Pular para o conteúdo principal

Luz e Trevas






Em agosto de 2013 foi lançado no Brasil o livro "Os Números do Jogo" de Anderson e Sally.  O sub-título do livro chama muito a atenção : Por que tudo o que você sabe sobre futebol está errado.

O livro questiona através de dados muito amplos e embasados vários paradigmas sobre o que os torcedores, jornalistas e todos que acompanham futebol sempre tiveram como verdades absolutas.

Após o final do Campeonato Brasileiro de 2013 fiz uma avaliação de alguns temas levantados no livro e que agora vou compartilhar com vocês.

O ataque é a melhor defesa ou a defesa é o melhor ataque?

Sempre tivemos como paradigma que o ataque é  melhor defesa. 

Para comprovar o fato e também confrontar com os dados levantados pelos autores, seguem abaixo alguns dados levantados à partir de 2003, quando o campeonato brasileiro começou a ser disputado por pontos corridos:

- Em 4 campeonatos o campeão teve o melhor ataque da competição
- Em 4 campeonatos o campeão teve a melhor defesa da competição
- Em apenas 1 campeonato (2007) o campeão teve a melhor defesa e o melhor ataque da       competição
- Em 2 campeonatos ( 2008 e 2009) o campeão não teve a melhor defesa nem o melhor ataque da  competição

Como levantado no livro, tivemos um empate entre campeões com melhor ataque e melhor defesa, comprovando que este paradigma deve ser colocado em xeque e reproduzindo o que ocorre nas 4 maiores ligas do mundo ( Alemanha, Inglaterra, Espanha, Itália).

Para comprovar os fatos acima, os autores também fizeram um estudo em que comprovam que equipes que não tomam gol ou tomam no máximo 1 gol tem a mesma probabilidade de vitória do que os clubes que marcam dois ou mais gols na partida. 

O gráfico abaixo é muito ilustrativo para comprovar a tese.






No Campeonato Brasileiro de 2013, o campeão foi o Cruzeiro, que também teve o melhor ataque com 77 gols e o Grêmio foi a segunda melhor defesa com 35 gols tomados. 

O Corinthians foi a melhor defesa com 22 gols tomados. Como foram os recordistas de empates, total de 17, não conseguiram uma melhor classificação. Caso tivessem ganhado 4 dos 17 jogos em que empataram, terminariam o campeonato em quarto lugar, comprovando a tese de uma boa defesa ser muito eficaz em torneios de pontos corridos.

Ao analisar os pontos conquistados pelo clube de melhor ataque e o de  melhor defesa chegamos aos seguintes dados:

- ao analisarmos os pontos conquistados pelo Cruzeiro apenas em partidas em que o time não tomou gol ou tomou apenas um gol, o time conquistou 67 pontos.  
- ao analisarmos os pontos conquistados pelo Cruzeiro apenas em partidas em que o time marcou dois ou mais gols, o time conquistou 54 pontos.  
-ao analisarmos os pontos conquistados pelo Grêmio apenas em partidas em que o time não tomou gol ou tomou apenas um gol, o time conquistou 58 pontos.
- ao analisarmos os pontos conquistados pelo Grêmio apenas em partidas em que o time marcou dois ou mais gols, o time conquistou 28 pontos.    

* Os pontos não são cumulativos pois existem partidas em que o clube marcou mais de 2 gols na partida e não tomou gol ou tomou 1 gol na partida.

Fica claro na campanha dos dois clubes que não tomar gol ou tomar apenas 1 gol gerou mais pontos do que partidas em que o clube marcou dois gols ou mais. No caso do Grêmio os fatos são mais claros, pois o número de pontos conquistados tomando nenhum ou poucos gols comprova a tese de que a defesa pode ser o melhor ataque, ainda mais que o Grêmio foi apenas o décimo terceiro ataque da competição.

Muitos podem questionar a estratégia, mas não se pode negar que existem várias formas de se conquistar os objetivos traçados quando os clubes reconhecem suas fortalezas e fraquezas. O Grêmio tinha um alto nível de atacantes em seu elenco, mas por falta de meias que pudessem ser efetivos, o treinador optou pela defesa como prioridade, alcançando seus objetivos.

Como bem escrito no livro:

“O futebol hoje em dia não é um jogo ofensivo, mas um equilíbrio entre duas forças opostas. Um esporte de luz e trevas.”

Para quem tiver interesse em se aprofundar no assunto eu recomendo a leitura.

No próximo post trarei levantarei outro ponto importante e que também quebrar outro paradigma do futebol.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a base de torcedores em sócio torcedores e em compra de ingressos para os jogos de futebol. Aprofundando um pouco mais o estudo surgiu a curiosidade em calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.
A base de torcedores utilizada foi a pesquisa de 2016 do Instituto Paraná Pesquisas, pois é a mais recente do mercado. Como base do consumo de cada torcida foram utilizados os dados compilados pelo Rodrigo Capelo do blog Época Esporte Clube, onde foi considerado como consumo dos torcedores as receitas com bilheteria, sócios torcedores e sócios patrimoniais. No caso do Corinthians, apesar do balanço não considerar receitas com bilheteria, na análise foi considerado R$ 48 milhões líquidos com essa fonte de receita, de acordo com o balanço do fundo do estádio.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedore…

Os fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores parte 2 : Precificação

Na semana passada iniciei uma série de posts referentes aos fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores. O próximo fator que gostaria de compartilhar com vocês é a precificação dos ingressos.
Como ponto de partida dessa análise, vamos avaliar o comportamento do torcedor do São Paulo em alguns jogos no Morumbi:
23/03/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 3.118 Renda Bruta: R$ 123.026 Ticket Médio: R$ 39,49
06/07/2016 – Copa Libertadores da América São Paulo 1 x 2 Atlético Nacional (semi final) Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 61.766 Renda Bruta: R$ 7.526.480 Ticket Médio: R$ 121,85
22/10/2016 – Campeonato Brasileiro São Paulo 2 x 0 Ponte Preta Dia da semana: sábado Horário: 17:00h Público Pagante: 49.673 Renda Bruta: R$ 600.541 Ticket Médio: R$ 12,09
12/02/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 5 x 2 Ponte Preta Dia da semana: domingo Horário: 17:00h Público Pagante: 50.952 Renda Br…