Pular para o conteúdo principal

Pause and Play


11/04/2015

Depois de dois anos daquele mágico dia, não tenho dúvidas em dizer que foi um dos dias mais importantes na minha vida e da vida do Palmeiras.
Como no meu livro que lancei em 2013 sobre os 20 anos da fila, mais uma vez o Palmeiras e eu tivemos nossos destinos cruzados.
Esse dia foi marcado primeiramente por eu ter deixado claro para minha liderança que o meu futuro na empresa estava selado, que a partir daquele momento, foi como que oficialmente eu tivesse declarado ao mundo que uma nova história da minha vida estava sendo construída.
Sem nenhum arrependimento, mágoa ou frustração, as palavras que saíram da minha boca naquele almoço pareciam que tinham vida própria, como que eu somente estivesse apertando o play da história da minha vida, saindo do pause que parecia que nunca mais teria fim.
Após aquele movimento, formalmente eu estava começando minha nova história, deixando para trás alguns volumes que serviram até aquele momento, mas que, a partir de 2012, percebi como era um peso morto em minhas costas.
O ser humano errante, como que em busca da música perfeita, vagueia anos até encontrar a melodia que mais lhe agrada, e após longa data, percebe que o ritmo, a melodia, a cadência e o tom perfeito, estavam no lugar de sempre, dentro de nós, mas não conseguimos perceber que o verdadeiro diapasão é nosso coração. Muitas vezes ficamos surdos para a melodia perfeita, sendo enganados pelo pause, que parece play, que o mundo quer nos vender.
Leve e libertado, já ouvindo as primeiras notas da sinfonia da vida, fui ao encontro do meu Palmeiras e seus garotos e operários da bola.
Dentre as 35 mil vozes que entoavam a melodia da alma Palestrina, a minha voz pulsava visceralmente, transformando o Pacaembu em um portal para outra dimensão, elevando, mas ao mesmo tempo destruindo as amarras de quase 3 décadas que pareciam que nunca mais seria possível livrá-las da história do Palmeiras.
Na semana anterior vivemos os Sonhos de Uma Noite de Verdão, naquela noite emblemática de outono, acompanhados pelo coro de 35 arcanjos, o Palmeiras exorcizou mais uma vez seus demônios, expurgando da sua alma o marasmo em que vivia enfeitiçado, para despertar novamente para a Grande Sinfonia das Vitórias.
Naquele dia eu expurguei meus demônios, depois ajudei o Palmeiras a expurgar os seus, e hoje vivemos plenamente dias de glória, de plenitude e de alegria. Uma comunhão perfeita com o todo, transcendendo o profano em sagrado, elevando o terreno para o céu, tirando um enorme hiato de um silencio sepulcral para uma sinfonia eterna de plenitude, alegria e conquistas.
11/04/2013 o dia em que o pause virou play, o dia em que o possível se transformou em realidade, o medo e a falta de coragem se transformaram em coragem e autoconfiança, que os separados se uniram, que esse ser humano errante que vos escreve se libertou, que o Palmeiras voltou a Ser Palmeiras.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

Hoje é dia de Derby

Derby, uma palavra inglesa que acompanhada dos grandes rivais Palmeiras e Corinthians, cria vida própria. As emoções que remetem a este grande clássico do futebol mundial transcendem as quatro linhas, os 90 minutos, o estádio e, em vários casos, se transformam em lendas, epopeias, grandes batalhas. Vilões se transformam em ídolos e vice versa, menos que por efêmeros momentos. Jogos como estes são capazes, como na vida real e não por acaso, de mudar o rumo dos times nos campeonatos, inverter completamente o estado de espírito, de autoconfiança reinante em cada um dos lados. São raros os confrontos que possuem esse poder mágico de mexer com toda uma cidade, uma nação e que, por 90 minutos, se transformam na coisa mais importante da vida. Muitos podem estar perguntando qual a origem desse termo dentro do futebol. Segue abaixo uma versão resumida que encontrei na internet:
A origem vem da palavra "derby" – ou dérbi, segundo o aportuguesamento da palavra original inglesa, proposto p…

Pizzaria Paulista

A rede Pizzaria Paulista, criada em 1902, vem a público divulgar o balanço das suas 16 franquias espalhadas no estado de São Paulo no período de 17 de janeiro a 11 de março de 2018.
Em 2018 tivemos as 3 tradicionais franquias da capital, juntamente com uma das mais famosas unidades, que fica no litoral. Além dessas 4 tradicionais franquias,  constam no balanço unidades de cidades com bom nível de renda per capta e com populações elevadas, sendo duas unidades na Grande São Paulo, mais duas unidades na cidade de Campinas, além de uma unidade em Ribeirão Preto, Araraquara, Sorocaba entre outras ricas cidades do interior paulista.
Em 2018, mesmo com a rede presente nas principais regiões do estado, tivemos uma redução de 9% na presença de clientes. Foram 70 mil pessoas a menos do que no ano passado, primeiro ano após a redução no número de franquias.
Além dessa redução, perdemos R$ 700 mil reais em faturamento bruto, 2% menor do que 2017. Por outro lado o ticket médio subiu 7% , R$ 2,60 a ma…