Pular para o conteúdo principal

Admirável Palmeiras Novo



Aldous Husley escreveu sua obra prima Admirável Mundo Novo em 1932. O livro narra um hipotético futuro onde as pessoas são pré-condicionadas biologicamente e condicionadas psicologicamente a viverem em harmonia com as leis e regras sociais. Qualquer dúvida e insegurança dos cidadãos era dissipada com o consumo da droga sem efeitos colaterais aparentes chamada "soma".      

Nilton Santos
Nesta semana faleceu Nilton Santos, para muitos o maior lateral esquerdo da história do futebol mundial. Segundo a coluna do PVC desta semana, ele comenta que João Moreira Salles, botafoguense doente, fazia visitas trimestrais a Nilton Santos. Na porta do quarto da clínica em que ele estava internado havia uma simples e forte mensagem :

"Entre, por favor. Apenas não fale mal do Botafogo!"

Você pode estar perguntando: o que um escritor inglês e um lateral esquerdo do Botafogo tem a ver com o Palmeiras?

Observando todos os fatos ocorridos no Palmeiras nos últimos 30 dias, com destaque para a novela Gilson Kleina, com suas idas e vindas, os boatos de possíveis jogadores sondados, além do conhecido comportamento crítico do Palmeirense, comecei a questionar:

Por que no Palmeiras tudo parece ser tenso, pesado, fragmentado, sem a leveza e firmeza que esperamos que as coisas fossem conduzidas?

Não quero criar uma nova casta de Palmeirenses chapa branca, que dizem amém para tudo como Aldous Huxley escreveu em sua obra, mas gostaria de convidar você para algumas reflexões.

Em conversa com pessoas que  fazem parte da atual gestão e também da oposição fiz as mesmas perguntas e as respostas são sempre muito parecidas:

- a política atrapalha muito
- a gestão B1 foi um desastre
- Belluzzo era uma esperança mas não realizou tudo que esperávamos
- o clube está sem dinheiro
- a torcida é muito exigente e impaciente
- se pudesse começar do zero seria a melhor coisa
- Mustafá ainda tem muita influência

Na minha modesta opinião, todas estas constatações são possíveis de se resumir em um ponto chave: 

Sabemos do enorme potencial que o Palmeiras tem, mas a cada ano que passa estamos perdendo terreno para nossos adversários. Queremos que quem está no comando tome medidas rápidas e inovadoras para acelerar a recuperação e fazer novamente do Palmeiras um time de ponta.

Esta ansiedade e angústia são os sentimentos propulsores da atual fragmentação que o Palmeiras se encontra. Vários grupos políticos que defendem coisas muito similares mas não se entendem entre si, torcida organizada contra o Presidente, ambiente político destrutivo. Tudo isso reflete nos resultados em campo, transmitindo os mesmos sentimentos de fora para dentro do gramado, que no final vai gerar resultados abaixo do esperado. 

Esse ciclo vicioso gera mais ansiedade e angústia, que cataliza negativamente o ambiente, afastando jogadores e treinadores de talento e a consequência é o estágio atual em que o Palmeiras se encontra.

Tenho certeza que se os elencos e treinadores de Cruzeiro e Flamengo estivessem no Palmeiras, não seríamos campeões pelos motivos acima explanados.

Conversando com pessoas da atual gestão, toquei neste tema, que foi traduzido como uma necessidade de um trabalho forte de endomarketing, para estancar este clima pesado, negativo que parece impregnado no Palmeiras nos últimos 30 anos, com espasmos de leveza durante a gestão Parmalat.

Como Newton Santos escreveu na porta do seu quarto de hospital, precisamos parar de falar mal do Palmeiras. 

Se não reconhecermos que a ansiedade por resultados rápidos, que gera angústia ao não vê-los concretizados,  faz parte da raiz do problema, talvez ficaremos eternamente correndo atrás do tempo perdido com atitudes intempestivas, desesperadas, destrutivas, que no final acabam prejudicando muito mais o Palmeiras, do que as pessoas que queiram atingir.





Com uma bem feita campanha de endomarketing, criando esse espírito de um novo Palmeiras, construído em união entre torcida, conselheiros e dirigentes, provavelmente vamos gerar um clima mais propício para melhores resultados dentro e fora do campo, atraindo melhores jogadores e treinadores, que vai gerar mais vitórias e conquistas, aumentando as receitas em todas as frentes, criando um Admirável Palmeiras Novo.

Por que não tomar como inspiração a música abaixo como primeiro passo?











Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O verdadeiro 7 x 1 é fora de campo

Após a eliminação da Alemanha na fase grupos da Copa do Mundo de 2018 começaram a surgir vários questionamentos nas mídias sociais e na TV se a valorização do futebol alemão até agora seria válida ou não.
Quem tem uma visão resultadista provavelmente adorou a eliminação, criticou a exaltação da Alemanha dos últimos anos, mandou memes, cantou a versão do "Bela Tchau" para os alemães e até questionou se o que os tetracampeões fizeram em 2014 foi realmente merecedor ou apenas coincidência.
Par quem tem uma visão mais ampla de gestão e estratégia provavelmente não caiu no embalo da turma do oba oba e, pelo contrário, até lamentou a precoce eliminação alemã. Para entender a questão campo do resultado obtido pelos alemães em 2018, recomendo a excelente análise do Leonardo Miranda.
Referente a questão da gestão e da estratégia de como o produto futebol é gerido pela federação e pela liga alemã, o 7 x 1 fora de campo continuará imperando por muito tempo caso a visão resultadista e limi…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a sua base em sócio torcedores, em bilheteria e sócios do clube social. Houve um ajuste na análise pois faltaram os dados de faturamento de bilheteria do Grêmio.

Pelo segundo ano consecutivo, efetuei um estudo visando calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.

Os dados foram coletados do relatório no siteSports Value. O número de torcedores foi baseado na última pesquisa Datafolha de abril de 2018. Apesar do faturamento com bilheteria não constar no balanço de Corinthians, Grêmio e Fluminense, para não haver distorção na análise, foi considerado o faturamento bruto coletado no site globoesporte.com.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedores em todo o território nacional:




Nessa análise é possível verificar que, como no ranking anterior, o Botafogo é o grande destaque com faturamento de 42 mi…

O custo por ponto conquistado no Brasileirão 2017

Após a publicação sobre a eficácia dos times brasileiros referente a gestão dos custos do departamento de futebol e o desempenho no campeonato brasileiro, foi sugerido uma análise sobre o custo por cada ponto conquistado pelas equipes.
Foi considerado na análise os mesmos valores do post anterior, 8 meses da temporada. Segue abaixo a relação:

Pela tabela podemos observar que um custo abaixo de R$ 50 milhões (R$ 6,25  milhões/mês)  aumenta o risco de um time ser rebaixado, casos de Ponte Preta e Coritiba. Sport se livrou nas últimas rodadas, bem como o Vitória. 
Em 2016 vários times com R$ 5 milhões/mês conseguiram êxito, como a própria Ponte Preta, além do Vitória, Sport e Chapecoense. Provavelmente os custos com salários devem ter sido inflacionados em 2017, pois apenas três times tiveram gastos abaixo de 50 milhões. Em 2016 seis times tiveram orçamentos abaixo dos 50 milhões.
O mesmo se observa para os times que chegaram entre os seis primeiros colocados. Nenhum time gastou menos do que…