Pular para o conteúdo principal

Reflexões da Semana


O Pensador - Auguste Rodin


Após estar iniciando meus primeiros passos no negócio de Gestão do Esporte e ter participado do seminário " Calendário do Futebol Brasileiro"  nos dias 25 e 26 de março, seguem algumas conclusões :

1) Não se pode esperar nenhuma mudança em qualquer time do mundo em 2 meses de mandato

2) Não se pode esperar uma radical e profunda alteração do cenário atual em qualquer time do mundo com mandato de 2 anos

3) Sem dinheiro vindo de investidor/ patrocinador, um clube deficitário não pode gastar mais do que arrecada

4) Sem finanças em dia não se pode fazer projeto de médio ou longo prazo

5) Não se faz futebol nos dias de hoje sem mudar o perfil de 90% dos que vão ao campo para torcedor consumidor

6) Não se cria um verdadeiro e genuíno vínculo com seu torcedor consumidor sem conhecer seus hábitos e preferências e sem envolvê-los em grande parte da decisões

PS: eu disse torcedor consumidor, não sócio do clube social


7) Não se pode gastar 23 datas do calendário atual para disputar campeonatos estaduais

8) Não se pode esperar jogos de alto nível sem pré temporada de 4 semanas com jogos quarta e domingo durante todo o ano

9) Não se pode esperar uma mudança muito drástica no calendário do futebol brasileiro para os próximos 3 anos devido aos contratos assinados com as TV´s

10) Não se pode exigir demissão de técnico após uma goleada se ele está atingindo as metas acordadas com os seus líderes

11) Não se pode exigir, de nenhum profissional, alta performance em ambiente que impera o caos administrativo, financeiro e moral

12) Sem metas claras de médio e longo prazo bem definidas e desafiadoras, não se chega a lugar nenhum

13) O futebol brasileiro em todos os seus níveis, não tem metas claras de médio e longo prazo graças a 90% dos atuais "gestores" que ainda imperam no segmento

14) Existem dirigentes, alguns jogadores e muitos profissionais que ainda não atuam no segmento, que concordam que o atual modelo do futebol brasileiro está falido e exigem mudanças

15) Se não mudar logo o cenário, em médio prazo o futebol brasileiro vai ficar para trás no sentido amplo da palavra

16) Não adianta construir arenas se o negócio não for sustentável a longo prazo e os serviços permanecerem os mesmos dos estádios antigos

17) Não adianta construir arenas se a média de ocupação anual nos jogos de futebol seja no mínimo 50% 

18) As mudanças que tanto esperamos no cenário atual do futebol brasileiro vão ocorrer em médio prazo

19) Os treinadores do futebol brasileiro estão defasados e não querem mudanças drásticas para não exporem suas fraquezas 

20) Eu acredito na nova geração de profissionais que vão conseguir mudar o cenário atual e vou fazer parte atuante no processo de mudanças

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Alienistas

Tudo começou em 1995, na final da Supercopa São Paulo de Juniores. Após o gol de ouro que deu o título ao Palmeiras, os palmeirenses invadiram o gramado para comemorar e foram provocar os são paulinos, que, aproveitando a pouca presença de policiais, invadiram o gramado, transformando o campo de jogo na primeira batalha campal entre torcidas organizadas transmitidas ao vivo pela TV. 
As consequências foram a morte do garoto Márcio Gasparin, a condenação de Adalberto Benedito do Santos e, pela primeira vez, as organizadas Mancha Verde e Independente foram extintas pelo promotor público Fernando Capez, que comentou na época: “Era necessário um tratamento de choque.”
Como na belíssima obra O Alienista, de Machado de Assis, a partir dessa época começou a batalha dos Alienistas contra a festa popular nas arquibancadas do Brasil. Depois dessa medida, as bandeiras, instrumentos, faixas, papéis picados, rojões, fogos de artifício, sinalizadores foram proibidos, além de não poder vender cerveja.…

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores parte 2 : Precificação

Na semana passada iniciei uma série de posts referentes aos fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores. O próximo fator que gostaria de compartilhar com vocês é a precificação dos ingressos.
Como ponto de partida dessa análise, vamos avaliar o comportamento do torcedor do São Paulo em alguns jogos no Morumbi:
23/03/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 3.118 Renda Bruta: R$ 123.026 Ticket Médio: R$ 39,49
06/07/2016 – Copa Libertadores da América São Paulo 1 x 2 Atlético Nacional (semi final) Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 61.766 Renda Bruta: R$ 7.526.480 Ticket Médio: R$ 121,85
22/10/2016 – Campeonato Brasileiro São Paulo 2 x 0 Ponte Preta Dia da semana: sábado Horário: 17:00h Público Pagante: 49.673 Renda Bruta: R$ 600.541 Ticket Médio: R$ 12,09
12/02/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 5 x 2 Ponte Preta Dia da semana: domingo Horário: 17:00h Público Pagante: 50.952 Renda Br…