Pular para o conteúdo principal

No Limite




Os fatos ocorridos a partir do momento em que o Coritiba fez o gol da vitória na última quinta feira até a tarde deste domingo deixam claro por que o cenário atual NÃO PODE MAIS CONTINUAR.

Os verdadeiros Palmeirenses que participaram de todos os episódios que repercutiram na mídia desde a última sexta feira, tiveram um comportamento no limite máximo entre a cobrança e a agressão.

Os conselheiros responsáveis pela eleição da atual “diretoria“, mais uma vez sumiram do clube, como os mais de 100 conselheiros que fugiram da reunião do Conselho no dia da aprovação das eleições diretas. De uma hora para outra tenho a impressão que os bananas que atualmente “comandam” o Palmeiras não foram eleitos por ninguém, mas sim foram colocados no cargo por outros caminhos.

O cenário acima Torcedor Palmeirense, é o reflexo da política mesquinha, egoísta, tacanha, pequena, baixa, nojenta, repugnante que impera no Palmeiras.

O Palmeiras está caindo para a série B? Sim. Mas os responsáveis pela “gestão” são pessoas de segunda classe em termos de Palestrinidade. Eles não são merecedores de estarem lá. Muitos sobrevivem devido aos clãs que imperam dentro do clube, aos seus sobrenomes e aos acordos nocivos à instituição.

A eleição da atual “diretoria” é o reflexo mais cruel de quanto a política vigente no clube está corroendo toda a estrutura desse gigante chamado Sociedade Esportiva Palmeiras.

Devido aos seus interesses particulares, um grande grupo de conselheiros dançam conforme a música, como animais em busca de comida, para se manterem no poder, por cargos de sub do sub do sub, por uma carteirinha ou vaga no estacionamento. Nunca o Palmeiras em primeiro lugar.

Toda essa corja vive DO Palmeiras e não PARA o Palmeiras.

Esses vagabundos defendem SEUS interesses e não os interesses DO Palmeiras.

O grupo Fanfulla está lutando PARA o Palmeiras e está defendendo os interesses DO Palmeiras e dos milhões de Palmeirenses.

Notícias infundadas veiculadas nas últimas horas, como divulgadas pelo Verdazzo,  são reflexos destes grupos que estão se mantando pelos últimos pedaços de  carniça remanescentes, que ainda essa Gigante instituição pode prover. Esses senhores estão matando o Palmeiras, sugando toda sua energia, estão deixando a instituição em frangalhos.

A cobrança efetuada por todos os Palmeirenses do Bem, incluindo os Fanfullistas, sobre os que ainda defendem o status quo atual, deve ser mantida dentro do limite da razão e da não violência, mas nunca deixaremos de fazer a pressão para que estes senhores larguem o osso e deixem o nosso amado Palmeiras nas mãos dos que querem reconduzir o clube para seu lugar de honra, e que só está nessa situação devido a estes sangue sugas.

Há 10 anos o Palmeiras caiu para a série B, como está caindo novamente, e nada foi feito para mudar esse cenário, pois nós torcedores não estávamos lá, mas sim nas arquibancadas. Nosso desejo é voltar para a arquibancada depois que conseguirmos efetuar todas as reformas estatutárias em busca da modernização do clube. Outros clubes passaram por essa mesma situação e hoje estão muito mais modernizados, estruturados e preparados para competir num cenário profissional dentro do futebol.

O futebol profissional, já faz mais de uma década, precisa ser gerido por profissionais do ramo e NUNCA, eu repito, NUNCA, por donos de restaurantes, ex delegados ou acadêmicos de plantão.  O negócio futebol deve ser gerido por pessoas competentes, com metas claras, papéis e responsabilidades, afastando da gestão os vermes que diariamente inundam os jornais com notícias que visam tumultuar ainda mais o ambiente. Além disso, os conselheiros devem ter uma ação atuante e construtiva, e não somente viver das migalhas que o cargo atual oferece.

A paciência está no limite. Devemos canalizar essa raiva para atitudes construtivas e que definitivamente extirpem do clube todos os cânceres que relutam em manter a situação atual sem alterações.

Conforme a coluna de Ugo Giorgetti na semana passada, um clube só pode continuar grande se for contemporâneo dele mesmo. O Palmeiras atual está com seu estatuto, sua estrutura política e, principalmente, sua mentalidade,  no século passado. Não em 1999, mas sim em 1912.

Devemos sim continuar nossas cobranças dentro do clube, nos blogs, mídias sociais, nas ruas, no trabalho. Temos que mostrar ao mundo o que fizeram com o Palmeiras.

Que esse virtual rebaixamento sirva para que, no mínimo, todos os Palmeirenses se unam em busca de um objetivo comum, visando iniciar o processo de reconstrução, que deve ser longo e demorado, como bem escreveu nosso companheiro Vicente Criscio.

Como Fanfullista, muito mais do que efêmeras e enganosas conquistas como a Copa do Brasil, espero que nossa maior conquista dos últimos dez anos, será a profunda e irrestrita reforma estatuária, implementando o plano de Gestão que o Fanfulla apresentou aos últimos presidentes, e que,como a emenda das diretas, jaz na gaveta dos que não querem nosso Palmeiras como o Campeão que sempre foi, é e será.

Chegamos no limite, no fundo do poço.

Não dá mais para esperar.

As mudanças devem ser para já.

Em 1942 o inimigo era tricolor, hoje o inimigo se diz palmeirense, senta ao seu lado no clube, escreve juras de amor no twitter, mas no fundo quer manter tudo como está, para sempre poder se perpetuar no poder, mantendo os verdadeiros Palmeirenses fora do comando do clube.

Juntos iremos reconstruir o Palmeiras, e tenho certeza que o dia 11 de Outubro de 2012 e os episódios posteriores à esse dia, se tornarão marcos da nossa Grande Arrancada Heroica e que nossa luta não terá sido em vão.

PALMEIRAS NOSSA VIDA É VOCÊ!!!!








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

Pizzaria Paulista

A rede Pizzaria Paulista, criada em 1902, vem a público divulgar o balanço das suas 16 franquias espalhadas no estado de São Paulo no período de 17 de janeiro a 11 de março de 2018.
Em 2018 tivemos as 3 tradicionais franquias da capital, juntamente com uma das mais famosas unidades, que fica no litoral. Além dessas 4 tradicionais franquias,  constam no balanço unidades de cidades com bom nível de renda per capta e com populações elevadas, sendo duas unidades na Grande São Paulo, mais duas unidades na cidade de Campinas, além de uma unidade em Ribeirão Preto, Araraquara, Sorocaba entre outras ricas cidades do interior paulista.
Em 2018, mesmo com a rede presente nas principais regiões do estado, tivemos uma redução de 9% na presença de clientes. Foram 70 mil pessoas a menos do que no ano passado, primeiro ano após a redução no número de franquias.
Além dessa redução, perdemos R$ 700 mil reais em faturamento bruto, 2% menor do que 2017. Por outro lado o ticket médio subiu 7% , R$ 2,60 a ma…

Hoje é dia de Derby

Derby, uma palavra inglesa que acompanhada dos grandes rivais Palmeiras e Corinthians, cria vida própria. As emoções que remetem a este grande clássico do futebol mundial transcendem as quatro linhas, os 90 minutos, o estádio e, em vários casos, se transformam em lendas, epopeias, grandes batalhas. Vilões se transformam em ídolos e vice versa, menos que por efêmeros momentos. Jogos como estes são capazes, como na vida real e não por acaso, de mudar o rumo dos times nos campeonatos, inverter completamente o estado de espírito, de autoconfiança reinante em cada um dos lados. São raros os confrontos que possuem esse poder mágico de mexer com toda uma cidade, uma nação e que, por 90 minutos, se transformam na coisa mais importante da vida. Muitos podem estar perguntando qual a origem desse termo dentro do futebol. Segue abaixo uma versão resumida que encontrei na internet:
A origem vem da palavra "derby" – ou dérbi, segundo o aportuguesamento da palavra original inglesa, proposto p…