Pular para o conteúdo principal

Morto Vivo Morto Vivo




Nesse último sábado dia 3/11, como de costume, fui ao clube marcar a presença junto com outros companheiros do Fanfulla no Bar do Tênis. Durante 3 horas foi possível constatar mais uma vez porque o Palmeiras está afundando.


Ato 1 – Morto Vivo

Na nossa mesa estava um conselheiro vitalício com mais de 70 anos.

Prefiro não mencionar seu nome em respeito aos anciãos.

O diálogo abaixo é verídico e representa a mentalidade de no mínimo 30% dos conselheiros do Palmeiras. Preparem o estômago:

- O que está faltando no Palmeiras?

- Faltam os cardeais como Delfino Fachinna e Paschoal Giuliano. Esses sim eram grandes comandantes.

- O senhor é vitalício biônico?

- Sim.

- O senhor votou no Tirone?

- Sim.

- Por quê?

- O Pituca é filho do Arnaldo, boa gente. Tinha que votar nele, pois não tinha melhor opção.

- Porque o senhor não votou no Paulo Nobre?

- Não sabia seu plano de governo.

- Qual era o plano do Pituca?

Silêncio total.

- E agora em quem o senhor vai votar?

- No melhor para o Palmeiras, pois meus netos estão sofrendo muito com a atual situação do time.

- Só agora o senhor vai pensar no Palmeiras, porque não pensou nisso antes?

Outro silêncio total.

PS Esse senhor sofre de Alzheimer e ainda tem direito a voto para presidente, diretas, etc.



Ato 2 – Vivo, que se faz de Morto

Chegou à mesa o Sapo Boi para cumprimentar o senhor ancião.

Mais um diálogo se iniciou:

- O senhor quer arejar o clube, mas votou nos 20% como cláusula de barreira no conselho.

- Foi o melhor para o clube. Não dá para ter aventureiro. Além disso eu baixei de 8 para 4 anos o tempo mínimo para se candidatar a presidente.

- Porque o senhor não criou novos líderes?

- Criei sim. O Munhoz, o Frasson, o Tirone e o Piraci. Todos fracassaram.

- Então o senhor foi incompetente para criar novos “líderes”.

- Fazer o que, errei. Agora temos que buscar novas lideranças.

- O senhor é responsável pelo atual momento do Palmeiras, pois foi você que decidiu pelo Tirone.

- Ele rompeu comigo logo que assumiu. Portanto não tenho culpa.

- Tem sim, o senhor foi incompetente.

- Agora não vou mais me envolver diretamente na política.

Assim acabou nosso diálogo com esse senhor que se apoderou do Palmeiras há 3 décadas e é o grande responsável pela queda. Ele se faz de morto, mas está muito, mas muito vivo, tanto que posteriormente, o Sr. Tirone e beijou a mão do sapo Boi.


Ato 3 – Morto, que acha que está vivo

Para fechar a peça com chave de ouro, chegou o Sr. B1, que havia beijado a mão do sapo boi minutos antes.

Ele se aproxima da mesa e começa a se justificar:

- Eu errei, estou aprendendo com os erros. Faria tudo diferente agora.

- O senhor está abandonado, sem ninguém pra te apoiar. Todos os ratos abandonaram o barco.

- Eu sei, agora temos que pensar jogo a jogo.

Cobramos ele sobre Frizzo, Piraci, contratações que não foram feitas, etc.

Esse senhor acha que está vivo, mas é mais um morto dentro do jogo político do Palmeiras.

Zumbis, espíritos do mau, anciãos com Mal de Alzheimer, vivos que se fazem de morto, seres inferiores famintos por dinheiro e status. É esse tipo de “gente” que está dentro do “comando” e do conselho do Palmeiras. É dessa forma que a política do Palmeiras é conduzida, por pessoas que vivem com um espelho retrovisor olhando para o passado, e outro espelho que reflete seus dois bolsos para ver se estão cheios.

Uma grande e sofrida nação Palmeirense está cansada disso, está em busca de libertar o Palmeiras dessa letargia, dessa política tacanha, pequena, rasteira que exala podridão e um odor fétido das suas entranhas.

O Palmeiras está doente, mas ainda tem salvação. Senhores Conselheiros, pedimos que os senhores votem no novo presidente pensando nos seus netos, pois, caso contrário, esses garotos irão ao clube com flores nas mãos para depositar no mausoléu do Palmeiras, em homenagem a um ente querido que se foi.

Ainda há esperança, pois grupos progressistas como o Fanfulla, estão lutando diariamente para evitar essa catástrofe que muitos que habitam o conselho do Palmeiras, e que de lá fizeram sua casa, tanto estão “fazendo” para transformar o clube definitivamente em um Morto Vivo.

Queremos o Palmeiras Vivo, Muito Vivo!!







Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

Pizzaria Paulista

A rede Pizzaria Paulista, criada em 1902, vem a público divulgar o balanço das suas 16 franquias espalhadas no estado de São Paulo no período de 17 de janeiro a 11 de março de 2018.
Em 2018 tivemos as 3 tradicionais franquias da capital, juntamente com uma das mais famosas unidades, que fica no litoral. Além dessas 4 tradicionais franquias,  constam no balanço unidades de cidades com bom nível de renda per capta e com populações elevadas, sendo duas unidades na Grande São Paulo, mais duas unidades na cidade de Campinas, além de uma unidade em Ribeirão Preto, Araraquara, Sorocaba entre outras ricas cidades do interior paulista.
Em 2018, mesmo com a rede presente nas principais regiões do estado, tivemos uma redução de 9% na presença de clientes. Foram 70 mil pessoas a menos do que no ano passado, primeiro ano após a redução no número de franquias.
Além dessa redução, perdemos R$ 700 mil reais em faturamento bruto, 2% menor do que 2017. Por outro lado o ticket médio subiu 7% , R$ 2,60 a ma…

Hoje é dia de Derby

Derby, uma palavra inglesa que acompanhada dos grandes rivais Palmeiras e Corinthians, cria vida própria. As emoções que remetem a este grande clássico do futebol mundial transcendem as quatro linhas, os 90 minutos, o estádio e, em vários casos, se transformam em lendas, epopeias, grandes batalhas. Vilões se transformam em ídolos e vice versa, menos que por efêmeros momentos. Jogos como estes são capazes, como na vida real e não por acaso, de mudar o rumo dos times nos campeonatos, inverter completamente o estado de espírito, de autoconfiança reinante em cada um dos lados. São raros os confrontos que possuem esse poder mágico de mexer com toda uma cidade, uma nação e que, por 90 minutos, se transformam na coisa mais importante da vida. Muitos podem estar perguntando qual a origem desse termo dentro do futebol. Segue abaixo uma versão resumida que encontrei na internet:
A origem vem da palavra "derby" – ou dérbi, segundo o aportuguesamento da palavra original inglesa, proposto p…