Pular para o conteúdo principal

A Taxa de Conversão de Gols em Pontos - Artilheiros 2014



Como efetuado no Campeonato Brasileiro 2013, fiz novamente uma análise referente à performance dos artilheiros, baseado livro "Os Números do Jogo".



De acordo com os dados estatísticos, um único gol praticamente garante pelo menos um ponto, dois gols deixam um time mais perto da vitória que do empate e com mais de dois gols os times se aproximam muito da vitória. Esse padrão se repete nas quatro principais ligas mundiais ( Inglaterra, Alemanha, Espanha, Itália).

Conforme o gráfico abaixo, a forma de curva prova algo crucial, nem todos os gols são iguais, alguns valem mais do que outros, dependendo do fato de serem o único gol marcado ou terem a companhia de outros. O segundo gol é o gol mais valioso que os demais, aumentando a previsão de pontos em 0,99.






Desta forma é possível fazer uma análise da contribuição de pontos marginais dos principais artilheiros do campeonato para o seu clube. A análise crua e nua da artilharia do campeonato e de cada clube, conforme é efetuado até o momento, pode trazer uma análise distorcida da real performance dos principais artilheiros.  


Fazer o primeiro ou o segundo gol da partida é muito mais importantes do que o terceiro gol em diante, fazendo com que, desta forma, possamos observar os artilheiros que realmente contribuem efetivamente com os pontos dos que apenas são os que colocam a Pá de Cal no resultado final da partida.


De acordo com o gráfico acima foi considerada a seguinte pontuação por gol:

- Primeiro gol: 0,85 pontos
- Segundo gol : 0,99 pontos
- Terceiro gol: 0,50 pontos
- Quarto gol: 0,20 pontos
- Quinto gol: 0,10 pontos

Além dos dados acima, também foi considerada a seguinte pontuação :

- 01 ponto quando o jogador fez o único gol em empate de 1 x 1
- 03 pontos quando o jogador fez o único ou todos os gols da partida
- nenhum ponto quando o jogador fez gol mas a equipe foi derrotada



Baseado nestes dados, foi feito um levantamento dos artilheiros do Brasileirão 2014 e a teoria pode ser comprovada na prática conforme podemos ver abaixo:

Artilharia Brasileiro Série A 2014

1) Fred (FLU)             18 gols
2) Henrique (PAL)      16 gols
3) M. Moreno (CRU)  15 gols
4) R. Goulart (CRU)   15 gols
5) Barcos (GRE)        14 gols
6) Guerrrero (COR)    12 gols
7) Erik (GOI)               12 gols
8) Leandro (CHA)       12 gols

Artilharia baseado na contribuição de Pontos Marginais

1) Barcos (GRE)        18,99 pontos
2)  Guerrero (COR)   16,89 pontos
3) M. Moreno (CRU)   14,56 pontos
4) Henrique (PAL)       14,32 pontos
5) R. Goulart (CRU)    14,10 pontos
6) Fred (FLU)              12,71 pontos
7) Erik (GOI)               12,44 pontos
8) Leandro (CHA)         4,49 pontos


Podemos observar os seguintes fatos com os dados acima:

  • Barcos * (6 jogos) e Guerreiro * ( 4 jogos) contribuíram com mais pontos do que os 4 primeiros artilheiros principalmente devido a vários jogos em que fizeram o único ou todos os gols da partida. 
  • Fred, M. Moreno e R. Goulart, por estarem nas equipes com melhores ataques do campeonato, Cruzeiro * (67 gols) e Fluminense * (61 gols), fizeram parte de um conjunto em que seus gols foram importantes mas menos fundamentais do que os gols de Barcos e Guerrero.
  • Jogadores de equipes com ataques não tão fortes acabam tendo um peso maior dos seus gols, pois seus atacantes são os grandes responsáveis por mais chutes a gol e cobranças de penalidades. Barcos , Guerrero e Henrique estão entre os 7 maiores chutadores a gol do campeonato *, juntamente com dois jogadores do Cruzeiro e do Fluminense.
  • Podemos concluir que atacantes de times médios e pequenos são as referências dos seus respectivos clubes. Quando os mesmos são contratados por equipes grandes esta performance muitas vezes não se repete por vários fatores como pressão, ambiente interno, concorrência por uma vaga.

* Fonte: Instat Football


Existem muitos dados que são muito pouco avaliados na hora de se fazer uma análise mais correta da performance individual e coletiva dentro dos clubes de futebol e,muitas vezes, as contratações são baseadas em fatos empíricos, o que pode acarretar em expectativas não atendidas por parte da comissão técnica, diretoria e torcedores.


Mais uma vez vale salientar que apenas nomes não vão ganhar o jogo, mas sim a execução de um planejamento tático com eficácia, desde que os jogadores tenham as características e  performance adequadas para efetuar as várias funções táticas em campo.


Os dados estatísticos estão só começando a ser utilizado no futebol, enquanto no beisebol, basquete, voleibol e futebol americano estão muito mais adiantados neste quesito. Em breve muitos dados que ainda nem são utilizados vão ser muito mais utilizados nas tomadas de decisão do que apenas o que vemos durante uma partida. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O verdadeiro 7 x 1 é fora de campo

Após a eliminação da Alemanha na fase grupos da Copa do Mundo de 2018 começaram a surgir vários questionamentos nas mídias sociais e na TV se a valorização do futebol alemão até agora seria válida ou não.
Quem tem uma visão resultadista provavelmente adorou a eliminação, criticou a exaltação da Alemanha dos últimos anos, mandou memes, cantou a versão do "Bela Tchau" para os alemães e até questionou se o que os tetracampeões fizeram em 2014 foi realmente merecedor ou apenas coincidência.
Par quem tem uma visão mais ampla de gestão e estratégia provavelmente não caiu no embalo da turma do oba oba e, pelo contrário, até lamentou a precoce eliminação alemã. Para entender a questão campo do resultado obtido pelos alemães em 2018, recomendo a excelente análise do Leonardo Miranda.
Referente a questão da gestão e da estratégia de como o produto futebol é gerido pela federação e pela liga alemã, o 7 x 1 fora de campo continuará imperando por muito tempo caso a visão resultadista e limi…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a sua base em sócio torcedores, em bilheteria e sócios do clube social. Houve um ajuste na análise pois faltaram os dados de faturamento de bilheteria do Grêmio.

Pelo segundo ano consecutivo, efetuei um estudo visando calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.

Os dados foram coletados do relatório no siteSports Value. O número de torcedores foi baseado na última pesquisa Datafolha de abril de 2018. Apesar do faturamento com bilheteria não constar no balanço de Corinthians, Grêmio e Fluminense, para não haver distorção na análise, foi considerado o faturamento bruto coletado no site globoesporte.com.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedores em todo o território nacional:




Nessa análise é possível verificar que, como no ranking anterior, o Botafogo é o grande destaque com faturamento de 42 mi…

O custo por ponto conquistado no Brasileirão 2017

Após a publicação sobre a eficácia dos times brasileiros referente a gestão dos custos do departamento de futebol e o desempenho no campeonato brasileiro, foi sugerido uma análise sobre o custo por cada ponto conquistado pelas equipes.
Foi considerado na análise os mesmos valores do post anterior, 8 meses da temporada. Segue abaixo a relação:

Pela tabela podemos observar que um custo abaixo de R$ 50 milhões (R$ 6,25  milhões/mês)  aumenta o risco de um time ser rebaixado, casos de Ponte Preta e Coritiba. Sport se livrou nas últimas rodadas, bem como o Vitória. 
Em 2016 vários times com R$ 5 milhões/mês conseguiram êxito, como a própria Ponte Preta, além do Vitória, Sport e Chapecoense. Provavelmente os custos com salários devem ter sido inflacionados em 2017, pois apenas três times tiveram gastos abaixo de 50 milhões. Em 2016 seis times tiveram orçamentos abaixo dos 50 milhões.
O mesmo se observa para os times que chegaram entre os seis primeiros colocados. Nenhum time gastou menos do que…