Pular para o conteúdo principal

Calendário - Parte 3




Proposta de Calendário Futebol Brasileiro
Depois de estruturados os Calendários Mundiais e Continentais, eu considero que o atual modelo de calendário adotado no Brasil está em partes de acordo com o modelo que deve ser implementado. Tenho algumas sugestões de mudanças para potencializar arrecadações, melhorar a qualidade técnica e, consequentemente, o espetáculo em si, atraindo mais torcedores para o estádio e maiores arrecadações em patrocínios. Acredito que para ser viável esta alteração, o ideal é a criação de um Liga Nacional que administraria as 03 divisões, desta forma a Liga ganharia peso em um provável conflito de interesse com as Federações Estaduais.


Troféu Série A



1) Campeonato Brasileiro
Sugiro Manter a Fórmula de Disputa com 20 equipes e todas as equipes que disputarem as sérias A, B e C  não disputarão os estaduais. O período de disputa será de Setembro a Maio, em 38 semanas.
Com esta primeira medida implementada, vamos às propostas para cada uma das 3 divisões:

Série A

·     Campeão do Primeiro Turno e o Campeão do Segundo Turno farão uma final em jogo único em local pré- estabelecido utilizando o sistema de desempate similar às demais finais em jogo único ( prorrogação e decisão por penalidades).
·     O sistema de classificação para Taça Libertadores da América, Copa Sulamericana e os 4 rebaixados permanecem inalterados, mantendo a soma de pontos dos 02 turnos.



Benefícios

·    Possibilidade de manter a motivação entre todas as equipes durante toda a temporada
·    Maiores oportunidades de arrecadação com a criação da final em jogo único, com a possibilidade de maior exposição da marca e aumento do número de torcedores em estados fora dos grandes centros
·    Aumento da qualidade técnica dos jogos com o calendário estendido
·    Os jogos disputados durante o auto verão ( janeiro e fevereiro ), deverão ser disputados durante a semana ou no sábado à noite.



Troféu Série B


Série B

·    Manter a fórmula de disputa atual, 20 equipes jogando em turno e returno com os 4 primeiros colocadas se classificando para a Série A e os 4 últimos rebaixados para a Série B.



Troféu Série C



Série C

·         Participantes : 20 equipes

04 equipes rebaixadas da Série B

04 equipes que participaram do octogonal final e não subiram para a Série B

12 equipes classificadas dos Torneios Regionais do ano anterior



·         Fórmula de Disputa



o    Primeira Fase: jogos entre todas as equipes em turno único, classificando-se para o octogonal final as 8 primeiras equipes.



OBS: As 12 equipes que não se classificarem disputarão os estaduais no ano seguinte.



o    Segunda Fase: as 8 equipes jogam entre si em turno em returno, classificando-se para a Série B as 4 melhores colocadas.



Benefícios

·    Maior estímulo na disputa para os participantes dos Campeonatos Estaduais e Regionais
·    Menor custo de viagens
·    Sistema de disputa que premiará as melhores equipes
·    Maior qualidade técnica dos jogos



Troféu Copa do Brasil



2) Copa do Brasil

·    Participantes

60 equipes (20 equipes das séries A, B e C)



·         Fórmula de Disputa



o    Primeira Fase

o    Participantes  – 40 equipes (20 equipes da Série B e C )

o    Jogos de ida e volta em sistema eliminatório com o sistema de gol marcado na casa do adversário como critério de desempata em caso de empate de pontos e saldo de gols.



o    Segunda Fase

o    Participantes – 32 equipes (20 equipes classificadas da Primeira Fase mais 12 últimos classificados da Série A do ano anterior )

o    Jogos de ida e volta em sistema eliminatório com o sistema de gol marcado na casa do adversário como critério de desempata em caso de empate de pontos e saldo de gols.



o    Terceira Fase

o    Participantes – 16 equipes classificadas da Segunda Fase

o    Jogos de ida e volta em sistema eliminatório com o sistema de gol marcado na casa do adversário como critério de desempata em caso de empate de pontos e saldo de gols.



o    Oitavas de Final
o    Participantes – 16 equipes (8 equipes classificadas da Terceira Fase mais as 8 primeiras equipes melhores classificadas da Séria A do ano anterior )
o    Jogos de ida e volta em sistema eliminatório com o sistema de gol marcado na casa do adversário como critério de desempata em caso de empate de pontos e saldo de gols.




o    Quartas de Final

o    Participantes – 8 equipes classificadas das Oitavas de Final
o    Jogos de ida e volta em sistema eliminatório com o sistema de gol marcado na casa do adversário como critério de desempata em caso de empate de pontos e saldo de gols.



o    Semi Final

o    Participantes – 4 equipes classificadas das Quartas de Final

o    Jogos de ida e volta em sistema eliminatório com o sistema de gol marcado na casa do adversário como critério de desempata em caso de empate de pontos e saldo de gols.


o    Final

o    Participantes – 2 equipes classificadas da Semi Final

o    Jogo único em local pré- estabelecido utilizando o sistema de desempate similar às demais finais em jogo único ( prorrogação e decisão por penalidades).

  

Benefícios do novo sistema da Copa do Brasil

·   Menor número de equipes aumentando a qualidade técnica dos jogos
·    Possibilidade de participação, à partir das Oitavas de Final de todas as equipes da Série A, incluindo as que participarão da Taça Libertadores da
·    Final em jogo único, no mesmo sistema do UEFA Champions League, com a possibilidade de alavancar maiores arrecadações por parte de todos os envolvidos, maior equilíbrio de chances para ambas as equipes
·    Disputa do torneio durante toda a temporada, abrindo maior espaço no calendário, sem sobrecarregar os jogadores, o que aumenta a qualidade técnica dos jogos, beneficiando o espetáculo.



3) Recopa do Brasil
O Campeão do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil abrem a temporada seguinte em jogo único em local pré- estabelecido utilizando o sistema de desempata similar às demais finais em jogo único ( prorrogação e decisão por penalidades).

Benefícios

·     Este jogo pode ser marcado em estados fora dos grandes centros para exposição da marca em outros mercados
·     Criar maior interesse por parte das equipes para que disputem este título com todos   os jogadores titulares
·     Aumento de arrecadação
·    Iniciar a temporada com um jogo com maiores expectativas e motivação


Estamos chegando no final da série calendários. Na próxima semana irei concluir as propostas com os campeonatos regionais.

Aguardo comentários e sugestões de vocês para enriquecer o debate.

Comentários

  1. Bense, suas ideias sempre são ótimas! Fico imaginando que elas acabam sendo incompatíveis à corja que está à frente de nosso futebol.

    Mas sempre serve de inspiração!

    Parabéns por mais outras inspirações!

    Beijo.
    Adriano Paciello

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os Alienistas

Tudo começou em 1995, na final da Supercopa São Paulo de Juniores. Após o gol de ouro que deu o título ao Palmeiras, os palmeirenses invadiram o gramado para comemorar e foram provocar os são paulinos, que, aproveitando a pouca presença de policiais, invadiram o gramado, transformando o campo de jogo na primeira batalha campal entre torcidas organizadas transmitidas ao vivo pela TV. 
As consequências foram a morte do garoto Márcio Gasparin, a condenação de Adalberto Benedito do Santos e, pela primeira vez, as organizadas Mancha Verde e Independente foram extintas pelo promotor público Fernando Capez, que comentou na época: “Era necessário um tratamento de choque.”
Como na belíssima obra O Alienista, de Machado de Assis, a partir dessa época começou a batalha dos Alienistas contra a festa popular nas arquibancadas do Brasil. Depois dessa medida, as bandeiras, instrumentos, faixas, papéis picados, rojões, fogos de artifício, sinalizadores foram proibidos, além de não poder vender cerveja.…

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores parte 2 : Precificação

Na semana passada iniciei uma série de posts referentes aos fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores. O próximo fator que gostaria de compartilhar com vocês é a precificação dos ingressos.
Como ponto de partida dessa análise, vamos avaliar o comportamento do torcedor do São Paulo em alguns jogos no Morumbi:
23/03/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 3.118 Renda Bruta: R$ 123.026 Ticket Médio: R$ 39,49
06/07/2016 – Copa Libertadores da América São Paulo 1 x 2 Atlético Nacional (semi final) Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 61.766 Renda Bruta: R$ 7.526.480 Ticket Médio: R$ 121,85
22/10/2016 – Campeonato Brasileiro São Paulo 2 x 0 Ponte Preta Dia da semana: sábado Horário: 17:00h Público Pagante: 49.673 Renda Bruta: R$ 600.541 Ticket Médio: R$ 12,09
12/02/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 5 x 2 Ponte Preta Dia da semana: domingo Horário: 17:00h Público Pagante: 50.952 Renda Br…