Pular para o conteúdo principal

E agora Palmeiras?



Carlos Drummond de Andrade escreveu o imortal poema, José,  em 1942. Coincidentemente ou não, decidi intitular este post baseado neste célebre poema, e que após checar a data que foi publicado, ganha ainda mais significado, pois 1942 é um ano emblemático para a história do Palmeiras.

Depois do anticlímax de ontem, onde tudo estava propício para marcar a volta do Palmeiras para o seu lugar de origem e teve um desfecho melancólico, a pergunta que todos os Palmeirenses estão se fazendo desde o apito final deve ser, E agora Palmeiras?

No poema, José teve seus momentos de festa e alegria e se encontra numa encruzilhada em sua vida, questionando seu sentido, seus valores e para onde deve ir, já que ele transmite angústia, dúvidas e questionamentos.

E agora Palmeiras?

Essa pergunta deve vir misturada de certezas e dúvidas, e creio que essas mesmas questões devem estar passando na cabeça dos atuais gestores do clube.

O que esperar do Palmeiras no ano do seu centenário, do seu novo estádio, após passar pelo purgatório da Série B ?

Interrogações, muito mais do que exclamações e pontos finais foi que se pode sentir na aura que emanava ontem do Pacaembu por volta das 18:30h.

O estádio estava quase vazio quando saí, me debrucei no apoio das escadarias, olhando para o gramado vazio e parecia que os pontos de interrogação que se multiplicavam na minha mente estavam presentes em cada cadeira, em toda a arquibancada e o tobogã. Uma simbiose entre o que cada torcedor sentiu e o que eu sentia ao deixar o estádio.

Nas entrevistas, novamente muito mais questionamentos do que certezas.

Agora que a volta está sacramentada, é hora de todos os gestores responsáveis pelo planejamento e execução do ano que vem, transformem nossas interrogações em certezas e exclamações.

Para isso a comunicação deve ser direta e clara, pois o ano de 2014 é especial para o Palmeirense por inúmeras razões e para evitar decepções e frustrações, tudo deve ser feito com muita clareza, lucidez e sabedoria, sem se deixar levar por pressões e emoções.

O Palmeiras ainda está doente, saiu do estado de coma no início deste ano, deu sinais de melhora e deve sair da UTI no ano que vem. É muito difícil recuperar a plena saúde e vitalidade logo ao sair do estádio letárgico vivido entre 2011 e 2012, já com sequelas oriundas de 2010.


Palmeiras e agora?

está sem dinheiro

está sem estádio

no ano vindouro é o teu centenário


E agora Palmeiras?

quer ser campeão, mas não tem milagre

trabalho e conquista

só o tempo que traz


És gigante , poderoso

 mas tua política te suga e te mata

Palmeiras ressurge

Pois teus torcedores são o teu horizonte


Palmeiras, para onde?

Para o alto e com norte

Pois em sua aura

Sabemos que és forte






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Alienistas

Tudo começou em 1995, na final da Supercopa São Paulo de Juniores. Após o gol de ouro que deu o título ao Palmeiras, os palmeirenses invadiram o gramado para comemorar e foram provocar os são paulinos, que, aproveitando a pouca presença de policiais, invadiram o gramado, transformando o campo de jogo na primeira batalha campal entre torcidas organizadas transmitidas ao vivo pela TV. 
As consequências foram a morte do garoto Márcio Gasparin, a condenação de Adalberto Benedito do Santos e, pela primeira vez, as organizadas Mancha Verde e Independente foram extintas pelo promotor público Fernando Capez, que comentou na época: “Era necessário um tratamento de choque.”
Como na belíssima obra O Alienista, de Machado de Assis, a partir dessa época começou a batalha dos Alienistas contra a festa popular nas arquibancadas do Brasil. Depois dessa medida, as bandeiras, instrumentos, faixas, papéis picados, rojões, fogos de artifício, sinalizadores foram proibidos, além de não poder vender cerveja.…

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores parte 2 : Precificação

Na semana passada iniciei uma série de posts referentes aos fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores. O próximo fator que gostaria de compartilhar com vocês é a precificação dos ingressos.
Como ponto de partida dessa análise, vamos avaliar o comportamento do torcedor do São Paulo em alguns jogos no Morumbi:
23/03/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 3.118 Renda Bruta: R$ 123.026 Ticket Médio: R$ 39,49
06/07/2016 – Copa Libertadores da América São Paulo 1 x 2 Atlético Nacional (semi final) Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 61.766 Renda Bruta: R$ 7.526.480 Ticket Médio: R$ 121,85
22/10/2016 – Campeonato Brasileiro São Paulo 2 x 0 Ponte Preta Dia da semana: sábado Horário: 17:00h Público Pagante: 49.673 Renda Bruta: R$ 600.541 Ticket Médio: R$ 12,09
12/02/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 5 x 2 Ponte Preta Dia da semana: domingo Horário: 17:00h Público Pagante: 50.952 Renda Br…