Pular para o conteúdo principal

Os Pilares do Novo Palmeiras




Após dois anos à deriva, finalmente o Palmeiras voltou a ter um comandante e que seja o grande líder que tanto esperamos.

A gestão Belluzzo, apesar de todas as tentativas visando modernizar o clube, não teve o êxito esperado devido à colcha de retalhos que foram os acordos políticos necessários para sustentar sua candidatura. Também por falta de pulso firme e comando do presidente, os cânceres que dominam o clube há décadas voltaram ao poder em 2011.
A “gestão “ Tirone/Frizzo, sustentada por Mustafá e Della Mônica, morreu já no seu início, pois B1 e B2, encantados pelo poder, decidiram “comandar” sozinhos. Ambos mandaram bananas para seus sustentadores políticos e o resultado, como todos já sabem, foi a pior gestão da história do Palmeiras em um único mandato, só perdendo para Mustafá, pelo conjunto da obra.
Paulo Nobre ganhou, sustentado pela base de Mustafá sim, mas esperamos que essa conta não venha ser cobrada de uma forma que atrapalhe o excelente Plano de Gestão que já começou a ser  implementado desde as primeiras horas do seu mandato.

Também esperamos que as promessas de Décio Perin e sua base política, de fazer uma oposição construtiva e também dar sustentação no Conselho Deliberativo para as tão esperadas reformas estatutárias, sejam cumpridas.
Por que é grande a nossa expectativa com Paulo Nobre e sua equipe?
Porque esperamos que a partir do ano 1 D.T. ( Depois de Tirone) seja definitivamente possível recolocar o Palmeiras no lugar em que ele sempre pertenceu, que é ser um clube de vanguarda e referência no esporte brasileiro e mundial.
Belluzzo tentou, mas não foi competente para realizar essas mudanças. B1 foi uma aberração que só o modelo arcaico e ultrapassado de eleição do Palmeiras pode produzir. Portanto, Paulo Nobre tem pela frente o enorme desafio de colocar o Palmeiras definitivamente no século XXI.
Em minha opinião o primeiro e o mais importante pilar dessa reconstrução é a urgentíssima reforma estatutária. O processo eleitoral, que definitivamente foi alterado e será implementado a partir de 2014 com a inesquecível conquista das Diretas, já é o primeiro sinal das mudanças que estão por vir.
Ao assistir ao filme Lincoln no dia de ontem, comparo as Diretas do Palmeiras com a célebre aprovação do artigo 13 da Constituição Americana, que foi a abolição da escravatura. Acabou o sistema em que senhores do engenho e seus capatazes irão definir os destinos de uma nação, enquanto milhões observavam estas decisões impotentes.

Ainda temos muito trabalho pela frente nesse pilar, mas sabemos que há estudos sendo efetuados para modernizar e arejar o estatuto,  para que o atual Estatuto Frankenstein seja definitivamente substituído por uma Carta Magna condizente com um clube moderno, democrático e progressista.

Valores que fazem parte da alma Palmeirense, mas que nas últimas décadas foram dilacerados pelos senhores do engenho do egoísmo e atraso que dominavam o Palmeiras até há poucos dias.
O segundo pilar é o profissionalismo da gestão. O Futebol é um negócio como qualquer outro, movimenta bilhões de euros mundialmente, conforme o recém- lançado relatório da consultoria Delloitte.  Somente os 20 principais clubes europeus faturaram € 4.8 bilhões na temporada 2011/2012 e irão superar os € 5.0 bilhões ao final da próxima temporada.
No mesmo relatório, aparece o Corinthians como o primeiro clube não europeu a fazer parte dos 40 principais clubes do mundo, na posição 31 do ranking com faturamento de € 94.1 milhões. O relatório também menciona o potencial de crescimento para equipes do Brasil e Rússia para fazerem parte dos 40 principais clubes do mundo em um futuro breve.
Ainda não temos os números de 2012 finalizados dos clubes Brasileiros, mas em comparação com os clubes europeus e baseado no faturamento de 2011, fica claro que a grande diferença em termos de geração de receitas está no merchandising e bilheteria ( incluindo sócio torcedor ).

Os 3 principais clubes do mundo em termos de faturamento,  de uma forma geral possuem suas receitas com TV, merchandasing e bilheteria muito semelhantes, com cerca de 1/3 das receitas provenientes de cada um destes pilares.
No Brasil, o desequilíbrio é maior, pois as receitas com bilheteria correspondem apenas por 8%, o merchandising com 43% ( sendo que as vendas de jogadores representam 15%) e a maior receita é a da TV com 36%.  A receita dos clubes sociais e esporte amador completam o total das receitas com 13%.

Paulo Nobre e Brunoro
Portanto, com uma estrutura profissional como a nova gestão já começa a montar, com CEO, responsável pelo clube social, marketing, futebol e esportes olímpicos, o CFO, responsável por toda a engenharia financeira, e toda a estrutura de profissionais que irá suportar os dois diretores superintendentes, será possível que o Palmeiras em um futuro breve comece a fazer parte da lista dos 40 principais clubes do mundo.

O Palmeiras possui 15 milhões de torcedores com alto poder de consumo per capta,  uma marca fortíssima para ser explorada e em poucos meses teremos a melhor arena multiuso do Brasil. Com esse potencial enorme, o que é necessário ser feito para explorar todo o potencial é através do capital humano,  com profissionais competentes e capacitados para cada atividade que um clube profissional necessita.
O terceiro pilar é a parte política do clube, com o conselho deliberativo, o COF e todos os cargos políticos estatutariamente definidos, juntamente com a implementação da uma sólida governança, estarem com seus papéis e responsabilidades bem definidos, para que sejam minimizados todos os ruídos políticos, evitando que haja impacto negativo na execução da estratégia por parte dos profissionais que estão sendo contratados.
Como futuro conselheiro, espero dar suporte para as medidas que coloquem o Palmeiras definitivamente no século XXI, mas também cobrar as implementações e monitorar o andamento da estratégia a ser implementada.
Com todas as medidas acima bem executadas e implementadas, com certeza o Palmeiras poderá fazer parte dos 40 e posteriormente até dos 20 maiores clubes do mundo em termos de faturamento, pois com relação à paixão da nossa torcida, com certeza somos a número 1 do mundo.

Comentários

  1. Excelente Texto, Paciello, como sempre.
    Parabéns!
    abs.
    @luizmousinho

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores parte 2 : Precificação

Na semana passada iniciei uma série de posts referentes aos fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores. O próximo fator que gostaria de compartilhar com vocês é a precificação dos ingressos.
Como ponto de partida dessa análise, vamos avaliar o comportamento do torcedor do São Paulo em alguns jogos no Morumbi:
23/03/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 3.118 Renda Bruta: R$ 123.026 Ticket Médio: R$ 39,49
06/07/2016 – Copa Libertadores da América São Paulo 1 x 2 Atlético Nacional (semi final) Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 61.766 Renda Bruta: R$ 7.526.480 Ticket Médio: R$ 121,85
22/10/2016 – Campeonato Brasileiro São Paulo 2 x 0 Ponte Preta Dia da semana: sábado Horário: 17:00h Público Pagante: 49.673 Renda Bruta: R$ 600.541 Ticket Médio: R$ 12,09
12/02/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 5 x 2 Ponte Preta Dia da semana: domingo Horário: 17:00h Público Pagante: 50.952 Renda Br…

Os Alienistas

Tudo começou em 1995, na final da Supercopa São Paulo de Juniores. Após o gol de ouro que deu o título ao Palmeiras, os palmeirenses invadiram o gramado para comemorar e foram provocar os são paulinos, que, aproveitando a pouca presença de policiais, invadiram o gramado, transformando o campo de jogo na primeira batalha campal entre torcidas organizadas transmitidas ao vivo pela TV. 
As consequências foram a morte do garoto Márcio Gasparin, a condenação de Adalberto Benedito do Santos e, pela primeira vez, as organizadas Mancha Verde e Independente foram extintas pelo promotor público Fernando Capez, que comentou na época: “Era necessário um tratamento de choque.”
Como na belíssima obra O Alienista, de Machado de Assis, a partir dessa época começou a batalha dos Alienistas contra a festa popular nas arquibancadas do Brasil. Depois dessa medida, as bandeiras, instrumentos, faixas, papéis picados, rojões, fogos de artifício, sinalizadores foram proibidos, além de não poder vender cerveja.…