Pular para o conteúdo principal

Carta de Resposta para o Grande Alex




Caro Alex, sei que você tem muitas outras preocupações como jogador e como pai de família, mas a lucidez demonstrada na entrevista concedida ao jornal Lance foi muito esclarecedora, pois nós apaixonados pelo futebol e como gestores do esporte ficamos muito gratos quando pessoas do seu nível se manifestam com extrema propriedade.

Você meu caro Alex, com a mesma visão de dentro do campo, fez o diagnóstico geral da situação, ainda mais com sua grande passagem pelo futebol europeu, e o seu próprio presidente, tentando evitar retaliações por parte da CBF, também constatou a atual situação dos clubes com a frase: " O Futebol Brasileiro está na UTI ".

Como apaixonado pelo futebol, mas também como uma peça atuante dentro do segmento, gostaria de escalar 11 motivos que você e seu presidente deixaram transparecer nas suas entrevistas:

1) O futebol brasileiro não tem um órgão regulador que cuida dos interesses dos clubes
2) Os dirigentes dos clubes falam em gestão mas se acomodaram com as receitas da TV Globo
3) Os campeonatos estaduais estão falidos no modelo atual , ou mudam ou morrem
4) Os clubes de futebol precisam se unir para criar uma liga forte que tenha a mesma força que a TV e as federações para combater o que precisa ser mudado dentro da situação atual
5) O calendário do futebol sul-americano precisa ser revisto e adequado ao calendário Europeu
6) A Europa deve servir de benchmarking em termos de gestão, calendário e campeonatos
7) A CBF não precisa cuidar dos clubes, desde que ela reconheça abertamente que não tenha mais interesse
8) Não adianta nada novas arenas com a velha mentalidade vigente nos gestores das Federações e clubes
9) Os clubes precisam entender que ganhar do adversário é apenas dentro de campo, fora de campo todos devem jogar juntos
10) Os clubes precisam ter responsabilidade fiscal e monetária, se não cumprirem com suas obrigações devem ser rebaixados
11) Os dirigentes de clubes devem ter responsabilidade civil por seus atos na frente dos clubes

Caro Alex, você pode ser o treinador desse time acima escalado, juntando sua voz com os demais jogadores e dirigentes que tenham coragem e voz ativa para levar adiante as mudanças que tanto o futebol brasileiro necessita para retomar o rumo de vitórias, conquistas e de qualidade que faz parte do DNA deste esporte no Brasil, mas que a ganância por dinheiro e poder de algumas pessoas chaves acabam dificultando os que lutam para que a situação atual seja alterada.

Caro leitor, se você ainda não viu a entrevista, segue abaixo e se possui outras reinvindicações que podem ser adicionadas na escalação acima, fique a vontade para sugerir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

Pizzaria Paulista

A rede Pizzaria Paulista, criada em 1902, vem a público divulgar o balanço das suas 16 franquias espalhadas no estado de São Paulo no período de 17 de janeiro a 11 de março de 2018.
Em 2018 tivemos as 3 tradicionais franquias da capital, juntamente com uma das mais famosas unidades, que fica no litoral. Além dessas 4 tradicionais franquias,  constam no balanço unidades de cidades com bom nível de renda per capta e com populações elevadas, sendo duas unidades na Grande São Paulo, mais duas unidades na cidade de Campinas, além de uma unidade em Ribeirão Preto, Araraquara, Sorocaba entre outras ricas cidades do interior paulista.
Em 2018, mesmo com a rede presente nas principais regiões do estado, tivemos uma redução de 9% na presença de clientes. Foram 70 mil pessoas a menos do que no ano passado, primeiro ano após a redução no número de franquias.
Além dessa redução, perdemos R$ 700 mil reais em faturamento bruto, 2% menor do que 2017. Por outro lado o ticket médio subiu 7% , R$ 2,60 a ma…

O verdadeiro 7 x 1 é fora de campo

Após a eliminação da Alemanha na fase grupos da Copa do Mundo de 2018 começaram a surgir vários questionamentos nas mídias sociais e na TV se a valorização do futebol alemão até agora seria válida ou não.
Quem tem uma visão resultadista provavelmente adorou a eliminação, criticou a exaltação da Alemanha dos últimos anos, mandou memes, cantou a versão do "Bela Tchau" para os alemães e até questionou se o que os tetracampeões fizeram em 2014 foi realmente merecedor ou apenas coincidência.
Par quem tem uma visão mais ampla de gestão e estratégia provavelmente não caiu no embalo da turma do oba oba e, pelo contrário, até lamentou a precoce eliminação alemã. Para entender a questão campo do resultado obtido pelos alemães em 2018, recomendo a excelente análise do Leonardo Miranda.
Referente a questão da gestão e da estratégia de como o produto futebol é gerido pela federação e pela liga alemã, o 7 x 1 fora de campo continuará imperando por muito tempo caso a visão resultadista e limi…