Pular para o conteúdo principal

Sobre os Ombros do Gigante





Sábado dia 16/08/2014

Após uma semana fazendo o módulo internacional do Mestrado em Gestão do Esporte na UMASS, uma das mais reconhecidas universidades americanas em negócios do esporte, fui conhecer a Universidade de Harvard.

Como de costume em viagens internacionais, estava com meu sagrado manto verde e branco e, de repente, escuto uma garota gritando com um sotaque estrangeiro:

- Palmeiras! Palmeiras!

Logo ela se aproximou de mim falando que o Palmeiras é o time que toda a família dela torcia no Brasil.

A garota e sua família são da Ucrânia.

Imediatamente me emocionei com aquelas palavras e comentei com ela sobre o nosso centenário e quanto fiquei feliz com aquela demonstração de amor pelo nosso Palmeiras.

Caminhando pelo campus da Harvard Square fiquei meditando sobre aquele momento e sobre esse presente que ganhei e refleti sobre quanto o Palmeiras é Gigante. Ao mesmo tempo fiquei lamentando sobre o atual momento, quanto nos apequenamos em termos de mentalidade e em relação ao tamanho da nossa vitoriosa história.

Sábado dia 23/08/2014

Durante a aula de Metodologia de Pesquisa, nosso Professor Doutor Julio Cunha, ao falar sobre as ferramentas de pesquisa, colocou em sua apresentação a seguinte frase:

" Se eu vi mais longe, foi por estar em pé sobre os ombros de gigantes"
Sir Isaac Newton, 1676 -  referindo-se humildemente aos seus colegas de ciência Kepler e Galileu. 

Essa frase visceralmente reverberou dentro do meu ser e instantaneamente um turbilhão de sentimentos surgiram, dentre eles o atual momento do nosso amado clube, que nessa semana completa seu centenário.

O Palmeiras é um gigante que sempre teve como referências grandes líderes, que comandaram nosso clube em momentos de dificuldades e de glórias.

Como não deixar de reverenciar a Luiz Cervo, que junto com os sonhadores e visionários fundaram a Societá Palestra Itália há 100 anos?

Sobre os ombros desse gigante, outros gigantes tiveram papel fundamental:

- Conde Eduardo Matarazzo
- Italo Adami
- João Minervino 
- Enrico De Martino
- Ferrúcio Sandoli
- Paschoal Giuliano
- Delfino Facchina 

Esses grandes presidentes também ficaram em pé e enxergando mais longe, transformaram o Palmeiras em um time de vanguarda em todos os sentidos, e o clube foi o campeão do século XX.

São de homens e ideais como desses ilustres senhores que o Palestra e o Palmeiras construíram sua história de lutas e de glórias, tornando-se um gigante do futebol mundial.

Carlos Facchina e Beluzzo não se comparam aos gigantes acima citados, mas tiveram visão suficiente para reconhecerem suas limitações e trouxeram mais uma revolução no futebol brasileiro. Como gestores, tiveram mais erros do que acertos, mas com relação à parceria com a Parmalat e à Arena, seus nomes também estarão para sempre na história do Palmeiras.

O que estamos passando nos momentos atuais é um reflexo do que se iniciou após a "gestão" Bruno Sacomani em 1977, que deixou uma verdadeira herança maldita que até os dias de hoje sobrevoa como alma penada as alamedas do Palmeiras.

Conforme mencionado pelo amigo e Historiador do Palmeiras, Jota Christianini, a palavra que mais resume a história do nosso clube é a OUSADIA. Para subir no ombro dos gigantes, coragem e ousadia são fundamentais.

Infelizmente no momento atual, bichos rasteiros e peçonhentos lutam para permanecer no poder, mesmo cegos de visão e vazios de alma, impedindo novos líderes de subirem até o ombro do gigante e levá-lo adiante.

A atual gestão, que por mim e por vários foi percebida como uma esperança de mudança, está pagando caro por se curvar aos bichos escrotos que rastejam nos troncos do gigante e não tiveram força para reverter o quadro atual, mesmo com boas iniciativas.

Eu mesmo fui vítima de ações rasteiras de pessoas que só pensam no poder pelo poder, com inverdades e mentiras que fizeram me afastar politicamente do clube.

O gigante está sem ninguém com coragem e ousadia para ficar de pé em seus ombros, visando levá-lo além dos demais, os que estão ao seu redor são anões, que mal conseguem se equilibrar no ombro do gigante.

São de pessoas com coragem para romper com esses anões e seres peçonhentos que o gigante precisa, mas que o estatuto atual não permite, e que a atual gestão até o momento não conseguiu alterar, o que nos leva cada vez mais a nos apequenar.

Que esse triste aniversário do centenário sirva de reflexão para todos os que fazem parte da política do clube sobre o quê de fato podem fazer para colocar pessoas de coragem no poder, visando romper com tudo que há de errado e preparar o terreno para que tenhamos homens competentes e de coragem para ficar em pé sobre os ombros do gigante.

Espero que em 2114, nossos herdeiros possam ter novos gigantes para se espelhar e levar nosso amado clube adiante, com seu DNA de vanguarda e ousadia.

Aos anões que atualmente frequentam e dominam a política do Palmeiras, larguem o osso e deixem o Palmeiras para os verdadeiros Palmeirenses.

Parabéns Palmeiras, eu sempre te amarei e te apoiarei!!








Comentários

  1. Marcelo,
    Não sou conhecedor como você da política e dos meandros do clube. De fora, o que posso contar é que sinto que a coisa não é boa... como que quando estamos com dor de cabeça (sintoma) mas não temos clareza do real motivo. Como que quando sentimos o cheiro, mas não sabemos onde vaza o esgoto.

    Vejo, de fora, que existe uma vontade imensa de aparecer, de ter seu ego satisfeito às custas de uma paixão.

    A questão é que não é por uma paixão individual, mas uma paixão que é compartulhada por muitos, e aí é complexo.

    Só espero que haja renovação e não reposição...

    Sábado ao entrar no estádio, como sempre, me emocionei... Sábado quando nosso Palmeiras ganhou chorei com tanta coisa engasgada que temos escutado.
    Chorei com o abraço de meu filho que junto comigo conheceu naquela vitória sofrida a qualidade de ser Palmeirense e gritar e empurrar um time fraco, mas um time que veste uma camisa verde linda que tem tanto significado.

    Legal o seu texto... um abraço e, amanhã, feliz aniversário.

    Que a gente possa poder comemorar também o presente. O passado, sabemos que é lindo.

    Marcos Cesar Polifemi

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

Pizzaria Paulista

A rede Pizzaria Paulista, criada em 1902, vem a público divulgar o balanço das suas 16 franquias espalhadas no estado de São Paulo no período de 17 de janeiro a 11 de março de 2018.
Em 2018 tivemos as 3 tradicionais franquias da capital, juntamente com uma das mais famosas unidades, que fica no litoral. Além dessas 4 tradicionais franquias,  constam no balanço unidades de cidades com bom nível de renda per capta e com populações elevadas, sendo duas unidades na Grande São Paulo, mais duas unidades na cidade de Campinas, além de uma unidade em Ribeirão Preto, Araraquara, Sorocaba entre outras ricas cidades do interior paulista.
Em 2018, mesmo com a rede presente nas principais regiões do estado, tivemos uma redução de 9% na presença de clientes. Foram 70 mil pessoas a menos do que no ano passado, primeiro ano após a redução no número de franquias.
Além dessa redução, perdemos R$ 700 mil reais em faturamento bruto, 2% menor do que 2017. Por outro lado o ticket médio subiu 7% , R$ 2,60 a ma…

Hoje é dia de Derby

Derby, uma palavra inglesa que acompanhada dos grandes rivais Palmeiras e Corinthians, cria vida própria. As emoções que remetem a este grande clássico do futebol mundial transcendem as quatro linhas, os 90 minutos, o estádio e, em vários casos, se transformam em lendas, epopeias, grandes batalhas. Vilões se transformam em ídolos e vice versa, menos que por efêmeros momentos. Jogos como estes são capazes, como na vida real e não por acaso, de mudar o rumo dos times nos campeonatos, inverter completamente o estado de espírito, de autoconfiança reinante em cada um dos lados. São raros os confrontos que possuem esse poder mágico de mexer com toda uma cidade, uma nação e que, por 90 minutos, se transformam na coisa mais importante da vida. Muitos podem estar perguntando qual a origem desse termo dentro do futebol. Segue abaixo uma versão resumida que encontrei na internet:
A origem vem da palavra "derby" – ou dérbi, segundo o aportuguesamento da palavra original inglesa, proposto p…