do G4 fez menos que 50 gols (Corinthians em 2014 e Bofafogo em 2013);
  • A média de gols sofridos para um time ser campeão é de 34 gols. Em apenas 01 ano um time foi campeão sofrendo mais de 40 gols.
  • A média de gols sofridos para um time se classificar no G4 é de 46 gols. Em apenas 02 anos um time do G4 sofreu mais de 50 gols.
  • Em três vezes o Campeão Estadual se tornou Campeão Brasileiro na mesma temporada (Flamengo 2009 / Fluminense 2012/ Cruzeiro 2014)
  • Em média 02 Campeões Estaduais dos 4 principais estados do Brasil se classificam para o G4. Nos últimos 02 anos apenas 01 Campeão Estadual se classificou no G4 em 2013. 

Baseado nessas estatísticas podemos prever que, em tese Internacional, Atlético Mineiro, Vasco e Santos possuem 33% de chance de serem campeões e de 50% de se classificarem no G4.
      
   Estatisticamente os possíveis candidatos ao título e/ou G4, baseado no elenco e na performance atual além da probabilidade estatística podem ser: Internacional, Corinthians,  Atlético Mineiro, Santos, Cruzeiro, Palmeiras,e Vasco.

      Agora é a hora de colocar a calculadora para funcionar, pois os números do jogo dificilmente não se comprovam na prática e estão
baseados nos dados estatísticos que venho levantando anualmente.

      "Os números frios apenas mostram O quê dos dados , os analistas procuram o Por quê dos dados." ( Os Números do Jogo).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Alienistas

Tudo começou em 1995, na final da Supercopa São Paulo de Juniores. Após o gol de ouro que deu o título ao Palmeiras, os palmeirenses invadiram o gramado para comemorar e foram provocar os são paulinos, que, aproveitando a pouca presença de policiais, invadiram o gramado, transformando o campo de jogo na primeira batalha campal entre torcidas organizadas transmitidas ao vivo pela TV. 
As consequências foram a morte do garoto Márcio Gasparin, a condenação de Adalberto Benedito do Santos e, pela primeira vez, as organizadas Mancha Verde e Independente foram extintas pelo promotor público Fernando Capez, que comentou na época: “Era necessário um tratamento de choque.”
Como na belíssima obra O Alienista, de Machado de Assis, a partir dessa época começou a batalha dos Alienistas contra a festa popular nas arquibancadas do Brasil. Depois dessa medida, as bandeiras, instrumentos, faixas, papéis picados, rojões, fogos de artifício, sinalizadores foram proibidos, além de não poder vender cerveja.…

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores parte 2 : Precificação

Na semana passada iniciei uma série de posts referentes aos fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores. O próximo fator que gostaria de compartilhar com vocês é a precificação dos ingressos.
Como ponto de partida dessa análise, vamos avaliar o comportamento do torcedor do São Paulo em alguns jogos no Morumbi:
23/03/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 3.118 Renda Bruta: R$ 123.026 Ticket Médio: R$ 39,49
06/07/2016 – Copa Libertadores da América São Paulo 1 x 2 Atlético Nacional (semi final) Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 61.766 Renda Bruta: R$ 7.526.480 Ticket Médio: R$ 121,85
22/10/2016 – Campeonato Brasileiro São Paulo 2 x 0 Ponte Preta Dia da semana: sábado Horário: 17:00h Público Pagante: 49.673 Renda Bruta: R$ 600.541 Ticket Médio: R$ 12,09
12/02/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 5 x 2 Ponte Preta Dia da semana: domingo Horário: 17:00h Público Pagante: 50.952 Renda Br…