Pular para o conteúdo principal

A Nova Arrancada Heroica



Sábado 27 de setembro de 2014, o dia da Nova Arrancada Heroica do Palmeiras.

Ao adentrar pela primeira vez no Allianz Parque e respirar a atmosfera do nosso novo estádio, o sentimento geral é que o Palmeiras voltará brevemente a ser protagonista no futebol brasileiro, tendo como base para essa nova etapa o novo estádio.

Comemoramos no último dia 20 de setembro os 72 anos da Arrancada Heroica e estamos em vias de começarmos uma nova etapa na história do time com o nosso novo estádio.

As primeiras percepções foram as melhores possíveis em termos da atmosfera que teremos no estádio. Como o evento foi para 3 mil pessoas, não é possível avaliar as questões de circulação de público e serviços, mas foi possível perceber que teremos monitores padrão Copa do Mundo.

A Arena é belíssima, em todos os sentidos, e temos tudo para transformar o estádio em uma grande fonte de receita e de ótimas vitórias e experiências.

Para coroar a noite assistimos ao belo filme 12 de Junho de 1993 - O Filme da Paixão Palmeirense. Para quem como eu viveu na pele a época da fila, foi uma grande emoção rever cada uma das nossas tragédias dos anos 80 até a redenção de 1993.

Durante o filme não há como não traçar um paralelo entre aquele momento e o atual. Entre 1976 e 1992 tivemos várias tragédias, mas nada comparado com os anos 2000, que para mim é muito pior do que o dos anos 80. O Palmeiras atual não precisa apenas voltar a se campeão, precisa se reinventar enquanto clube, na sua forma de fazer política, na forma de gerir o futebol e as demais modalidades de acordo com as demandas atuais que o negócio do esporte exige.

O sentimento geral é que, à partir do Allianz Parque, o clube seja capaz de se reerguer em termos de mentalidade de negócios e juntar o que já está no DNA do Palmeiras - ousadia, resistência e a academia -  com os modernos conceitos de gestão e negócios dos principais clubes do mundo.

A ousadia sempre foi algo presente no Palmeiras e a Nova Arena é nosso atual símbolo dessa ousadia, que foi muito bem enfatizada pelo Mauro Betting no seu discurso de ontem.

Que os os Pilares do Novo Palmeiras sejam implementados e incorporados por toda a comunidade Palmeirense tendo o Allianz Parque como o grande catalizador dessa Nova Arrancada Heroica, para em breve voltarmos a ser protagonistas não só no futebol como em outros esportes, bem como na gestão e na forma de fazer negócios no esporte na atualidade.

Estamos voltando  pra casa.

Poder respirar novamente o clima de jogo ao redor da Turiaçu e Matarazzo e ver o embrião de um grande projeto de sucesso ser formado é algo único e mágico que estamos presenciando.

O próximo passo é evitar uma nova catástrofe e que o novo presidente consiga resgatar os nossos pilares de ousadia, resistência e da academia, que fizeram parte dos nossos grandes presidentes da história, e trazê-los novamente para o dia a dia do clube, transformando esse momento no marco de uma Nova Arrancada Heroica.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O verdadeiro 7 x 1 é fora de campo

Após a eliminação da Alemanha na fase grupos da Copa do Mundo de 2018 começaram a surgir vários questionamentos nas mídias sociais e na TV se a valorização do futebol alemão até agora seria válida ou não.
Quem tem uma visão resultadista provavelmente adorou a eliminação, criticou a exaltação da Alemanha dos últimos anos, mandou memes, cantou a versão do "Bela Tchau" para os alemães e até questionou se o que os tetracampeões fizeram em 2014 foi realmente merecedor ou apenas coincidência.
Par quem tem uma visão mais ampla de gestão e estratégia provavelmente não caiu no embalo da turma do oba oba e, pelo contrário, até lamentou a precoce eliminação alemã. Para entender a questão campo do resultado obtido pelos alemães em 2018, recomendo a excelente análise do Leonardo Miranda.
Referente a questão da gestão e da estratégia de como o produto futebol é gerido pela federação e pela liga alemã, o 7 x 1 fora de campo continuará imperando por muito tempo caso a visão resultadista e limi…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a sua base em sócio torcedores, em bilheteria e sócios do clube social. Houve um ajuste na análise pois faltaram os dados de faturamento de bilheteria do Grêmio.

Pelo segundo ano consecutivo, efetuei um estudo visando calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.

Os dados foram coletados do relatório no siteSports Value. O número de torcedores foi baseado na última pesquisa Datafolha de abril de 2018. Apesar do faturamento com bilheteria não constar no balanço de Corinthians, Grêmio e Fluminense, para não haver distorção na análise, foi considerado o faturamento bruto coletado no site globoesporte.com.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedores em todo o território nacional:




Nessa análise é possível verificar que, como no ranking anterior, o Botafogo é o grande destaque com faturamento de 42 mi…

O custo por ponto conquistado no Brasileirão 2017

Após a publicação sobre a eficácia dos times brasileiros referente a gestão dos custos do departamento de futebol e o desempenho no campeonato brasileiro, foi sugerido uma análise sobre o custo por cada ponto conquistado pelas equipes.
Foi considerado na análise os mesmos valores do post anterior, 8 meses da temporada. Segue abaixo a relação:

Pela tabela podemos observar que um custo abaixo de R$ 50 milhões (R$ 6,25  milhões/mês)  aumenta o risco de um time ser rebaixado, casos de Ponte Preta e Coritiba. Sport se livrou nas últimas rodadas, bem como o Vitória. 
Em 2016 vários times com R$ 5 milhões/mês conseguiram êxito, como a própria Ponte Preta, além do Vitória, Sport e Chapecoense. Provavelmente os custos com salários devem ter sido inflacionados em 2017, pois apenas três times tiveram gastos abaixo de 50 milhões. Em 2016 seis times tiveram orçamentos abaixo dos 50 milhões.
O mesmo se observa para os times que chegaram entre os seis primeiros colocados. Nenhum time gastou menos do que…