Pular para o conteúdo principal

E agora Palmeiras?



Carlos Drummond de Andrade escreveu o imortal poema, José,  em 1942. Coincidentemente ou não, decidi intitular este post baseado neste célebre poema, e que após checar a data que foi publicado, ganha ainda mais significado, pois 1942 é um ano emblemático para a história do Palmeiras.

Depois do anticlímax de ontem, onde tudo estava propício para marcar a volta do Palmeiras para o seu lugar de origem e teve um desfecho melancólico, a pergunta que todos os Palmeirenses estão se fazendo desde o apito final deve ser, E agora Palmeiras?

No poema, José teve seus momentos de festa e alegria e se encontra numa encruzilhada em sua vida, questionando seu sentido, seus valores e para onde deve ir, já que ele transmite angústia, dúvidas e questionamentos.

E agora Palmeiras?

Essa pergunta deve vir misturada de certezas e dúvidas, e creio que essas mesmas questões devem estar passando na cabeça dos atuais gestores do clube.

O que esperar do Palmeiras no ano do seu centenário, do seu novo estádio, após passar pelo purgatório da Série B ?

Interrogações, muito mais do que exclamações e pontos finais foi que se pode sentir na aura que emanava ontem do Pacaembu por volta das 18:30h.

O estádio estava quase vazio quando saí, me debrucei no apoio das escadarias, olhando para o gramado vazio e parecia que os pontos de interrogação que se multiplicavam na minha mente estavam presentes em cada cadeira, em toda a arquibancada e o tobogã. Uma simbiose entre o que cada torcedor sentiu e o que eu sentia ao deixar o estádio.

Nas entrevistas, novamente muito mais questionamentos do que certezas.

Agora que a volta está sacramentada, é hora de todos os gestores responsáveis pelo planejamento e execução do ano que vem, transformem nossas interrogações em certezas e exclamações.

Para isso a comunicação deve ser direta e clara, pois o ano de 2014 é especial para o Palmeirense por inúmeras razões e para evitar decepções e frustrações, tudo deve ser feito com muita clareza, lucidez e sabedoria, sem se deixar levar por pressões e emoções.

O Palmeiras ainda está doente, saiu do estado de coma no início deste ano, deu sinais de melhora e deve sair da UTI no ano que vem. É muito difícil recuperar a plena saúde e vitalidade logo ao sair do estádio letárgico vivido entre 2011 e 2012, já com sequelas oriundas de 2010.


Palmeiras e agora?

está sem dinheiro

está sem estádio

no ano vindouro é o teu centenário


E agora Palmeiras?

quer ser campeão, mas não tem milagre

trabalho e conquista

só o tempo que traz


És gigante , poderoso

 mas tua política te suga e te mata

Palmeiras ressurge

Pois teus torcedores são o teu horizonte


Palmeiras, para onde?

Para o alto e com norte

Pois em sua aura

Sabemos que és forte






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O verdadeiro 7 x 1 é fora de campo

Após a eliminação da Alemanha na fase grupos da Copa do Mundo de 2018 começaram a surgir vários questionamentos nas mídias sociais e na TV se a valorização do futebol alemão até agora seria válida ou não.
Quem tem uma visão resultadista provavelmente adorou a eliminação, criticou a exaltação da Alemanha dos últimos anos, mandou memes, cantou a versão do "Bela Tchau" para os alemães e até questionou se o que os tetracampeões fizeram em 2014 foi realmente merecedor ou apenas coincidência.
Par quem tem uma visão mais ampla de gestão e estratégia provavelmente não caiu no embalo da turma do oba oba e, pelo contrário, até lamentou a precoce eliminação alemã. Para entender a questão campo do resultado obtido pelos alemães em 2018, recomendo a excelente análise do Leonardo Miranda.
Referente a questão da gestão e da estratégia de como o produto futebol é gerido pela federação e pela liga alemã, o 7 x 1 fora de campo continuará imperando por muito tempo caso a visão resultadista e limi…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a sua base em sócio torcedores, em bilheteria e sócios do clube social. Houve um ajuste na análise pois faltaram os dados de faturamento de bilheteria do Grêmio.

Pelo segundo ano consecutivo, efetuei um estudo visando calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.

Os dados foram coletados do relatório no siteSports Value. O número de torcedores foi baseado na última pesquisa Datafolha de abril de 2018. Apesar do faturamento com bilheteria não constar no balanço de Corinthians, Grêmio e Fluminense, para não haver distorção na análise, foi considerado o faturamento bruto coletado no site globoesporte.com.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedores em todo o território nacional:




Nessa análise é possível verificar que, como no ranking anterior, o Botafogo é o grande destaque com faturamento de 42 mi…

O custo por ponto conquistado no Brasileirão 2017

Após a publicação sobre a eficácia dos times brasileiros referente a gestão dos custos do departamento de futebol e o desempenho no campeonato brasileiro, foi sugerido uma análise sobre o custo por cada ponto conquistado pelas equipes.
Foi considerado na análise os mesmos valores do post anterior, 8 meses da temporada. Segue abaixo a relação:

Pela tabela podemos observar que um custo abaixo de R$ 50 milhões (R$ 6,25  milhões/mês)  aumenta o risco de um time ser rebaixado, casos de Ponte Preta e Coritiba. Sport se livrou nas últimas rodadas, bem como o Vitória. 
Em 2016 vários times com R$ 5 milhões/mês conseguiram êxito, como a própria Ponte Preta, além do Vitória, Sport e Chapecoense. Provavelmente os custos com salários devem ter sido inflacionados em 2017, pois apenas três times tiveram gastos abaixo de 50 milhões. Em 2016 seis times tiveram orçamentos abaixo dos 50 milhões.
O mesmo se observa para os times que chegaram entre os seis primeiros colocados. Nenhum time gastou menos do que…