Pular para o conteúdo principal

E agora Palmeiras?



Carlos Drummond de Andrade escreveu o imortal poema, José,  em 1942. Coincidentemente ou não, decidi intitular este post baseado neste célebre poema, e que após checar a data que foi publicado, ganha ainda mais significado, pois 1942 é um ano emblemático para a história do Palmeiras.

Depois do anticlímax de ontem, onde tudo estava propício para marcar a volta do Palmeiras para o seu lugar de origem e teve um desfecho melancólico, a pergunta que todos os Palmeirenses estão se fazendo desde o apito final deve ser, E agora Palmeiras?

No poema, José teve seus momentos de festa e alegria e se encontra numa encruzilhada em sua vida, questionando seu sentido, seus valores e para onde deve ir, já que ele transmite angústia, dúvidas e questionamentos.

E agora Palmeiras?

Essa pergunta deve vir misturada de certezas e dúvidas, e creio que essas mesmas questões devem estar passando na cabeça dos atuais gestores do clube.

O que esperar do Palmeiras no ano do seu centenário, do seu novo estádio, após passar pelo purgatório da Série B ?

Interrogações, muito mais do que exclamações e pontos finais foi que se pode sentir na aura que emanava ontem do Pacaembu por volta das 18:30h.

O estádio estava quase vazio quando saí, me debrucei no apoio das escadarias, olhando para o gramado vazio e parecia que os pontos de interrogação que se multiplicavam na minha mente estavam presentes em cada cadeira, em toda a arquibancada e o tobogã. Uma simbiose entre o que cada torcedor sentiu e o que eu sentia ao deixar o estádio.

Nas entrevistas, novamente muito mais questionamentos do que certezas.

Agora que a volta está sacramentada, é hora de todos os gestores responsáveis pelo planejamento e execução do ano que vem, transformem nossas interrogações em certezas e exclamações.

Para isso a comunicação deve ser direta e clara, pois o ano de 2014 é especial para o Palmeirense por inúmeras razões e para evitar decepções e frustrações, tudo deve ser feito com muita clareza, lucidez e sabedoria, sem se deixar levar por pressões e emoções.

O Palmeiras ainda está doente, saiu do estado de coma no início deste ano, deu sinais de melhora e deve sair da UTI no ano que vem. É muito difícil recuperar a plena saúde e vitalidade logo ao sair do estádio letárgico vivido entre 2011 e 2012, já com sequelas oriundas de 2010.


Palmeiras e agora?

está sem dinheiro

está sem estádio

no ano vindouro é o teu centenário


E agora Palmeiras?

quer ser campeão, mas não tem milagre

trabalho e conquista

só o tempo que traz


És gigante , poderoso

 mas tua política te suga e te mata

Palmeiras ressurge

Pois teus torcedores são o teu horizonte


Palmeiras, para onde?

Para o alto e com norte

Pois em sua aura

Sabemos que és forte






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a base de torcedores em sócio torcedores e em compra de ingressos para os jogos de futebol. Aprofundando um pouco mais o estudo surgiu a curiosidade em calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.
A base de torcedores utilizada foi a pesquisa de 2016 do Instituto Paraná Pesquisas, pois é a mais recente do mercado. Como base do consumo de cada torcida foram utilizados os dados compilados pelo Rodrigo Capelo do blog Época Esporte Clube, onde foi considerado como consumo dos torcedores as receitas com bilheteria, sócios torcedores e sócios patrimoniais. No caso do Corinthians, apesar do balanço não considerar receitas com bilheteria, na análise foi considerado R$ 48 milhões líquidos com essa fonte de receita, de acordo com o balanço do fundo do estádio.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedore…