Pular para o conteúdo principal

Anos de Chumbo

Imagens durante o perído da Ditadura no Brasil


Tenho 42 anos e já presenciei várias transformações sociais e tecnológicas que ocorreram na sociedade mundial. Em algumas delas somente foi possível presenciar o desfecho de grandes transformações, em outras acompanhei somente à partir da metade do processo   e em outras todo o processo, desde os primeiros movimentos até a grande mudança.


Desde o final da minha adolescência, depois de presenciar essas grandes mudanças, minha curiosidade aumentou e fui pesquisar grandes revoluções que ocorreram na história da humanidade. Eu considero que grande parte das mudanças ocorreram devido à persistência por lutar por uma grande causa que moveu grandes personagens da história da humanidade ao seu objetivo final.

Grandes líderes que moveram a população em busca de suas conquistas como Gandhi, Martin Luther King, Gorbachov ou grandes movimentos como o Sindicado Solidariedade na Polônia, o Movimento contra a Ditadura no Brasil e nos demais países da América Latina , na Espanha e em Portugal . Estes grandes líderes ou grupos mudaram a configuração social de seus respectivos países, classes ou grupos sociais movidos por uma paixão que contagiou milhares ou milhões de pessoas.

No mundo moderno as redes sociais se transformaram em um grande catalisador de mobilização social, atingindo uma enorme audiência em dias, talvez horas, conseguindo espalhar de forma viral qualquer  idéia, movimento, etc. Vide os exemplos recentes das grandes mudanças que se iniciaram na pequena Tunísia e que praticamente está colocando todo Oriente Médio de cabeça para baixo. Mais recentemente podemos observar o que está acontecendo nos Estados Unidos referente ao protesto contra as grandes corporações financeiras e toda sociedade capitalista e que pode atingir todas as grandes capitais financeiras do globo terrestre em alguns meses.


Agora convido à todos entrarem no meu DeLorean junto com Marty McFly para viajar no tempo para os anos 60 e fazer um paralelo entre a história recente do Brasil e história presente do nosso amado Palmeiras.

Durante os anos 60 o Brasil passou por um dos  períodos mais negros da sua história que foi o golpe militar de 1964. Janio Quadros foi um presidente socialista que foi deposto pelas forças ocultas e que mergulharam o país em 25 anos de ditadura e todos os seus matizes: censura, repressão, medo da população, tortura, mortes, toques de recolher etc. Considero que o país paga até os dias de hoje por este período negro da história.


Em 1977 Jordão Bruno Sacomani assumiu a presidência do Palmeiras e deu um golpe monetário de mais de dois milhões de reais nos cofres do Palmeiras. Vela a pena o post Eu acredito e amo o Palmeiras do PTD para enriquecer esta leitura. Considero esta situação o marco zero da derrocada do Palmeiras no cenário futebolístico mundial. As ratazanas começaram a se infiltrar em um território propício para sua procriação física e intelectual dentro do Palmeiras. Devido sua força e competências das gestões anteriores, o Palmeiras ainda disputou e perdeu o título brasileiro de 1978 e os detalhes desta história estão muito bem relatadas no site Verdazzo. Qualquer coincidência com os fatos atuais não são meras semelhanças.


Voltando ao final dos anos 60, os intelectuais e os estudantes do Brasil começaram protestar fortemente contra a ditadura, a perda da liberdade de expressão e este período foi o ápice das repressões, torturas, mortes e desaparecimentos que culminou com o AI 5 decretado  pela figura nefasta do Costa e Silva.  Durante este momento de protestos a classe média, que estava alheia à estes acontecimentos e que até hoje ainda lamentam a falta que os militares fazem,  se sentiu satisfeita com o Milagre Brasileiro. Um crescimento do PIB gerado pelo governo brasileiro e que naquele momento ludibriou e embriagou o povo com conquistas e com ascensão de classe social que durou até 1973 quando começou a crise do petróleo e a consequência foi uma recessão que durou quase 20 anos.


Em 1992 após 16 anos sem ganhar um título e passar por vários vexames como os ocorridos em 1978, 1980, 1985, 1986, 1989, 1990 a torcida começou a protestar e durante a gestão Carlos Facchina Nunes, o Palmeiras fechou uma parceria com a Parmalat. Vieram os anos do milagre Palmeirense, até a camisa foi descaracterizada com a inserção das listas brancas verticais e o verde esmeraldino se transformou em verde abacatino como disse na época o folclórico Roberto Avallone. Foram  8 anos de conquistas, títulos inéditos como a Copa do Brasil e Copa MERCOSUL em 1998, a Copa Libertadores de 1999, as célebres disputas de pênaltis com o Corinthians, os 03 títulos paulistas de 93,94 e 96 e os títulos brasileiros de 93 e 94.


Em 1996 durante o auge do Milagre Palmeirense, tivemos o golpe político que talvez tenha sido a sentença final na história gloriosa do Palmeiras que reinou soberano e transformando-se no campeão do século XX. A figura nefasta de Mustafá Contursi que além de nomear conselheiros vitalícios, rasgou o estatuto com um golpe que lhe deu a chance de reeleição sem limite de mandatos. A nossa crise do petróleo foi o saída da Parmalat que despiu o Palmeiras de qualquer competência gerencial e levou o time para a série B em 2002. Nesta época quem freqüentava o clube iniciou protestos de fora Mustafá e o AI 5 no Palmeiras foi instituído.


Para que esta leitura não se torne tão extensa sugiro parar nosso De Lorean para reabastecimento durante a jornada.

Espero que quem vivenciou mais de perto este período que envie mais detalhes e comentários para enriquecer mais nossa história. Para você que não teve oportunidade de vivenciá-los que sirva como fonte de consulta e de ilustração de como eu enxerguei de longe estes fatos.

Como mensagem final quero relembrar parte do discurso de Steve Jobs em Satanford 2005 : 

Nossa história é feita através de ligar os pontos mas só percebemos se os pontos foram ligados corretamente ao olhar para trás. Durante o trajeto devemos ter a convicção de que estamos ligando os pontos da forma como desejamos.

Além da mensagem acima, também gostaria de compartilhar logo abaixo a música Amanhã vai ser outro dia de Chico Buarque, que foi um hino da juventude durante a ditadura militar e que tem tudo a ver com a situação atual que impera dentro do conselho do Palmeiras.

Durante os próximos dias vem a segunda parte.













Comentários

  1. Muito boa, Bense, a sua alusão entre o Palmeiras e a História.

    Isso se torna a ratificação de que nada anda sem ser sombra de algo!

    Parabéns, doutor Emmet Brown - rs

    Adriano Paciello

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os Alienistas

Tudo começou em 1995, na final da Supercopa São Paulo de Juniores. Após o gol de ouro que deu o título ao Palmeiras, os palmeirenses invadiram o gramado para comemorar e foram provocar os são paulinos, que, aproveitando a pouca presença de policiais, invadiram o gramado, transformando o campo de jogo na primeira batalha campal entre torcidas organizadas transmitidas ao vivo pela TV. 
As consequências foram a morte do garoto Márcio Gasparin, a condenação de Adalberto Benedito do Santos e, pela primeira vez, as organizadas Mancha Verde e Independente foram extintas pelo promotor público Fernando Capez, que comentou na época: “Era necessário um tratamento de choque.”
Como na belíssima obra O Alienista, de Machado de Assis, a partir dessa época começou a batalha dos Alienistas contra a festa popular nas arquibancadas do Brasil. Depois dessa medida, as bandeiras, instrumentos, faixas, papéis picados, rojões, fogos de artifício, sinalizadores foram proibidos, além de não poder vender cerveja.…

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores parte 2 : Precificação

Na semana passada iniciei uma série de posts referentes aos fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores. O próximo fator que gostaria de compartilhar com vocês é a precificação dos ingressos.
Como ponto de partida dessa análise, vamos avaliar o comportamento do torcedor do São Paulo em alguns jogos no Morumbi:
23/03/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 3.118 Renda Bruta: R$ 123.026 Ticket Médio: R$ 39,49
06/07/2016 – Copa Libertadores da América São Paulo 1 x 2 Atlético Nacional (semi final) Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 61.766 Renda Bruta: R$ 7.526.480 Ticket Médio: R$ 121,85
22/10/2016 – Campeonato Brasileiro São Paulo 2 x 0 Ponte Preta Dia da semana: sábado Horário: 17:00h Público Pagante: 49.673 Renda Bruta: R$ 600.541 Ticket Médio: R$ 12,09
12/02/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 5 x 2 Ponte Preta Dia da semana: domingo Horário: 17:00h Público Pagante: 50.952 Renda Br…