Pular para o conteúdo principal

A Taxa de Conversão de Gols em Pontos






Dando sequencia às análises baseadas no livro "Os Números do Jogo", desta vez fiz uma análise referente à performance dos artilheiros.

De acordo com os dados estatísticos, um único gol praticamente garante pelo menos um ponto, dois gols deixam um time mais perto da vitória que do empate e com mais de dois gols os times se aproximam muito da vitória. Esse padrão se repete nas quatro principais ligas mundiais ( Inglaterra, Alemanha, Espanha, Itália).

Conforme o gráfico abaixo, a forma de curva prova algo crucial, nem todos os gols são iguais, alguns valem mais do que outros, dependendo do fato de serem o único gol marcado ou terem a companhia de outros. O segundo gol é o gol mais valioso que os demais, aumentando a previsão de pontos em 0,99.





Desta forma é possível fazer uma análise da contribuição de pontos marginais dos principais artilheiros do campeonato para o seu clube. A análise crua e nua da artilharia do campeonato e de cada clube, conforme é efetuado até o momento, pode trazer uma análise distorcida da real performance dos principais artilheiros.  

Fazer o primeiro ou o segundo gol da partida é muito mais importantes do que o terceiro gol em diante, fazendo com que, desta forma, possamos observar os artilheiros que realmente contribuem efetivamente com os pontos dos que apenas são os que colocam a Pá de Cal no resultado final da partida.

Baseado nestes dados, fiz um levantamento dos artilheiros do Brasileirão 2013 e a teoria pode ser comprovada na prática conforme podemos ver abaixo:

Artilharia Brasileiro Série A 2013

1) Ederson       21 gols
2) Hernane      16 gols
3) Dinei           16 gols
4) Cícero        15 gols
5) Fernandão 15 gols
6) Gilberto      14 gols
7) Wiliam       14 gols
8) Walter        13 gols

Artilharia baseado na contribuição de Pontos Marginais

1) Ederson       13,32 pontos
2) Fernandão 11,75 pontos
3) Hernane       11,54 pontos
4) Dinei             10,61 pontos
5) Walter         10,41 pontos
6) Cícero          10,34 pontos
7) Gilberto          9,99 pontos
8) Wiliam            5,10 pontos

Fazendo uma análise dos dois principais artilheiros do Palmeiras na Série B ( Alan Kardec 14 gols / Leandro 13 gols), podemos constatar a eficácia de ambos ao compararmos com os artilheiros da Série A, conforme abaixo:

1) Ederson         13,32 pontos
2) Fernandão     11,75 pontos
3) Hernane         11,54 pontos
4) Alan Kardec  10,77 pontos
5) Dinei              10,61 pontos
6) Walter            10,41 pontos
7) Cícero            10,34 pontos
8) Leandro         10,12 pontos
9) Gilberto           9,99 pontos
10) Wiliam           5,10 pontos


Vale salientar que atacantes de times médios e pequenos são as referências dos seus respectivos clubes, centralizando as principais jogadas para eles. Quando os mesmos são contratados por equipes grandes esta performance muitas vezes não se repete por vários fatores como pressão, ambiente interno, concorrência por uma vaga. 

Como podemos observar com os fatos acima, existem muitos dados que são muito pouco avaliados na hora de se fazer uma análise mais correta da performance individual e coletiva dentro dos clubes de futebol e,muitas vezes, as contratações são baseadas em fatos empíricos, o que pode acarretar em expectativas não atendidas por parte da comissão técnica, diretoria e torcedores.

Mais uma vez vale salientar que apenas nomes não vão ganhar o jogo, mas sim a execução de um planejamento tático com eficácia, desde que os jogadores tenham as características e  performance adequadas para efetuar as várias funções táticas em campo.

Os dados estatísticos estão só começando a ser utilizado no futebol, enquanto no beisebol, basquete, voleibol e futebol americano estão muito mais adiantados neste quesito. Em breve muitos dados que ainda nem são utilizados vão ser muito mais utilizados nas tomadas de decisão do que apenas o que vemos durante uma partida. 








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a base de torcedores em sócio torcedores e em compra de ingressos para os jogos de futebol. Aprofundando um pouco mais o estudo surgiu a curiosidade em calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.
A base de torcedores utilizada foi a pesquisa de 2016 do Instituto Paraná Pesquisas, pois é a mais recente do mercado. Como base do consumo de cada torcida foram utilizados os dados compilados pelo Rodrigo Capelo do blog Época Esporte Clube, onde foi considerado como consumo dos torcedores as receitas com bilheteria, sócios torcedores e sócios patrimoniais. No caso do Corinthians, apesar do balanço não considerar receitas com bilheteria, na análise foi considerado R$ 48 milhões líquidos com essa fonte de receita, de acordo com o balanço do fundo do estádio.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedore…

Os fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores parte 2 : Precificação

Na semana passada iniciei uma série de posts referentes aos fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores. O próximo fator que gostaria de compartilhar com vocês é a precificação dos ingressos.
Como ponto de partida dessa análise, vamos avaliar o comportamento do torcedor do São Paulo em alguns jogos no Morumbi:
23/03/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 3.118 Renda Bruta: R$ 123.026 Ticket Médio: R$ 39,49
06/07/2016 – Copa Libertadores da América São Paulo 1 x 2 Atlético Nacional (semi final) Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 61.766 Renda Bruta: R$ 7.526.480 Ticket Médio: R$ 121,85
22/10/2016 – Campeonato Brasileiro São Paulo 2 x 0 Ponte Preta Dia da semana: sábado Horário: 17:00h Público Pagante: 49.673 Renda Bruta: R$ 600.541 Ticket Médio: R$ 12,09
12/02/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 5 x 2 Ponte Preta Dia da semana: domingo Horário: 17:00h Público Pagante: 50.952 Renda Br…