Pular para o conteúdo principal

Chegou o Derby!




Domingo é dia de Derby.

Um dia especial, pois é o dia em que entra em campo a maior rivalidade intergalática de qualquer Palmeirense.

Nada é mais saboroso, prazeroso e extasiante do que ganhar um Derby.

Com certeza os gols em que eu mais gritei e vibrei em toda a minha vida foram contra eles, nas arquibancadas do Morumbi e Pacaembu.

O gol mais gol da minha vida foi o do Zinho em 12/06/93. Talvez nunca mais grite tão forte como aquele gol.

Outro gol contra eles que pra mim é inesquecível foi o gol do Mirandinha aos 42 do segundo tempo da semi-final de 1986.

Em ambos os jogos os gols saíram bem próximos de onde eu estava. A emoção seria a mesma se estivesse do outro lado, mas estar ali antevendo o gol antes que a bola entrasse, como no chute do Zinho, em que eu vi a bola passar pelo goleiro deles antes de tocar a trave direita e morrer nas redes, foi fantástico.

Inesquecível também foi o gol de Marcos na decisão por pênaltis em 2000 pela Libertadores. Gritei forte, fiquei rouco, perdi o fôlego, a voz e o equilíbrio até cair no chão em êxtase, numa viagem sem fim rumo ao Nirvana.

O Divino nos confessou de viva voz que sua conquista mais saborosa foi naquele 22/12/1974.

Isso é o Derby.

Um caleidoscópio de emoções que se misturam intensamente e que em uma bola tudo pode mudar para um lado como para o outro.

Chegou o Derby e o que esperar de domingo?

Um Palmeiras vibrante, impulsionado por milhões de torcedores sedentos por confirmar que estamos voltando ao patamar dos anos de glória.

O sentimento geral é que desde 2008 não sentíamos a confiança de que o time pode ir longe, mesmo ainda em fase de formação.

Por isso o jogo de domingo é importante.

A vitória, mais do que uma certeza de que podemos ganhar o título, será saboreada por deixá-los ainda mais afundados numa crise que parece não querer sair da Marginal sem número.

Não nos esqueçamos do fiasco de 2011, quando eles recém toliminados, ganharam da gente no domingo seguinte. Ressuscitamo-os dos mortos, transformando aquela vitória no embrião do que eles conseguiram depois.

O que espero do nosso time é que joguem por nós, que há anos estamos sedentos por vitórias e auto-afirmação.


Estaremos espalhados pelo mundo, grudados nas TV´s, rádios, laptops e smartphones, apoiando, juntamente com os dois mil que estarão nos representando no estádio, como nossa voz, nosso coração e nossa alma, para novamente transcender nossa camisa e nossa aura para o local reservado para poucos, que é tê-los como freguês histórico.

Jogadores, domingo será o grande dia.

O divisor de águas.

O dia em que podemos ser deuses.
























Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O verdadeiro 7 x 1 é fora de campo

Após a eliminação da Alemanha na fase grupos da Copa do Mundo de 2018 começaram a surgir vários questionamentos nas mídias sociais e na TV se a valorização do futebol alemão até agora seria válida ou não.
Quem tem uma visão resultadista provavelmente adorou a eliminação, criticou a exaltação da Alemanha dos últimos anos, mandou memes, cantou a versão do "Bela Tchau" para os alemães e até questionou se o que os tetracampeões fizeram em 2014 foi realmente merecedor ou apenas coincidência.
Par quem tem uma visão mais ampla de gestão e estratégia provavelmente não caiu no embalo da turma do oba oba e, pelo contrário, até lamentou a precoce eliminação alemã. Para entender a questão campo do resultado obtido pelos alemães em 2018, recomendo a excelente análise do Leonardo Miranda.
Referente a questão da gestão e da estratégia de como o produto futebol é gerido pela federação e pela liga alemã, o 7 x 1 fora de campo continuará imperando por muito tempo caso a visão resultadista e limi…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a sua base em sócio torcedores, em bilheteria e sócios do clube social. Houve um ajuste na análise pois faltaram os dados de faturamento de bilheteria do Grêmio.

Pelo segundo ano consecutivo, efetuei um estudo visando calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.

Os dados foram coletados do relatório no siteSports Value. O número de torcedores foi baseado na última pesquisa Datafolha de abril de 2018. Apesar do faturamento com bilheteria não constar no balanço de Corinthians, Grêmio e Fluminense, para não haver distorção na análise, foi considerado o faturamento bruto coletado no site globoesporte.com.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedores em todo o território nacional:




Nessa análise é possível verificar que, como no ranking anterior, o Botafogo é o grande destaque com faturamento de 42 mi…

O custo por ponto conquistado no Brasileirão 2017

Após a publicação sobre a eficácia dos times brasileiros referente a gestão dos custos do departamento de futebol e o desempenho no campeonato brasileiro, foi sugerido uma análise sobre o custo por cada ponto conquistado pelas equipes.
Foi considerado na análise os mesmos valores do post anterior, 8 meses da temporada. Segue abaixo a relação:

Pela tabela podemos observar que um custo abaixo de R$ 50 milhões (R$ 6,25  milhões/mês)  aumenta o risco de um time ser rebaixado, casos de Ponte Preta e Coritiba. Sport se livrou nas últimas rodadas, bem como o Vitória. 
Em 2016 vários times com R$ 5 milhões/mês conseguiram êxito, como a própria Ponte Preta, além do Vitória, Sport e Chapecoense. Provavelmente os custos com salários devem ter sido inflacionados em 2017, pois apenas três times tiveram gastos abaixo de 50 milhões. Em 2016 seis times tiveram orçamentos abaixo dos 50 milhões.
O mesmo se observa para os times que chegaram entre os seis primeiros colocados. Nenhum time gastou menos do que…