Pular para o conteúdo principal

Quando o melhor é Perder para Ganhar




Estamos em vias de sermos rebaixado para a série B depois de exatamente 10 anos da desgraça ocorrida no Brasileirão de 2002. Muito se discutiu sobre os fatores dessa situação que nenhum Palmeirense imaginava passar novamente. Nos próximos dias eu irei fazer a minha análise mais detalhada sobre os motivos que levaram o Palmeiras a essa situação.

O que eu quero que todos reflitam nesse momento é sobre quando perder é ganhar e vice versa.

Em 12 de Julho de 2012 o Palmeiras se sagrou Campeão da Copa do Brasil, São Paulo se coloriu de verde e branco para comemorar o título de um time que nenhum Palmeirense acreditava até um mês antes.

Vibrei muito com a conquista por alguns fatores como:

- A conquista de um título nacional depois de 14 anos

- A classificação antecipada para a Copa Libertadores de 2013

- A vitória da superação de um grupo limitado

- Evitar o risco de rebaixamento para a Série B 

Os 3 primeiros fatores eram inerentes ao título, mas o último item permaneceu impregnado na trajetória do time durante todo o campeonato, culminando com a situação atual.

Muitos podem perguntar se eu estou acusando que a conquista da Copa do Brasil foi a responsável pelo rebaixamento. Não meu caro leitor, não é isso. Vencer sempre é bom por tudo que uma conquista traz de benefícios ao time.

O que eu questiono é que o Palmeiras ganhou o título, mas perdeu o foco, a humildade, a dedicação, a entrega, além de praticamente 11 jogadores contundidos. O “presidente“ e sua “diretoria“ entraram em uma soberba incompatível com sua incompetência e essa foi a cereja do bolo que o título trouxe como consequências malignas ao clube.

Visando as eleições de 2013, o Sr. B1 e B2 já articulavam suas respectivas reeleições embriagados nos louros da enganosa conquista e, caso o Palmeiras não estivesse na situação atual, o cenário de reeleição estaria consumado, o que manteria o Palmeiras no estado vegetativo de Morto Vivo que está impregnada na aura do clube há 30 anos.

Conclusão, o Palmeiras perdeu muito mais do que ganhou com a conquista da Copa do Brasil.




Após a o grande marco que a Carta aos Palmeirenses, que foi enviada à nação alviverde na última sexta feira dia 16/11, considero que esse rebaixamento deverá ser o marco da verdadeira arrancada heroica do século XXI. Pela primeira vez os líderes do clube estão se unindo em busca de um bem comum que é reposicionar o Palmeiras, recolocando-o novamente no cenário de protagonismo que faz parte da aura e do grande motivo da existência do Palmeiras, que é ser vencedor e motivo de orgulho para o futebol brasileiro.

Teremos um governo de transição articulado por todos os postulantes ao cargo, e espero que os três lancem uma chapa única, de consenso, para apaziguar os ânimos dentro do cenário sempre efervecente da política Palmeirense, mostrando a todos que, apesar de diferenças, a causa maior, que é resgatar o gigante Palmeiras da situação atual, está se sobrepondo sobre os interesses e opiniões individuais.

Junto com todo esse cenário, a assembleia geral dos sócios irá validar as diretas, mas será necessário alterar o tema polêmico da cláusula de barreira, que deve ser reduzida de 20% para 15% para evitar que os atuais cardeais do clube continuem manipulando seus currais eleitorais e limitar o número de candidatos, como ocorreu nas recentes eleições no Internacional de Porto Alegre.

Portanto, estamos perdendo uma vaga na Série A, mas o clube estará ganhando muito com essa derrota, cenário esse que não aconteceria sem essa situação, como comentado alguns parágrafos acima.

Conforme o filme sobre a vida de Hemingway, não existe lado certo, somente a escolha entre o passado e o futuro. Entre os dois, os atuais Homens que tomaram essa ilustre decisão, estão escolhendo o futuro do Palmeiras e não perpetuar o passado, que tanto prejudica nosso amado Palmeiras, desviando nosso clube do rumo de glórias e conquistas, que está no seu DNA desde sua fundação.

Em 15 de novembro de 1889 o Brasil proclamava a República. 113 anos depois, os Homens que assinaram a Carta aos Palmeirenses provavelmente estarão entrando para a história do Palmeiras, proclamando a quebra do poder dos senhores feudais que teimam em manter o clube na época da inquisição, dando um salto quântico para a modernidade do século XXI em termos de gestão, visão e missão que os Palmeirenses trazem em sua alma verde e branca.

Viva o Palmeiras!!!











Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Alienistas

Tudo começou em 1995, na final da Supercopa São Paulo de Juniores. Após o gol de ouro que deu o título ao Palmeiras, os palmeirenses invadiram o gramado para comemorar e foram provocar os são paulinos, que, aproveitando a pouca presença de policiais, invadiram o gramado, transformando o campo de jogo na primeira batalha campal entre torcidas organizadas transmitidas ao vivo pela TV. 
As consequências foram a morte do garoto Márcio Gasparin, a condenação de Adalberto Benedito do Santos e, pela primeira vez, as organizadas Mancha Verde e Independente foram extintas pelo promotor público Fernando Capez, que comentou na época: “Era necessário um tratamento de choque.”
Como na belíssima obra O Alienista, de Machado de Assis, a partir dessa época começou a batalha dos Alienistas contra a festa popular nas arquibancadas do Brasil. Depois dessa medida, as bandeiras, instrumentos, faixas, papéis picados, rojões, fogos de artifício, sinalizadores foram proibidos, além de não poder vender cerveja.…

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores parte 2 : Precificação

Na semana passada iniciei uma série de posts referentes aos fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores. O próximo fator que gostaria de compartilhar com vocês é a precificação dos ingressos.
Como ponto de partida dessa análise, vamos avaliar o comportamento do torcedor do São Paulo em alguns jogos no Morumbi:
23/03/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 3.118 Renda Bruta: R$ 123.026 Ticket Médio: R$ 39,49
06/07/2016 – Copa Libertadores da América São Paulo 1 x 2 Atlético Nacional (semi final) Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 61.766 Renda Bruta: R$ 7.526.480 Ticket Médio: R$ 121,85
22/10/2016 – Campeonato Brasileiro São Paulo 2 x 0 Ponte Preta Dia da semana: sábado Horário: 17:00h Público Pagante: 49.673 Renda Bruta: R$ 600.541 Ticket Médio: R$ 12,09
12/02/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 5 x 2 Ponte Preta Dia da semana: domingo Horário: 17:00h Público Pagante: 50.952 Renda Br…