Pular para o conteúdo principal

As Viagens de Gulliver


Essa semana que passou ficará para sempre eternizada em minha memória,  pois tive a oportunidade, juntamente com meu irmão Luciano, de participar ao vivo do programa Propaganda Futebol Clube, no canal Band Sports.  A experiência foi única para um fanático por futebol ao poder expor as minhas opiniões de uma forma democrática e descontraída, graças à brilhante forma que o programa é conduzido pelo Palmeirense Mauro Betting.


Durante o programa, um dos participantes fixos do programa, o Palmeirense Toco fez um comentário que está totalmente alinhado com a atual realidade do Palmeiras:


“ O Palmeiras é um grande time conduzido por pessoas de mentalidade pequena”


Jonathan Swift 1667 - 1745
Durante a semana viajei para Minas Gerais e fui refletindo sobre a frase acima enquanto apreciava as belas paisagens das suas montanhas, sua rica culinária e sua deliciosa cachaça. Após o retorno e já pensando no meu post da semana, não tive dúvidas ao associar a frase com a célebre obra do irlandês Jonathan Swift, As Viagens de Gulliver.


Durante suas aventuras pelos oceanos, sa primeira aventura de Gulliver é na ilha Lilliput e seus pequenos habitantes. Essa parte da viagem é a mais conhecida, tanto que até tinha um desenho animado com esse tema durante minha infância e que recentemente teve sua versão para o cinema. Para os mais novos que nunca viram ou os mais velhos que queiram rever, no final do post há um vídeo raro deste desenho.


Transferindo esta parte da história para a realidade atual do nosso amado Palmeiras, é possível efetuarmos inúmeras metáforas entre a história fictícia e a história real.


O Gigante é o Palmeiras e sua magnífica história, conduzido por dirigentes, técnicos e jogadores com mentalidade também gigante e que levaram esse clube ao status do Campeão do Século XX. Agora, referente aos pequenos habitantes, temos inúmeras formas de interpretá-los.


Vamos aos cast dos vários cidadãos que habitam esta ilha fictícia:


Conselheirum : São as pequenas criaturas humanas que no livro também são chamados de pigmeus. Tentam impotentemente prender este gigante e querem decidir o que fazer com ele,  pois traz muitos gastos ao país. Meu Deus, a vida real imitando a ficção ou vice versa? Quem seriam os Lilliputianos alvi verdes?

Creio que a resposta é óbvia:  presidente, vice presidentes e grande parte dos conselheiros. Escrevo em minúsculo mesmo,  pois é desta forma que agem e pensam estes Lilliputianos. 
Essas pequenas criaturas não sabem como conduzir um Gigante.


Jogatorum :  também são pequenas criaturas não só no tamanho mas principalmente na mentalidade, na falta de personalidade, na fuga da responsabilidade, na simulação de contusões, na pequenez perante aos outros grandes, na falta de qualidade para vestir esta camisa.

Treinatorum : sim Palmeirense, grandes treinatoruns que há cerca de 10 anos construíram parte da história desse Gigante, ao regressarem foram contaminados pelos conselheiruns e deixaram o Palmeiras por não saberem mais lidar e pensar como Gigante. Muitos habitantes da ilha têm dúvidas sobre a influência desta nobre classe de moradores da ilha, pois alguns são considerados intocáveis, mas nesta última década, os treinatoruns também não souberam lidar com o Gigante.



Torcetorum : a maior parte dos torcetoruns não vivem em Lilliput e, sim, na Ilha de Palestra Italia. Mais conhecidos como Palmeirenses , que torcem com amor e paixão incondicional , estão  lutando para invadir a ilha de Lilliput e resgatar o Gigante. No momento, os torcetoruns que vivem em Lilliput, pensam mais na sobrevivência dos seus pequenos reinados e em usufruir da história do Gigante e, por mais que cantam nos estádios hinos de amor, vida e paixão, na verdade estão mais preocupados em deixar o Gigante na mão dos mesmos conselheiruns para poderem tirar proveito.




Ao passar pelas quatro grandes viagens, Gulliver se apaixona pela ilha dos Houyhnhnms, uma ilha que era comandada por Cavalos e que possuíam muita sabedoria. Gulliver se encantou com as virtudes dos Houyhnhnms como amor incondicional à toda espécie, controlam a natalidade, quando se casam escolhem as cores ,as fêmeas recebem o mesmo tratamento dos machos. Os seres irracionais desta ilha eram como os humanos e eram chamados de Yahoos.


O Gigante Palmeiras vai sempre se manter vivo,  mas precisa ser cuidado com os mesmos valores dos Houyhnhnms : amor ao Palmeiras acima dos interesses pessoais, controle das pessoas que procuram entrar no clube com objetivos de lesar o clube, tratar bem a todos sem distinção e poder colaborar para que o Gigante fique mais forte e confiante.



Palmeirenses, precisamos pegar nossos barcos, cruzar os oceanos e suas fortes tempestades para resgatar o Gigante adormecido que está preso em Lilliput, devido à mentalidade tacanha e pequena destes Lilliputianos  que acham que comandam e que na prática estão deixando o Gigante morrer de fome.




Vamos com nossas velas ao mar das batalhas, e trazer nosso Gigante de volta à  Ilha das Vitórias pois ainda é tempo de nos tornar os Campeões do Século XXI.




Comentários

  1. É Candinho, concordo com o Toco... temos que sumir com os Gullivers do Palestra... Avante Palesta!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Marcelo,
    Fico super honrada de ter ajudado na inspiração! Que você continue escrevendo e escrevendo e escrevendo. Seu texto está uma delícia!! E que a literatura sempre nos inspire...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Andréa. Ler um livro é a porta de entrada para o mundo da imaginação.

    ResponderExcluir
  4. Pois é, Bense, ler é ainda o melhor exercício ao cérebro! Estimula o pensamento, aumenta o vernáculo e amplia nossa realidade.

    Depois de um texto tão rico e criativo, pergunta: Quem seria o leal cachorro de Gulliver no Palestra?

    Parabéns, e continue a inspirar e ser inspirado!

    Adriano Paciello

    ResponderExcluir
  5. Como professora de Literatura Inglesa fico muito feliz que o primeiro romance de língua inglesa ainda tenha muito a inspirar. E no futebol, quem diria, heim? Parabéns, Marcelo! Eu torço para o Gulliver, acho que o Swift, também (se ele conhecesse o futebol iria concordar com você).

    ResponderExcluir
  6. Não consegui assinar o post anterior, acho que deu certo.

    ResponderExcluir
  7. Marcelo Paccielo,

    Que honra, ficou muito legal. Vou multiplicar nas minhas redes...
    grande abraço,

    Toco
    PS.: "Palmeiras, um gigante gerido por miniaturas"

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios dos Programas de Sócio Torcedor no Brasil

Durante a semana foi divulgado queda no programa sócio torcedor do Flamengo. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos a  falta de jogos com torcida da Libertadores e o esvaziamento do Carioca são os principais pontos de abandono. O departamento de marketing identificou outros problemas: falta de um estádio, política de preços de ingressos para jogos jogos de menor apelo, o sistema de atendimento do torcedor e as vantagens oferecidas ao membro que se associa, além de reclamações com política de diretoria.
Desde o ano passado estamos notando uma estagnação deste tipo de programa na grande maioria dos times brasileiros. Participei de um projeto visando melhorias para um dos maiores programas do gênero em um time da cidade de São Paulo, onde fizemos grupos focais e pesquisas on line, mas muitas das sugestões não foram implementadas.
O que pude perceber na opinião dos torcedores que responderam a pesquisa foram sugestões de melhorias de atendimento, mais serviços, produtos e experiências, além…

Pizzaria Paulista

A rede Pizzaria Paulista, criada em 1902, vem a público divulgar o balanço das suas 16 franquias espalhadas no estado de São Paulo no período de 17 de janeiro a 11 de março de 2018.
Em 2018 tivemos as 3 tradicionais franquias da capital, juntamente com uma das mais famosas unidades, que fica no litoral. Além dessas 4 tradicionais franquias,  constam no balanço unidades de cidades com bom nível de renda per capta e com populações elevadas, sendo duas unidades na Grande São Paulo, mais duas unidades na cidade de Campinas, além de uma unidade em Ribeirão Preto, Araraquara, Sorocaba entre outras ricas cidades do interior paulista.
Em 2018, mesmo com a rede presente nas principais regiões do estado, tivemos uma redução de 9% na presença de clientes. Foram 70 mil pessoas a menos do que no ano passado, primeiro ano após a redução no número de franquias.
Além dessa redução, perdemos R$ 700 mil reais em faturamento bruto, 2% menor do que 2017. Por outro lado o ticket médio subiu 7% , R$ 2,60 a ma…

Hoje é dia de Derby

Derby, uma palavra inglesa que acompanhada dos grandes rivais Palmeiras e Corinthians, cria vida própria. As emoções que remetem a este grande clássico do futebol mundial transcendem as quatro linhas, os 90 minutos, o estádio e, em vários casos, se transformam em lendas, epopeias, grandes batalhas. Vilões se transformam em ídolos e vice versa, menos que por efêmeros momentos. Jogos como estes são capazes, como na vida real e não por acaso, de mudar o rumo dos times nos campeonatos, inverter completamente o estado de espírito, de autoconfiança reinante em cada um dos lados. São raros os confrontos que possuem esse poder mágico de mexer com toda uma cidade, uma nação e que, por 90 minutos, se transformam na coisa mais importante da vida. Muitos podem estar perguntando qual a origem desse termo dentro do futebol. Segue abaixo uma versão resumida que encontrei na internet:
A origem vem da palavra "derby" – ou dérbi, segundo o aportuguesamento da palavra original inglesa, proposto p…