Pular para o conteúdo principal

Carta de Resposta para o Grande Alex




Caro Alex, sei que você tem muitas outras preocupações como jogador e como pai de família, mas a lucidez demonstrada na entrevista concedida ao jornal Lance foi muito esclarecedora, pois nós apaixonados pelo futebol e como gestores do esporte ficamos muito gratos quando pessoas do seu nível se manifestam com extrema propriedade.

Você meu caro Alex, com a mesma visão de dentro do campo, fez o diagnóstico geral da situação, ainda mais com sua grande passagem pelo futebol europeu, e o seu próprio presidente, tentando evitar retaliações por parte da CBF, também constatou a atual situação dos clubes com a frase: " O Futebol Brasileiro está na UTI ".

Como apaixonado pelo futebol, mas também como uma peça atuante dentro do segmento, gostaria de escalar 11 motivos que você e seu presidente deixaram transparecer nas suas entrevistas:

1) O futebol brasileiro não tem um órgão regulador que cuida dos interesses dos clubes
2) Os dirigentes dos clubes falam em gestão mas se acomodaram com as receitas da TV Globo
3) Os campeonatos estaduais estão falidos no modelo atual , ou mudam ou morrem
4) Os clubes de futebol precisam se unir para criar uma liga forte que tenha a mesma força que a TV e as federações para combater o que precisa ser mudado dentro da situação atual
5) O calendário do futebol sul-americano precisa ser revisto e adequado ao calendário Europeu
6) A Europa deve servir de benchmarking em termos de gestão, calendário e campeonatos
7) A CBF não precisa cuidar dos clubes, desde que ela reconheça abertamente que não tenha mais interesse
8) Não adianta nada novas arenas com a velha mentalidade vigente nos gestores das Federações e clubes
9) Os clubes precisam entender que ganhar do adversário é apenas dentro de campo, fora de campo todos devem jogar juntos
10) Os clubes precisam ter responsabilidade fiscal e monetária, se não cumprirem com suas obrigações devem ser rebaixados
11) Os dirigentes de clubes devem ter responsabilidade civil por seus atos na frente dos clubes

Caro Alex, você pode ser o treinador desse time acima escalado, juntando sua voz com os demais jogadores e dirigentes que tenham coragem e voz ativa para levar adiante as mudanças que tanto o futebol brasileiro necessita para retomar o rumo de vitórias, conquistas e de qualidade que faz parte do DNA deste esporte no Brasil, mas que a ganância por dinheiro e poder de algumas pessoas chaves acabam dificultando os que lutam para que a situação atual seja alterada.

Caro leitor, se você ainda não viu a entrevista, segue abaixo e se possui outras reinvindicações que podem ser adicionadas na escalação acima, fique a vontade para sugerir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O verdadeiro 7 x 1 é fora de campo

Após a eliminação da Alemanha na fase grupos da Copa do Mundo de 2018 começaram a surgir vários questionamentos nas mídias sociais e na TV se a valorização do futebol alemão até agora seria válida ou não.
Quem tem uma visão resultadista provavelmente adorou a eliminação, criticou a exaltação da Alemanha dos últimos anos, mandou memes, cantou a versão do "Bela Tchau" para os alemães e até questionou se o que os tetracampeões fizeram em 2014 foi realmente merecedor ou apenas coincidência.
Par quem tem uma visão mais ampla de gestão e estratégia provavelmente não caiu no embalo da turma do oba oba e, pelo contrário, até lamentou a precoce eliminação alemã. Para entender a questão campo do resultado obtido pelos alemães em 2018, recomendo a excelente análise do Leonardo Miranda.
Referente a questão da gestão e da estratégia de como o produto futebol é gerido pela federação e pela liga alemã, o 7 x 1 fora de campo continuará imperando por muito tempo caso a visão resultadista e limi…

O consumo per capita das maiores torcidas do Brasil

Na semana passada efetuei uma análise sobre a efetividade das atuais gestões em converter a sua base em sócio torcedores, em bilheteria e sócios do clube social. Houve um ajuste na análise pois faltaram os dados de faturamento de bilheteria do Grêmio.

Pelo segundo ano consecutivo, efetuei um estudo visando calcular qual seria o consumo per capita dos torcedores das maiores torcidas do Brasil.

Os dados foram coletados do relatório no siteSports Value. O número de torcedores foi baseado na última pesquisa Datafolha de abril de 2018. Apesar do faturamento com bilheteria não constar no balanço de Corinthians, Grêmio e Fluminense, para não haver distorção na análise, foi considerado o faturamento bruto coletado no site globoesporte.com.
Na tabela abaixo podemos observar ranking de consumo per capita considerando como base o total de torcedores em todo o território nacional:




Nessa análise é possível verificar que, como no ranking anterior, o Botafogo é o grande destaque com faturamento de 42 mi…

O custo por ponto conquistado no Brasileirão 2017

Após a publicação sobre a eficácia dos times brasileiros referente a gestão dos custos do departamento de futebol e o desempenho no campeonato brasileiro, foi sugerido uma análise sobre o custo por cada ponto conquistado pelas equipes.
Foi considerado na análise os mesmos valores do post anterior, 8 meses da temporada. Segue abaixo a relação:

Pela tabela podemos observar que um custo abaixo de R$ 50 milhões (R$ 6,25  milhões/mês)  aumenta o risco de um time ser rebaixado, casos de Ponte Preta e Coritiba. Sport se livrou nas últimas rodadas, bem como o Vitória. 
Em 2016 vários times com R$ 5 milhões/mês conseguiram êxito, como a própria Ponte Preta, além do Vitória, Sport e Chapecoense. Provavelmente os custos com salários devem ter sido inflacionados em 2017, pois apenas três times tiveram gastos abaixo de 50 milhões. Em 2016 seis times tiveram orçamentos abaixo dos 50 milhões.
O mesmo se observa para os times que chegaram entre os seis primeiros colocados. Nenhum time gastou menos do que…