Pular para o conteúdo principal

Quando o melhor é Perder para Ganhar




Estamos em vias de sermos rebaixado para a série B depois de exatamente 10 anos da desgraça ocorrida no Brasileirão de 2002. Muito se discutiu sobre os fatores dessa situação que nenhum Palmeirense imaginava passar novamente. Nos próximos dias eu irei fazer a minha análise mais detalhada sobre os motivos que levaram o Palmeiras a essa situação.

O que eu quero que todos reflitam nesse momento é sobre quando perder é ganhar e vice versa.

Em 12 de Julho de 2012 o Palmeiras se sagrou Campeão da Copa do Brasil, São Paulo se coloriu de verde e branco para comemorar o título de um time que nenhum Palmeirense acreditava até um mês antes.

Vibrei muito com a conquista por alguns fatores como:

- A conquista de um título nacional depois de 14 anos

- A classificação antecipada para a Copa Libertadores de 2013

- A vitória da superação de um grupo limitado

- Evitar o risco de rebaixamento para a Série B 

Os 3 primeiros fatores eram inerentes ao título, mas o último item permaneceu impregnado na trajetória do time durante todo o campeonato, culminando com a situação atual.

Muitos podem perguntar se eu estou acusando que a conquista da Copa do Brasil foi a responsável pelo rebaixamento. Não meu caro leitor, não é isso. Vencer sempre é bom por tudo que uma conquista traz de benefícios ao time.

O que eu questiono é que o Palmeiras ganhou o título, mas perdeu o foco, a humildade, a dedicação, a entrega, além de praticamente 11 jogadores contundidos. O “presidente“ e sua “diretoria“ entraram em uma soberba incompatível com sua incompetência e essa foi a cereja do bolo que o título trouxe como consequências malignas ao clube.

Visando as eleições de 2013, o Sr. B1 e B2 já articulavam suas respectivas reeleições embriagados nos louros da enganosa conquista e, caso o Palmeiras não estivesse na situação atual, o cenário de reeleição estaria consumado, o que manteria o Palmeiras no estado vegetativo de Morto Vivo que está impregnada na aura do clube há 30 anos.

Conclusão, o Palmeiras perdeu muito mais do que ganhou com a conquista da Copa do Brasil.




Após a o grande marco que a Carta aos Palmeirenses, que foi enviada à nação alviverde na última sexta feira dia 16/11, considero que esse rebaixamento deverá ser o marco da verdadeira arrancada heroica do século XXI. Pela primeira vez os líderes do clube estão se unindo em busca de um bem comum que é reposicionar o Palmeiras, recolocando-o novamente no cenário de protagonismo que faz parte da aura e do grande motivo da existência do Palmeiras, que é ser vencedor e motivo de orgulho para o futebol brasileiro.

Teremos um governo de transição articulado por todos os postulantes ao cargo, e espero que os três lancem uma chapa única, de consenso, para apaziguar os ânimos dentro do cenário sempre efervecente da política Palmeirense, mostrando a todos que, apesar de diferenças, a causa maior, que é resgatar o gigante Palmeiras da situação atual, está se sobrepondo sobre os interesses e opiniões individuais.

Junto com todo esse cenário, a assembleia geral dos sócios irá validar as diretas, mas será necessário alterar o tema polêmico da cláusula de barreira, que deve ser reduzida de 20% para 15% para evitar que os atuais cardeais do clube continuem manipulando seus currais eleitorais e limitar o número de candidatos, como ocorreu nas recentes eleições no Internacional de Porto Alegre.

Portanto, estamos perdendo uma vaga na Série A, mas o clube estará ganhando muito com essa derrota, cenário esse que não aconteceria sem essa situação, como comentado alguns parágrafos acima.

Conforme o filme sobre a vida de Hemingway, não existe lado certo, somente a escolha entre o passado e o futuro. Entre os dois, os atuais Homens que tomaram essa ilustre decisão, estão escolhendo o futuro do Palmeiras e não perpetuar o passado, que tanto prejudica nosso amado Palmeiras, desviando nosso clube do rumo de glórias e conquistas, que está no seu DNA desde sua fundação.

Em 15 de novembro de 1889 o Brasil proclamava a República. 113 anos depois, os Homens que assinaram a Carta aos Palmeirenses provavelmente estarão entrando para a história do Palmeiras, proclamando a quebra do poder dos senhores feudais que teimam em manter o clube na época da inquisição, dando um salto quântico para a modernidade do século XXI em termos de gestão, visão e missão que os Palmeirenses trazem em sua alma verde e branca.

Viva o Palmeiras!!!











Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

Pizzaria Paulista

A rede Pizzaria Paulista, criada em 1902, vem a público divulgar o balanço das suas 16 franquias espalhadas no estado de São Paulo no período de 17 de janeiro a 11 de março de 2018.
Em 2018 tivemos as 3 tradicionais franquias da capital, juntamente com uma das mais famosas unidades, que fica no litoral. Além dessas 4 tradicionais franquias,  constam no balanço unidades de cidades com bom nível de renda per capta e com populações elevadas, sendo duas unidades na Grande São Paulo, mais duas unidades na cidade de Campinas, além de uma unidade em Ribeirão Preto, Araraquara, Sorocaba entre outras ricas cidades do interior paulista.
Em 2018, mesmo com a rede presente nas principais regiões do estado, tivemos uma redução de 9% na presença de clientes. Foram 70 mil pessoas a menos do que no ano passado, primeiro ano após a redução no número de franquias.
Além dessa redução, perdemos R$ 700 mil reais em faturamento bruto, 2% menor do que 2017. Por outro lado o ticket médio subiu 7% , R$ 2,60 a ma…

Hoje é dia de Derby

Derby, uma palavra inglesa que acompanhada dos grandes rivais Palmeiras e Corinthians, cria vida própria. As emoções que remetem a este grande clássico do futebol mundial transcendem as quatro linhas, os 90 minutos, o estádio e, em vários casos, se transformam em lendas, epopeias, grandes batalhas. Vilões se transformam em ídolos e vice versa, menos que por efêmeros momentos. Jogos como estes são capazes, como na vida real e não por acaso, de mudar o rumo dos times nos campeonatos, inverter completamente o estado de espírito, de autoconfiança reinante em cada um dos lados. São raros os confrontos que possuem esse poder mágico de mexer com toda uma cidade, uma nação e que, por 90 minutos, se transformam na coisa mais importante da vida. Muitos podem estar perguntando qual a origem desse termo dentro do futebol. Segue abaixo uma versão resumida que encontrei na internet:
A origem vem da palavra "derby" – ou dérbi, segundo o aportuguesamento da palavra original inglesa, proposto p…