Pular para o conteúdo principal

Palmeiras meu primeiro amor



Um pequeno trecho do meu livro em homenagem ao meu primeiro amor:

Cerca de 1 mês depois, meu pai pagou a dívida e nos levou ao Pacaembu para vermos Palmeiras e Juventus num domingo pela manhã. O jogo, horário e local ideal para levar os filhos ao estádio. Lá fomos nós (eu, meus irmãos meu pai e meu tio Orlando) dessa vez com tempo suficiente para não ficar de fora. Compramos bandeira, tomamos picolé e ficamos na cadeira verde e todos os gols foram marcados bem ali na nossa frente. Ganhamos de 4 a 1 e foi uma festa só.

Ir ao jogo naquela época era um acontecimento ímpar em nossas vidas. Parecia que o jogo no estádio não era o mesmo do rádio e da TV. Esse jogo consolidou o meu grande prazer de ver uma partida no estádio. Cantar junto com a torcida, vibrar com 4 gols em um só jogo, foi a primeira vez. Eu me recordo da música que cantei naquele jogo e que até hoje está incorporada em minha alma e em meu coração:

- Õ, Ô, Ô, Palmeiras meu primeiro Amor!!

Perante 21 mil testemunhas, naquele dia 6 de maio de 1979 eu conhecia o meu primeiro amor fora do eixo familiar e declararia fidelidade na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-te e respeitando-te por todos os dias da minha vida.

Em homenagem ao meu primeiro amor e ao meu avô, uma pequena versão do refrão da emocionante música Napolitana  `O surdato ' nnammurato  de 1915:
 
Oje vita, oje vita mia...                                            Oh Vida, vida minha....
oje core 'e chistu core...                                          Oh coração, do meu coração                    
si' stata 'o primmo ammore...                                  Palmeiras, você é o meu primeiro amor 
e 'o primmo e ll'ùrdemo sarraje pe' me!                  Meu primeiro e eterno amor!!
 
         Letra de Aniello Califano e música de Enrico Cannio
 

 
 
        

 

 
 
 
 
 
 
 
 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a base de torcedores em sócio torcedores e em compra de ingressos para os jogos de futebol. Aprofundando um pouco mais o estudo surgiu a curiosidade em calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.
A base de torcedores utilizada foi a pesquisa de 2016 do Instituto Paraná Pesquisas, pois é a mais recente do mercado. Como base do consumo de cada torcida foram utilizados os dados compilados pelo Rodrigo Capelo do blog Época Esporte Clube, onde foi considerado como consumo dos torcedores as receitas com bilheteria, sócios torcedores e sócios patrimoniais. No caso do Corinthians, apesar do balanço não considerar receitas com bilheteria, na análise foi considerado R$ 48 milhões líquidos com essa fonte de receita, de acordo com o balanço do fundo do estádio.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedore…